Blog Infonova

Informação para tomada de decisão

Resultado da pesquisa por: ""

Tudo sobre alinhamento entre TI e Negócios

Por Juliana Gaidargi em 5/10/2020 em Negócios

A divisão entre TI e negócios é muito óbvia. Tão óbvia que chega a gerar piadas na empresa. Os caras da TI não entendem o que o negócio está fazendo. Já os demais acham que TI é apenas ligar e desligar computadores. Essa divisão é até normal. Afinal, são áreas de interesses distintas. Inclusive, a separação foi intencional no início. Contudo, hoje a TI é requisito básico para qualquer empresa. Com isso, a divisão se tornou um obstáculo. Portanto, hoje, as empresas reconhecem a importância do alinhamento entre TI e negócios.

alinhamento TI negócios

Inclusive, um relatório recente do Gartner prevê o seguinte:

50% das organizações mundiais alcançarão uma maior colaboração TI-negócios até 2022. O problema, porém, é que o alinhamento entre TI e negócios não é fácil de alcançar.

TI e negócios: problemas atuais

A maioria das empresas pode concordar que a TI e negócios não estão trabalhando juntas. Ao menos, não o bastante para otimizar seus serviços e entrega de produtos. Sabe qual é o principal motivo? As unidades de negócios tradicionais funcionam de maneira muito diferente da TI. 

Outros motivos: 

Estereótipos perpetuam conceitos errados sobre como os negócios enxergam a TI e vice-versa;

Pessoal que não é de TI acha a área muito técnica para entender. Portanto, não reconhecem que a TI participa de atividades centrais de geração de receita. É o caso de vendas, marketing, atendimento ao cliente, etc. Esses estereótipos estão mudando. Entretanto, áreas diferentes têm culturas e habilidades diferentes. E isso é absolutamente esperado e normal.  

Apesar do aumento de funções como CTOs e CIOs, a liderança de TI continua relatando dificuldades significativas ao tentar colaborar com unidades de negócios. Existem até indicadores sobre como essas diferenças estão prejudicando sua empresa.

Confira a seguir:
  • Baixo desempenho e / ou sucesso limitado;
  • Investimentos caros com baixo ROI;
  • Gargalos que dificultam a entrega do serviço. Ou seja, implantações lentas ou com bugs;
  • Obstáculos entre processos e soluções;
  • Atendimento ao cliente confuso ou sem brilho;
  • Comunicação e suporte deficientes para usuários finais e clientes em potencial.

Ou seja, para ter sucesso, todo negócio deve “virar” uma empresa de tecnologia. Isso, independentemente do produto ou serviço. Essa mudança é inevitável. Entretanto, ela é quem traz o conceito de alinhamento entre TI e negócios. Ou seja, que a TI possibilita os negócios e os negócios conduzem os esforços de TI. Portanto, nenhum dos dois é menos necessário. Afinal, ambos são geradores de receita.

Definindo alinhamento entre TI e negócios

O conceito de alinhamento entre TI e negócios tem um histórico complicado. Afinal, está na antiga crença de que o lado técnico e o pessoal de negócios não deviam se misturar. Ou seja, não conseguiam transpor lacunas de comunicação para realmente trabalhar em conjunto. Contudo, não basta viabilizar a comunicação. Inclusive, especialistas em TI dizem que essa é a abordagem errada. Então, como devemos pensar sobre o alinhamento entre TI e negócios?

Pense em quantificar o que os negócios e a TI agregam à empresa. Isso quando trabalham sozinhos e quando trabalham juntos. O ponto principal é o entendimento de que ao trabalharem juntos, ambos alcançarão mais. Portanto, uma organização mais bem-sucedida cria uma equipe unificada. Ou seja, usa o melhor de todas as habilidades e recursos disponíveis. Assim, cada funcionário pode trabalhar com mais inteligência. Consequentemente, cada cliente tem uma experiência melhor.

Benefícios de alinhar TI e negócios

Alinhar TI e negócios resulta em inúmeros benefícios:

  • Reduza as despesas de TI. Pelo menos 10% dos gastos de TI não beneficiam as metas de negócios;
  • Aumente a colaboração;
  • Ganhe visibilidade nas áreas problemáticas;
  • Melhore o ROI ajustando os investimentos;
  • Acelere o tempo de colocação no mercado;
  • Sincronize todas as unidades para se tornar ágil;
  • Aprimore o seu setor e os conhecimentos dos funcionários;
  • Alcance sua estratégia;
  • Tome decisões mais inteligentes em todas as áreas.

Todos esses benefícios resultam em melhores experiências para o cliente. Em consequência, seu retorno financeiro aumenta. 

Alinhamento TI-negócios: melhores práticas

Falar sobre alinhamento e alcançá-lo são duas coisas distintas. Afinal, o verdadeiro alinhamento entre TI e negócios é difícil. Principalmente porque é cultural. E mudanças culturais podem parecer fáceis. Muitos pensam em pendurar cartazes baseados em valores. Talvez incentivar encontros entre departamentos. No entanto, esses esforços raramente têm sucesso.

Ao invés disso, alcançar o alinhamento requer estratégia. E essa estratégia deve ser um processo iterativo: 

  • Definir uma mudança;
  • Colocá-la em prática;
  • Observar seu desempenho;
  • Decidir se deve ajustá-la. 

Considere o ciclo seguinte:

Planejar > Executar > Verificar > Agir para implementar a mudança

Para alinhar TI e negócios, considere estas práticas recomendadas:

Mude seu pensamento e seu fazer. A maioria das empresas é isolada. Portanto, especialistas em marketing raramente trabalham com TI. Além disso, as duas equipes raramente sabem como as vendas conversam com os clientes. 

Portanto, pense em todas as unidades de negócios, incluindo tecnologia, como um ciclo estratégico contínuo. Mudar o mindset significa que as equipes começam a entender as outras equipes. Assim, podem funcionar melhor aumentando a eficiência e reduzindo o risco.

Veja a TI como um instrumento para a transformação dos negócios. Contudo, se você está perguntando se ela pode apoiar outras unidades de negócios, você ainda está seguindo uma abordagem isolada. Não faça isso. Adicione TI a essas outras unidades de negócios. Afinal, cada uma é igualmente capaz de transformar o negócio. 

Integração

Dessa forma, integre equipes para combinar unidades de negócios. Aproveite para explorar os fluxos de receita que a própria TI pode impactar diretamente. Faça da experiência do cliente o fator nº 1. Ou seja, cada unidade de negócios deve trabalhar para melhorar a experiência do cliente. Alinhar todos sob uma linguagem e metas comuns que dão suporte direto ao cliente torna mais fácil quebrar os silos disciplinares tradicionais. Por exemplo, o departamento de vendas fala diretamente com os clientes, é claro. Contudo, os profissionais de marketing e desenvolvedores de produtos também. Portanto, garanta que sua equipe de TI se concentre diretamente no cliente.

Outra prática é usar um único idioma. Cada setor e cada empresa têm sua própria linguagem. Afinal, unidades de negócios entendem outras BUs e o pessoal voltado para a tecnologia têm mentes tecnológicas. Entretanto, linguagens separadas tendem a mantê-los separados. Portanto, ajude a desmistificar o que cada equipe faz. Comece padronizando a linguagem da sua empresa em todas as equipes.

Dicas

Seja igualmente transparente para todos os departamentos. Decisões executivas e administrativas devem ser transparentes (tanto quanto possível). 

Quais são os bons investimentos que a empresa está fazendo? 

Que investimentos tiveram resultados ruins? 

Sabe qual é a melhor forma de saber se existe clareza? Checando se as equipes concordam ou entendem uma decisão gerencial ou executiva recente. Se parece que o CTO simplesmente confiou em seu instinto ou se seu gerente escolheu favoritos, isso é uma grande dica de que você não está sendo tão transparente quanto sua equipe precisa.

Alterne os funcionários de TI e de negócios para estimular a compreensão. Um programa de orientação interno simples dá suporte a funcionários de TI para isso. 

Exemplo:

Coloque um vendedor com uma equipe de desenvolvimento. em contrapartida, sente um agente de help desk com a equipe de marketing por algumas semanas.

O aprendizado resultará em um melhor entendimento que preencherá a lacuna. Essas relações interdisciplinares também ampliam o pensamento. Isso, por sua vez, resulta em inovação.

Promova uma cultura vibrante e inclusiva

A cultura da empresa não é a única chave para alcançar o alinhamento. Porém, é um componente importante. Pare de realizar happy hours apenas para vendas. Também, deixe de pedir pizza tarde da noite apenas para o help desk. Ao invés disso, promova o intercâmbio entre departamentos formal e informalmente. Agende eventos de conversação e séries de palestras. Use o dinheiro da empresa para incentivar reuniões multifuncionais. Faça isso em um nível 1: 1, comprando um almoço ou café quando um profissional de TI e um profissional de negócios saem juntos. Ou ofereça um orçamento extra para fazer isso em uma equipe.

Compreenda a mudança humana

Reserve algum tempo para aprender como os humanos aceitam a mudança. Em seguida, observe os processos de gestão que podem informar o que funciona para as pessoas. Além do que não funciona, é claro.

Crie um plano de alinhamento

Isso, antes de embarcar ad hoc em sua jornada de alinhamento. Considere usar frameworks. Assim, seus esforços de alinhamento serão estratégias reais::

Gerenciamento de Mudanças Organizacionais (OCM): Oferece uma maneira de reorganizar sua TI dependendo do propósito.

O alinhamento é suficiente ou precisamos de convergência?

Há quem questione se o alinhamento entre TI e negócios é suficiente. Considerando o valor de face, o alinhamento pode significar que:

  • Duas entidades permanecem separadas. Contudo, trabalham em conjunto. 
  • Já a convergência sugere que as equipes se movam em direção a uma união real.

Portanto, ao convergir ou integrar, as unidades de TI e de negócios se fundem. Dessa forma, princípios do Agile e DevOps se aplicam totalmente à organização.

Sobre gaps

Uma maneira de fechar a lacuna é com gerentes de relacionamento comercial (BRMs) especializados. Afinal, eles ajudam a integração entre diferentes grupos para desenvolver e nutrir relacionamentos. Pense nessa equipe como embaixadores ou diplomatas. Ou seja, entendem cada conjunto de habilidades ou filosofia da equipe. Assim, ajuda todos que trabalham com eles a dar uma olhada por dentro. Isso resulta em relacionamentos melhores para todos.

Agora você já entende  a importância do alinhamento entre TI e negócios. Portanto, vamos mergulhar no tema. Assim, você não terá dúvidas na implementação.

Business e TI

A TI é fator-chave de sucesso para qualquer empresa. No entanto, executivos de TI sempre apontam o alinhamento entre TI e negócios como sua principal preocupação. Portanto, os insights a seguir buscam mudar isso. Esses incluem:

  • Aplicação de políticas e estratégias em empresas mais complexas. Como uma empresa multi-negócios ou uma empresa multinacional;
  • Alinhamento nas PME com recursos limitados;
  • Relação ou ‘ajuste’ entre o alinhamento e a estratégia de negócios;
  • Efeito da terceirização de TI no alinhamento;
  • Aspectos sociais do alinhamento: cultura, percepções, etc.

Conceito do alinhamento entre TI e negócios

O desafio de ‘ajustar’ soluções de TI aos requisitos de negócios não é novo. Afinal, ele surgiu junto com os sistemas de informação nas organizações. Inclusive, foram criadas metodologias de planejamento TI para lidar com este desafio.

Apesar da importância do tema, há poucas definições claras. Contudo, existem duas conceituações prevalecentes do problema de alinhamento. Um é o planejamento e integração de objetivos e alinhamento de visões. Ou seja, o grau em que os objetivos de negócios são suportados pela de TI. 

Estratégia

Um conceito mais holístico traz o Modelo de Alinhamento Estratégico. Este diz que a dimensão de ajuste estratégico diferencia entre foco externo, direcionado para o ambiente de negócios, e foco interno, direcionado para estruturas administrativas. A outra dimensão separa negócios e TI. Ao todo, o modelo define quatro domínios para alcançar o alinhamento. Cada um desses domínios traz:

  • Escopo;
  • Competências
  • Governança;
  • Infraestrutura;
  • Processos;
  • Habilidades.
Insights sobre alinhamento entre TI e negócios

Vamos avaliar os insights conhecidos sobre o tema? Assim, podemos identificar as questões em aberto. A análise está dividida em duas partes. Primeiro, vamos analisar o seguinte:

Qual é o resultado que obtemos com o alinhamento?

Depois, analisaremos a questão de como alcançar o alinhamento.

Resultado do alinhamento

BIA se refere ao alinhamento da estratégia de negócios. Isso inclui planos, prioridades e estratégia de TI. Vale lembrar que vários especialistas confirmam:

Organizações que se alinham sua estratégia de negócios e de TI superam seus pares não alinhados.

Portanto, essa relação é uma área de preocupação relevante. Pense que estratégias de negócios são ‘defensores’. Ou seja, visam reduzir custos maximizando eficiência das operações. Contudo, evitando a mudança organizacional. Existem então os “prospectadores”. Estes são líderes inovadores. Aqueles que reagem primeiro às mudanças no mercado. Depois temos os “analisador”. Ou seja, que observam de perto as atividades do concorrente. Eles também avaliam cuidadosamente as mudanças.

Confira a seguir as estratégias de TI  correspondentes a essas estratégias de negócios:

Eficiência

A TI é orientada para eficiências internas e melhor tomada de decisão. Esta estratégia combina bem com a estratégia de negócios do defensor. 

Flexibilidade

Corresponde à estratégia do prospector. Afinal, se concentra na flexibilidade e tempo do mercado.

Abrangência

Combina com a estratégia do analisador. Isso porque permite respostas rápidas e tomadas de decisão abrangentes. Tudo com base em conhecimento das situações de mercado e outras organizações.

No entanto, existem outras definições bastante usadas. Por exemplo, a que identifica três estratégias usadas por empresas líderes:

  • Excelência operacional;
  • Liderança de produto;
  • Intimidade com o cliente.

Confira a seguir:

Excelência operacional

Aqui, o sucesso da empresa é baseado na obtenção de altos volumes em custos baixos. Ou seja, investimentos em TI que criam eficiência nos negócios. Por exemplo, um sistema ERP que otimiza a utilização de recursos. Inclusive, estes são bem relevantes neste tipo de estratégia. 

Liderança de produto

Estratégia que foca a alta qualidade de seus produtos e serviços. Contudo, nessas empresas, a capacidade dos sistemas de TI tem mais valor que a eficiência. 

Intimidade com o cliente

É quando a empresa prefere sistemas de TI que permitem adaptar tudo às necessidades do cliente. Um exemplo poderia ser um aplicativo de gerenciamento para um varejista de moda. Pense que este permite registrar as medidas, preferências e histórico de compras de clientes individuais.

Existe ainda quem use a tipologia ‘Conservadora’ – ‘Essencial’ – ‘Inovadora’. Na verdade, todas as estratégias de TI podem ser relevantes para todas as estratégias de negócios. Algumas combinações, no entanto, parecem ser mais óbvias.

Exemplo:

Em uma estratégia de excelência Operacional, estratégias conservadoras e essenciais de TI parecem ser dominantes. A estratégia inovadora fica, então, sub-representada. Em uma estratégia de intimidade com o cliente, as estratégias dominantes de TI também são conservadoras

e essenciais. Contudo, em ordem oposta. Além disso, a estratégia inovadora é mais presente nesta estratégia de negócio. Já na estratégia de liderança de produto, a estratégia de TI dominante é essencial. Aqui, a conservadora é sub-representada.

Dificuldades

Um problema prático com o alinhamento entre TI e negócios é a crescente dinâmica em mercados. Afinal, as empresas estão continuamente se adaptando às mudanças. Ou seja, alterações no mercado, tecnologia, preferências do cliente, etc. Por isso, a estratégia de negócios muitas vezes não é um alvo claro. Uma estratégia é, portanto, não um destino que jamais será alcançado. Ele fornece uma direção, não um destino. Ou seja, a implementação de estratégias de negócios também é um processo contínuo. 

“A mudança infindável e rápida de estratégias de negócios e tecnologia torna alinhá-los tão difícil quanto pesquisar dunas de areia no Saara. Contudo, as organizações devem traçar “uma linha” na areia. Assim, poderão garantir que o processo de alinhamento entre TI e negócios seja adequadamente gerenciado. ” (Luftman, 2003).

Para CIOs

Portanto, a relação entre TI e negócios fica ainda mais complexa em organizações que têm atividades em mercados distintos. Um problema para esses CIOs é que a TI precisa atender diferentes departamentos com dinâmicas distintas. Afinal, cada divisão de negócios tem seus próprios requisitos de negócios. Contudo, a TI exige padrões de custo-benefício.

Dessa forma, a TI pode criar uma vantagem competitiva para as organizações de curta duração. Portanto, insustentável, se resultar só da implantação de tecnologia superior. Isso se deve ao mercado bem desenvolvido para soluções de TI. Afinal, este torna qualquer solução facilmente disponível para concorrentes. Portanto, foi sugerido que o valor competitivo de TI resulta não da tecnologia em si. Mas da sua gestão e alinhamento.

“O valor competitivo de TI resulta não da tecnologia em si. Mas da sua gestão e alinhamento.”

Como conseguir o alinhamento?

Alinhar a TI aos negócios não é apenas um processo metodológico. Afinal, requer processos, estruturas, capacidades, relacionamentos e estratégias. Conheça seis critérios para alcançar alinhamento entre TI e negócios.

Variável de maturidade BIADescrição 
ComunicaçãoQuão bem as equipes técnica e comercial se entendem? Elas se conectam facilmente e com frequência? A empresa se comunica de forma eficaz com consultores, fornecedores e parceiros? Isso dissemina o aprendizado organizacional internamente?
Medição de valorO quão bem a empresa mede seu próprio desempenho e o valor de seus projetos? Depois que os projetos são concluídos, eles avaliam o que deu certo e o que deu errado? Eles melhoram os processos internos para que o próximo projeto seja melhor?
GovernançaOs projetos realizados fluem de uma compreensão da estratégia de negócio? Eles apoiam essa estratégia? A organização tem transparência e responsabilidade pelos resultados dos projetos de TI?
ParceriaAté que ponto os departamentos de negócios e TI formaram verdadeiras parcerias com basena confiança mútua e no compartilhamento de riscos e recompensas?
Escopo e ArquiteturaQuanto a tecnologia evoluiu para se tornar mais do que apenas suporte? Como ajudou o negócio a crescer, competir e lucrar?
HabilidadesA equipe possui as habilidades necessárias para ser eficaz? Quão bem a equipe técnica entende os motivadores de negócios e fala a linguagem da empresa? Como fazer a equipe de negócios entender os conceitos de tecnologia relevantes?
Maturidade

Um alinhamento maduro entre TI e negócios requer o desenvolvimento equilibrado de todos os seis blocos de construção. Ou seja, ninguém pode ficar de fora. Esse modelo (Luftman) fornece uma visão abrangente. Portanto, dá uma boa visão sobre as características dos diferentes níveis de maturidade. No entanto, o que ele não fornece são intervenções específicas para alcançá-los. Afinal, Intervenções práticas precisam saber como o alinhamento é influenciado. 

De qualquer forma, vamos usar este modelo para analisar os insights conhecidos. O mesmo para questões sobre como o alinhamento pode ser alcançado. 

Comunicação

A comunicação eficaz é um elemento-chave do alinhamento. Afinal, uma empresa pode ser considerada como “alinhada” quando todos os funcionários têm objetivos comuns. Isso, além de visão compartilhada e compreensão de como suas funções pessoais apoiam a estratégia geral.

Além disso, para dividir pontos de vista entre negócios e TI é preciso haver a comunicação ativa. Ou seja, clareza sobre necessidades, visão, valores, objetivos e métodos de cada um. Portanto, o sucesso na colaboração empresarial depende do compartilhamento e da troca de recursos. É o caso do conhecimento pessoal e experiência dos funcionários. Contudo, estes são difíceis de formalizar, comunicar, transferir e imitar. Ainda assim, são de valor estratégico intrínseco para a organização.

Eficácia

A comunicação eficaz nas organizações requer estruturas e processos de comunicação. Um framework muito usado é a Biblioteca de Infraestrutura de Tecnologia da Informação (ITIL). ITIL é um conjunto de conceitos e políticas para gerenciamento de infraestrutura. Isso, além do desenvolvimento e operações de TI. Ela fornece uma descrição detalhada de um número de importantes práticas de TI. Tudo com listas de verificação abrangentes, tarefas e procedimentos adaptáveis. 

Outras estruturas de melhores práticas também fornecem insights úteis.

Confira a seguir:
  • Biblioteca de Aquisições de Serviços de Informação (ISPL);
  • Biblioteca de Serviços de Aplicativos (ASL);
  • Método de Desenvolvimento de Sistemas Dinâmicos (DSDM);
  • Capability Maturity Model (CMM / CMMI);
  • Objetivos da Informação e Tecnologia Relacionada (COBIT).

Essas estruturas baseadas em práticas recomendadas fornecem processos para criar oportunidades de comunicação. Entretanto, seu uso não garante nada. Afinal, a eficácia da comunicação é determinada pela interação humana. Existem vários problemas que afetam a comunicação entre TI e negócios.

Por exemplo:
  1. Empresa está muito ocupada para entender a TI;
  2. Terceirização impacta a comunicação e compreensão;
  3. Escopo como o início do diálogo; 
  4. Confiança como promoção da compreensão;
  5. Linguagem e nomenclatura usadas na comunicação;
  6. Melhor compreensão do negócio pela TI. 

Além disso, a comunicação entre essas áreas não é direta. Portanto, tensões entre todos os participantes transformam a comunicação em negociações apaixonadas. Além da obtenção de consensos, que dificultam o gerenciamento das expectativas. Para remover essas tensões, encontros cara a cara entre os profissionais devem ser promovidos.

Contudo, lembre-se: a comunicação e cooperação interpessoal também são influenciadas por valores e crenças dos participantes. Portanto, a cultura também influencia o alinhamento entre TI e negócios. 

Mas não apenas a cultura pessoal impacta no alinhamento. Também deve-se esperar que as culturas corporativas impactem na comunicação. 

Medição de valor

O alinhamento deve compensar. Simples assim. Afinal,  organizações que alinham TI e negócios superam concorrentes não-alinhados. No entanto, ser capaz de demonstrar valor é um alicerce de maturidade de alinhamento. Esse valor da TI é um tema muito debatido. Várias pesquisas indicam que a questão de medir os benefícios dos investimentos em TI é uma preocupação em muitas organizações.  Por exemplo, medir os benefícios e o valor da TI é frequentemente uma das questões mais importantes para os CIOs. 

Por isso, pesquisadores e profissionais criaram vários modelos e métodos de avaliação para capturar esse valor. Portanto, existem mais de 50 métodos para tal.

De qualquer forma, a conclusão é que a TI pode ser um impulsionador de valor. Entretanto, a mudança é necessária para que os benefícios sejam realizados. O valor, portanto, depende do contexto organizacional e do investimento, projeto ou ativo de TI disponível. 

Investimentos

Assim, é fundamental combinar os investimentos em TI com o contexto estratégico da empresa. Outra conclusão é que o valor nem sempre é quantificável em termos monetários. Portanto, métodos multicritério podem ser usados. Afinal, visam identificar diferentes aspectos relevantes de valor e risco. 

O método multicritério mais importante é a economia da informação. Inclusive, é adequado para avaliar um único projeto, bem como um portfólio de projetos. Afinal, suas características são normalmente não correspondidas pelas características do método de avaliação. Portanto, recomenda-se um modelo de decisão conceitual para selecionar o método de avaliação adequado. No entanto, este deve ser baseado em um conjunto simples de características do investimento. Ou seja, não se deve tentar avaliar investimentos incomparáveis ​​com os mesmos critérios. 

Governança

A Governança de TI visa garantir que a área esteja alinhada à estratégia de negócios. E, portanto,  em conformidade com as normas e regulamentos. Governança de TI consiste na capacidade organizacional exercida pelo conselho, gestor executivo e de TI para controlar e implementar a estratégia de TI de acordo com a de negócios.

Portanto, a governança tem como objetivo alinhar os departamentos. Mais especificamente, Governança de TI são as estruturas, processos e mecanismos que permitem uma organização para alinhar negócios e TI.

De Haes e Van Grembergen (2008) avaliaram a relação entre governança de TI e BIA. Eles descobriram que as organizações com práticas de governança de TI maduras também têm um nível mais alto de maturidade de alinhamento. Ou seja,  governança de TI e a BIA estão relacionadas. 

Elementos-chave da governança de TI

Princípios da TI

Declarações de alto nível sobre como a TI é usada na empresa.

Arquitetura de TI

Um conjunto integrado de escolhas técnicas, políticas e regras para o uso de TI. Visa orientar a organização a atingir os objetivos do negócio;

Estratégias de infraestrutura de TI

Regras coordenadas pela  TI. Contudo, são compartilhadas por toda a empresa como um serviço confiável.

Necessidades de aplicativos de negócios

Especificar as necessidades de negócios para aplicativos e sistemas de TI.

Investimento e priorização de TI

Decisões sobre investimentos em TI. Isso inclui priorização e justificativa de projetos.

Existem três modelos de governança de TI de sucesso:

1. Lucro e crescimento

Tomada de decisão centralizada, orientada pelo negócio. Baseada em necessidades específicas descentralizadas.

2. Retorno sobre ativos

Tomada de decisão centralizada pela TI, com base na priorização do negócio.

3. Modelo misto

Consistindo na tomada de decisão duopolítica por negócios e TI juntos. Ao menos, na maioria dos problemas.

Parceria

Talvez o “pilar” mais intangível de alinhamento seja a parceria. Afinal, inclui as visões compartilhadas, percepções e objetivos dos executivos de negócios e TI. Especialmente, porque levanta a questão:

O alinhamento é unilateral, da TI para negócios? Ou deve ser bidirecional, com TI e negócios influenciando mutuamente entre si?

As metodologias tradicionais de planejamento de TI geralmente consideram os negócios como guia de TI. Já a influência mútua entre negócios e TI prevalece no pensamento de hoje sobre BIA. Afinal, é necessário que a TI desafie o negócio. Ou seja, não deve simplesmente implementar sua visão.

A percepção do papel da TI nos negócios levanta outra questão:

Como a gerência (sênior) percebe o impacto da TI?

Pois este impacto pode estar no posicionamento externo ou nos processos internos. Portanto, as diferentes estratégias de TI podem ser categorizadas como:

Em geral, uma estratégia de TI conservadora equivale de forma consistente com uma capacidade de alinhamento baixo. Contudo, uma estratégia essencial ou inovadora associa-se a uma capacidade de alinhamento relativamente alta. Ou seja, a maturidade do relacionamento tem a ver com a maturidade do BIA. 

Ainda assim, percepções de maturidade de negócios da BIA podem ser diferentes. Afinal, executivos de negócios tendem a pontuar alinhamento mais alto do que os de TI. Além disso, as parcerias também podem ser influenciadas pela terceirização de TI.  O alinhamento estratégico é geralmente o terreno da gestão. No entanto, a terceirização de TI altera isso. Como resultado, o alinhamento estratégico torna-se mais difícil de alcançar e controlar. Ou seja, demanda mais tempo e energia para ser satisfatório. 

Escopo e arquitetura

As arquiteturas de negócios e processos são fundamentais para a realização do alinhamento entre TI e negócios. Contudo, a arquitetura por si só não é suficiente. Afinal, outro aspecto deste bloco de construção da BIA é o escopo dessas arquiteturas. 

Um aspecto do “escopo” é a questão de saber se o alinhamento é direcionado. Por exemplo, é direcionado a uma unidade de negócios ou uma divisão? Ou será ele direcionado à organização como um todo. Compreende parceiros externos? 

Embora, à primeira vista, a resposta seja organização, Luftman (2000) discorda. Segundo ele, o nível mais alto de maturidade do alinhamento chega quando o escopo da TI é a organização e seus parceiros externos.

Habilidades

Nada adiantará se sua empresa não tiver capacidade de execução. Isso inclui as habilidades e as competências da empresa como um todo. Sem deixar de lado profissionais individuais, para desempenhar e entregar resultados.

Ou seja, profissionais de TI não podem focar apenas nos aspectos técnicos. Ele também precisa ter habilidades sociais e conhecimento empresarial. Afinal, só assim continuará agregando valor ao negócio.

 “O cenário mutável da TI exige profissionais com uma forte combinação de visão comercial e tecnológica”.  Morneau (2006)

Portanto, espera-se que as competências pessoais devem aumentar mais do que as técnicas.Por isso, existem facilitadores de alinhamento. Por exemplo:

  • Suporte de executivos que não são de TI;
  • Executivos de TI capazes de definir e comunicar sua visão e estratégias.
Compreensão

Contudo, isso requer que profissionais de negócios entendam as oportunidades que a TI oferece aos negócios. Ou seja, precisam ter um certo nível de competência de TI.

Esta é definida como: conjunto de conhecimentos explícitos e tácitos relacionados a TI que um gerente de negócios possui. Este lhe permite exibir liderança de TI em sua área de o negócio. Entretanto, ter conhecimentos de TI ainda não se tornou requisito básico para cargos de alta administração.

Afinal, isso traz implicações para profissionais individuais. Contudo, também impacta organizações e educadores. Estes podem precisar redesenhar seus currículos para incluir as competências exigidas do “novo” profissional de TI. Para as empresas, significa incluir treinamentos e cursos sobre habilidades sociais e conhecimento de negócios para seus profissionais. Para organizações maiores, isso pode ser apenas um acréscimo à suas políticas de RH. Já para organizações menores, torna-se ainda mais difícil manter competência neste domínio. Afinal, PMEs não têm escala para empregar especialistas de alta qualidade. Portanto, não dispõem de conhecimento para alinhar negócios e TI. Nesse caso, a BIA vira responsabilidade de um “faz-tudo” na empresa.

Nessa realidade, as crises são tratadas como e quando surgem. Contudo, essa política reativa impulsionada pela crise está muito longe de uma estratégia de TI consistente. Afinal, a TI não consegue apoiar a estratégia de negócios.

Conclusão

O alinhamento entre TI e negócios ainda é um desafio importante para muitas empresas. Contudo, os insights acima podem ajudar.  Especialmente com um guia de conhecimento da BIA. Afinal, o sucesso futuro das organizações depende de sua capacidade de inovar. Isso, além de melhorar seus negócios continuamente. A TI é a chave para fazer isso. Portanto, a chave para o sucesso futuro.

Fontes:

BMC

Schloss Dagstuhl

Leia mais:

Service Desk ou Help Desk: Entenda qual é o melhor para você

Principais tendências de outsourcing TI para 2019

Benefícios do Cloud Computing para empresas

Já vai?

Receba conteúdos exclusivos e gratuitos direto no seu e-mail, para ler sem pressa ;)

FALE
COM UM
ESPECIALISTA

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

FALE
COM UM
ESPECIALISTA

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Acesse informação exclusiva para nossos clientes e esteja informado. Conheça as técnicas, ferramentas e estatísticas do mercado, de graça, e no seu email.
É só preencher o formulário para acessar.

Receba Gratuitamente

Passo 2
0%

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.