Por Juliana Gaidargi em 25/06/2019 em Gestão de TI, Negócios

Hoje em dia é uma prática bastante comum terceirizar funcionários ou departamentos inteiros. Essa abordagem tem sido garantia de sucesso para pequenas, médias e grandes empresas. Afinal, com a terceirização de atividades, a empresa se vê livre de preocupações rotineiras. Como, por exemplo, despesas com seleção e contratação, além das relacionados ao treinamento, rescisão de contrato e impostos em geral. Por isso, a terceirização de TI, em especial, cresceu substancialmente nos últimos anos.

Entendendo a terceirização

A terceirização, também conhecida como Outsourcing, consiste em contratar fornecedores externos para exercer funções na empresa. 

Até pouco tempo atrás, a terceirização era adotada somente na execução de funções que não se relacionavam com core business da empresa. Por exemplo, a área de limpeza, manutenção de equipamentos e alimentação. Estas são consideradas atividades-meio. Ou seja, funções não essenciais ao negócio. A razão dessa parcimônia era a ilegalidade de se terceirizar atividades-fim. 

Infográfico Modelos de Suporte Técnico Para Contratar

Atividades-fim consistem em funções que são essenciais ao funcionamento da empresa. Ou seja, o jornalista em um jornal. Contudo, recentes mudanças nas leis trabalhistas tornaram legal a terceirização do core business. Ou seja, uma firma de advocacia pode terceirizar advogados, da mesma forma que uma empresa de contabilidade pode terceirizar seus contadores. 

Independentemente disso, a terceirização já era autorizada em áreas críticas, como o departamento financeiro e o de TI. A terceirização de TI inclui funções como processamento de dados, manutenção de data center, desenvolvimento de aplicativos e gerenciamento e operações de rede, entre outras.  

A terceirização de TI se popularizou porque a prática otimiza o desempenho do parque tecnológico enquanto mitiga despesas com pessoal.

Há diferença entre terceirização de TI e outsourcing? 

Na verdade, terceirização de TI e outsourcing de TI são exatamente a mesma coisa. Ou seja, as duas terminologias compreendem a prática de delegar a outros a execução de tarefas.

Para ficar mais claro, a terceirização da TI se dá quando uma organização contrata uma empresa de TI para executar atividades específicas. Estas costumam englobar o atendimento a usuários, segurança da informação, gestão de servidores, operações de data center, recuperação de desastres, manutenção e desenvolvimento de aplicativos e gerenciamento de operações de rede.

Ou seja, a terceirização de TI tem como meta transferir funções a especialistas. Dessa forma, pode aprimorar os processos tecnológicos da contratante. Algumas empresas de TI, como a Infonova, por exemplo, incluem em seu pacote de serviços a seleção e contratação de profissionais para garantir a resolução de problemas full time. 

A reforma trabalhista

Em 2018, o Supremo Tribunal Federal (STF) tornou constitucional a terceirização de atividades-fim. Ou seja, qualquer função, com exceção de atividades relacionadas a vigilância e transporte de valores, pode ser terceirizada. 

Entretanto, diferente do que acontecia antes, a reforma torna ilegal atribuir aos contratados funções diferentes daquela para a qual foi contratado inicialmente.  Ou seja, acúmulo de funções se tornou inconstitucional.

Dessa forma,  gestores de empresas precisam ter uma visão estratégica do negócio antes de contratar pessoal terceirizado. Entretanto, esse planejamento, para ser assertivo, precisa considerar quais objetivos deseja-se atingir através da terceirização. 

Vale ressaltar que, salvo peculiaridades, processos trabalhistas relacionados à terceirização de atividades-fim passaram a ter veredictos favoráveis às empresas. Porém, esse entendimento só é aplicável a ações que em trâmite após a mudança na lei. Ou seja, o STF não autorizará a reabertura de processos trabalhistas já finalizados.

Quais são as atividades mais terceirizadas

Existem áreas nas quais a terceirização é o modelo de trabalho mais empregado. Confira as principais a seguir:

terceirização de ti top 5

A TI é mesmo importante?

Não faz muito tempo, a TI era considerada uma área de mero suporte à empresa. Ou seja, uma área que não era relevante para que o negócio atingisse seus objetivos. No entanto, pouco a pouco a TI passou de automatizadora de  funções a otimizadora de tarefas. Isso sem mencionar a eliminação de barreiras de comunicação e a contribuição para o desenvolvimento do negócio.

Dessa forma, a TI passou a ser um departamento estratégico nas empresas. E não sem justificativa. Afinal, a TI é capaz de aumentar os lucros ao mesmo tempo em que reduz custos operacionais. Especialmente com a terceirização de TI, que gera ainda mais economia, auxiliando a potencializar a lucratividade da empresa.

Para que serve?

Conforme qualquer empresário bem informado já deve ter notado, a infraestrutura de TI tem um aspectos de protagonismo na cadeia operacional. Afinal, quando bem implementada, pode impactar diretamente na capacidade da empresa: 

  • Atender clientes;
  • Inovar nos serviços oferecidos;
  • Alcançar um nível de eficiência mais alto. 

Ou seja, a terceirização de TI permite que equipes internas se concentrem nas demandas essenciais ao negócio. Não obstante, a terceirização de TI permite à empresa ter acesso a tecnologia de ponta. Isso, além de aumentar a flexibilidade e gerar economia. Por isso, a terceirização de TI se tornou a melhor opção para empresas que visam mitigar custos e ampliar sua capacidade operacional. 

Checklist Nível de Excelência em TI

A terceirização de TI também viabiliza que o gestor otimize seus recursos. Dessa forma, ele consegue buscar maneiras mais econômicas para manter equipamentos de alta performance acessíveis na empresa. 

Isso é interessante porque, com a terceirização da TI, a empresa também pode:
  • Ampliar a sua capacidade de resposta às demandas do mercado;
  • Flexibilizar as suas rotinas;
  • Obter ganhos financeiros diretos;
  • Tornar os seus serviços mais escaláveis;
  • Contar com tecnologia de ponta e atualização tecnológica.

Por que investir?

Existem muitas razões para se terceirizar a TI. Mas algumas delas se destacam por conta de sua capacidade de aumentar a competitividade da empresa.

Afinal, dentro do contexto adequado se implementada com eficiência, a terceirização de TI pode ser uma maneira incrível de aumentar a produtividade. Isso, sem mencionar o reforço aos resultados financeiros da empresa. Entretanto, isso não quer dizer que essa prática não tenha desvantagens também. 

A verdade é que a terceirização de TI não é a solução para todos os problemas de uma empresa. Portanto, é imprescindível refletir antes de investir sua energia e tempo na criação de vagas de TI.

Afinal, embora seja muito importante, o departamento de TI não encontra-se livre de falhas. 

Dessa forma, ao se depararem com situações que não conseguem sanar com os recursos que já têm, os gestores de TI têm duas escolhas:

  1. Esperar a disponibilidade de sua equipe interna;
  2. Terceirizar a TI.

Contudo, existem vantagens e desvantagens em ambas as abordagens. Afinal, toda empresa, independentemente de sua área de atuação, depende da tecnologia para funcionar. A tecnologia da informação em especial. Afinal, ela engloba a área responsável por administrar e integrar hardwares, softwares e auxiliar a organização em relação à gestão de dados e estratégias de negócio. 

Em geral, tais estratégias incluem a redução de despesas. E esse fator costuma influenciar a escolha da terceirização de TI. Também porque, manter uma equipe de TI dedicada pode ser consideravelmente caro. Principalmente para pequenas e médias empresas.

Portanto, para tomar uma decisão acertada, é essencial estar bem informado. Confira a seguir alguns prós e contras da terceirização de TI :

Prós da terceirização de TI

1. Acesso a especialistas

A equipe interna de TI pode ser muito boa no que faz. Contudo, ninguém é absolutamente completo em termos de conhecimento tecnológico. Portanto, ao terceirizar funções específicas, as empresas podem aprimorar substancialmente seu desempenho. Isso, sem contar no acesso a habilidades diferenciadas de especialistas em várias área da TI.

Ou seja, com a terceirização pode-se desfrutar de uma equipe treinada multidisciplinar. Afinal, ela estará sempre atualizada e com profissionais distintos especializados em todas as áreas da TI. Tal conhecimento pode conferir ganho aos processos internos da empresa, além de mitigar riscos e aumentar a eficiência da empresa.

2. Projetos entregues mais rápido

Geralmente, as pequenas e médias empresas optam pela terceirização de TI porque as tarefas conseguem ser finalizadas em menos tempo. Além disso, as empresas podem terceirizar quando não dispõem dos recursos necessários para determinado projeto. Por exemplo, em uma expansão, a terceirização de TI é a alternativa mais viável para construir, do zero, uma infraestrutura de TI.

3. Foco no core business

Outro benefício da terceirização é a liberação de pessoal para fins estratégicos. Ou seja, ao delegar os processos de suporte à uma terceirizada, o gestor de TI pode concentrar seus esforços em ajudar a sua empresa a se tornar mais eficiente.

Através de uma governança, acordos de SLA e uma gestão de TI assertiva, a terceirização de TI confere, instantaneamente tempo para a equipe de TI local foque no que é mais importante para o negócio. Contudo, é importante ressaltar que isso não significa abdicação de responsabilidade administrativa.

4. Compartilhamento de riscos

A análise de risco é um dos fatores mais importantes em qualquer projeto. Com a terceirização de TI, projetos ou processos da empresa se beneficiam por meio da capacidade aprimorada de planejar e mitigar riscos potenciais da especialista.

5. Redução de custos

Como já é sabido, a terceirização de TI é uma prática mais econômica do que a contratação de funcionários permanentes em tempo integral. Afinal, a empresa consegue economizar tempo e dinheiro no processo seletivo. Não obstante, o lucro também aumenta, graças aos menores gastos indiretos.

Quando comparada ao custo de uma equipe e infraestrutura dedicada, a terceirização de TI traz uma vantagem enorme. Afinal, a empresa paga apenas pelo que usar. E não importa se a empresa já está bem sedimentada em sua área de atuação ou em expansão.

Redução de custos, uma busca contínua

Além disso, a empresa não precisa investir em equipamentos que logo se tornarão obsoletos. Afinal, a prestadora costuma dispor do necessário para os projetos. Isso, além de conhecer os melhores fornecedores. Portanto, com a terceirização de TI, uma empresa consegue incutir padrões de classe mundial à sua área de tecnologia. Afinal, os profissionais terceirizados precisam estar devidamente atualizados para serem alocados em um cliente. Além disso, ao contar com uma boa empresa de TI, a contratante também consegue contratos de compra e leasing de hardware e softwares mais vantajosos. 

Dessa forma, a terceirização de TI confere acesso à infraestrutura de baixo custo.Inclusive, esse é um dos benefícios mais atraentes da terceirização de TI. De acordo com um levantamento recente do Outsourcing Institute, foi reportado que, em média, houve uma redução de 9% nas despesas através da terceirização de TI.

6. Mais horas trabalhadas

Num modelo de terceirização de TI offshore, um dos principais benefícios é a diferença de fuso horário e feriados. Embora isso possa parecer um obstáculo inicialmente, trata-se de uma vantagem. Afinal, a TI da empresa estará funcionando praticamente 24 horas por dia.

7. Gestão de projetos simplificada

Com a terceirização de TI, a empresa ganha acesso a diversas plataformas dinâmicas e intuitivas. Estas, por sua vez, podem auxiliar na gestão de processos e cumprimento de prazos. Inclusive, boa parte do trabalho pode ser automatizada, liberando tempo para os colaboradores realizarem tarefas mais importantes.

8. Relações de trabalho estáveis

Com a terceirização de TI, a contratante reduz relações de trabalho através de arranjos contratuais simples. Afinal, geralmente contrata-se um funcionário terceirizado em caráter temporário. Isso, porque esse modelo viabiliza adicionar mais força de trabalho em momentos específicos. Não obstante, usar trabalhadores terceirizados protege os funcionários contratados em relação a flutuações na demanda. Ou seja, a empresa consegue estabelecer uma relação mais forte com sua força de trabalho regular.

9. Esforços direcionados e flexibilidade

Outra vantagem da terceirização de TI é a viabilidade do gestor  planejar e executar projetos mais eficazes e melhor direcionados. Isso é importante porque dá à empresa a oportunidade de assumir novos riscos e testar diferentes formas de exposição. Afinal, as empresas precisam ser flexíveis de forma a se adaptarem a um ambiente de negócios altamente mutável. Só assim é possível garantir que as funções de TI consigam atender rapidamente às demandas. 

E com a terceirização de TI a contratante tem acesso a uma enorme gama de recursos, capacidades e habilidades. Ao contrário de uma equipe interna de TI, que geralmente tem recursos limitados.

10. Acesso à tecnologia de ponta

A TI está em constante mutação e evolução. Portanto, é comum que as habilidades de um profissional da área se tornem obsoletas. A não ser que este esteja em atualização contínua. Afinal, não é novidade que softwares são rapidamente atualizados e substituídos diariamente. Portanto, assim que uma empresa termina de treinar sua equipe de TI em determinada tecnologia, ela já pode estar desatualizada.  

Não obstante, profissionais de TI internos tendem a ficar desatualizados naturalmente. E isso não se dá por falta de iniciativa ou desinteresse. Mas por estarem continuamente focados em sustentar a operação diária da empresa. Dessa forma, a terceirização de TI evita a necessidade de investir em treinamentos pontuais para os profissionais internos. 

11. Fundos de capital

A terceirização de TI também diminui a necessidade de investir em funções comerciais não essenciais. Portanto, o capital pode ser facilmente direcionado para as áreas críticas da empresa. A terceirização de TI  também pode melhorar o CAPEX e OPEX da empresa. Isso se dá por meio da eliminação da necessidade de demonstrar o retorno sobre o patrimônio de investimentos de capital em áreas não essenciais.

12. Mais lucro

A terceirização de TI pode, de acordo com o contrato,  incluir a transferência de ativos do cliente para a prestadora. Ou seja, a empresa pode vender equipamentos e licenças utilizadas ​​nas operações ao fornecedor. Isso, por sua vez, resulta em pagamento em dinheiro ao contratante.

Contras da terceirização de TI

1. Menos controle

É sabido que ao trabalhar com terceirizadas ou freelancers, a empresa pode perder parte do controle de como as tarefas são realizadas. Contudo, se o gestor conhecer e confia na prestadora escolhida, isso não representará um grande problema. Entretanto, escolher a melhor provedora de TI deve ser uma prioridade. Para fazer isso, o ideal é pesquisar aquelas que têm o melhor feedback de seus clientes

Ebook Cases de Sucesso de Clientes

2. Custos ocultos

A terceirização de TI costuma ser vista como a forma mais barata de manter uma equipe de tecnologia. Entretanto, ocasionalmente custos ocultos podem acabar encarecendo o serviço. Dessa forma, é crucial ler o contrato com muita atenção a fim de descobrir quais despesas estão inclusas no fee mensal. Afinal, na maioria das provedoras de outsourcing, serviços não especificados no contrato tendem a gerar valores adicionais. O problema dos custos ocultos é especialmente ruim quando a terceirização de TI se dá no modelo  offshore. Afinal, nesse modelo, simples consultas telefônicas para resolução de problemas urgentes podem gerar cobranças adicionais.

3. Riscos de segurança

Na era em que a proteção de dados se tornou imperativa, ser cauteloso em relação a informações de clientes é fundamental. Contudo, ao terceirizar processos que demandem esse tipo de dado, pode-se colocar a privacidade de outras pessoas em risco. Ou, até mesmo, a segurança da empresa. Portanto, novamente, escolher bem a empresa de TI que irá contratar é essencial. Além disso, recomenda-se que o contrato inclua uma cláusula assegurando o pagamento de multa em caso ocorra de incidentes com os dados corporativos.

4. Menor controle de qualidade

Acredita-se que provedoras de serviços e alguns freelancers sejam motivados apenas pelo lucro. E isso, por sua vez, pode impactar na qualidade de seu trabalho. Afinal, quanto mais for feito, maior o pagamento. Mesmo que o trabalho não seja feito com o preciosismo esperado. Outro ponto de atenção é o fato de que mesmo que seja especialista em TI, um terceirizado não detém o mesmo nível de conhecimento do negócio que o cliente. Isso pode ser um problema na hora de planejar e executar projetos, causando atrasos e até despesas extras. Por isso é importante ter um SLA bem definido.

5. Encargos financeiros compartilhados

O compartilhamento de risco também tem seu lado ruim. Afinal, pode ser perigoso vincular sua empresa ao bem-estar financeiro de outra organização. Portanto, definir todos os termos e condições dos acordos contratuais com clareza é fundamental.

6. Percepção da empresa

Ainda tem muita gente que não vê com bons olhos  terceirizar a TI de outros países. Seja por considerar que o serviço é feito de forma inferior ou por achar que os estrangeiros estão roubando as vagas dos locais. Ou seja, terceirizar TI no exterior pode gerar má vontade dos consumidores.

7.  Expectativas desalinhadas

Uma desvantagem considerável na terceirização de funções específicas é o risco da parceira não alcançar as expectativas. É o caso de dificuldades em alinhar a agenda dos envolvidos em determinados projetos. Ou até mesmo de cumprir um cronograma.

8. Falta de foco

É comum que empresas de TI atendam vários clientes diferentes. Por isso, algumas demandas podem não ser atendidas com o foco necessário. Essa desatenção pode vir a gerar prejuízos à contratante, dependendo de seu grau.

9. Comunicação com ruído

A distribuição de instruções via e-mail ou telefone pode estar aberta a interpretação. E tudo que está aberto a interpretação está suscetível a erros. Portanto, essa falta de clareza na comunicação pode gerar perda de tempo e dinheiro.

10. Tensão nos colaboradores

Hoje em dia, uma das maiores desvantagens da terceirização de TI é a possibilidade de negar à equipe interna oportunidades de desenvolvimento. Afinal, crescimento gera crescimento e, ao terceirizar o serviço, a empresa pode deixar de contribuir para o crescimento de seu pessoal.

Uma vez que os prós e contras da terceirização de TI sejam devidamente estudados, o gestor será capaz de identificar qual é a melhor opção para sua empresa. Mas vale frisar que a terceirização de TI ajuda a manter a competitividade e lucratividade da empresa em termos gerais. 

Modelos de terceirização de TI

Agora que você já conhece os prós e contras da terceirização de TI, é preciso estar ciente dos modelos de terceirização existentes. Atualmente, existem três tipos principais de terceirização de TI:

Offshore 

Neste modelo, a manutenção de infraestrutura, desenvolvimento de softwares e suporte são oriundos de outros países. Em geral, escolhem-se países em franca ascensão tecnológica, como Índia, Rússia e China. Isso acontece por conta do baixo custo de profissionais capacitados nesses locais. Afinal, em épocas de economia instável, o baixo custo se torna um aspecto bastante atraente. Entretanto, essa prática pode gerar choques culturais e falhas na comunicação. Afinal, não apenas os costumes são diferentes, como também o idioma nativo. Essa é, inclusive,  a razão pela qual a Índia encontra-se entre os favoritos. Afinal, o inglês já é a segunda língua da população. 

Onshore 

Neste modelo, a terceirização é realizada no mesmo país, estado ou cidade. Isso ajuda a reduzir os impactos culturais e linguísticos. Portanto, essa é uma das modalidades de terceirização de TI mais utilizadas atualmente.

Nearshore 

Neste modelo, a terceirização se dá pela contratação de  profissionais em países vizinhos. Em especial aqueles com cultura e idioma similares ao da contratante. Estar no mesmo fuso horário também é um diferencial positivo. 

Além dos modelos básicos de terceirização de TI, deve-se considerar o formato em que o se dará o atendimento em si: 

  • Remoto;
  • Presencial;
  • Misto.

Terceirização de TI – Remota

Na terceirização de TI remota a solução de problemas simples costuma ser mais rápida e eficaz. Afinal, o suporte remoto pode ser realizado via softwares, ferramentas específicas ou da própria internet. Ou seja, através de uma conexão de rede ou web, o profissional de TI se conecta ao dispositivo para realizar os reparos necessários. Dessa forma, custos com deslocamento de especialistas se tornam desnecessários. Esse formato também permite que o profissional realize o diagnóstico de problemas, gerencie de recursos, verifique dados e sistemas e instale programas.

Em geral, as ferramentas usadas para o atendimento remoto são bastante seguras. Contudo, empresas maiores costumam preferir a VPN (Rede Privada Virtual). Afinal, nela a conexão é realizada diretamente entre um computador e o servidor de destino em uma espécie de “túnel protegido” na internet.

Ponto de atenção

Entretanto, independentemente do formato de implementação, para funcionar, todos os usuários devem ser orientados. Ou seja, o contato com o suporte sempre deve ser feito através de uma central única de atendimento. E cabe a esta encaminhar a solicitação ao profissional de TI disponível.

Isso é importante para a mensuração da quantidade de chamados abertos. Afinal, somente assim os gestores poderão controlar o SLA e o volume de produção dos profissionais de TI.

Terceirização de TI – Presencial

Na terceirização de TI presencial, as empresas ganham mais tempo para focar em seu core business. Afinal, ela contará com profissionais em TI full time. Estes, por sua vez, poderão acionar outros especialistas conforme a necessidade. Ou seja, toda a gestão de TI estará a encargo da terceirizada.

Além disso, a terceirização de TI presencial assegura o acesso à tecnologia de ponta, maior flexibilidade e economia de custos.

Terceirização de TI – Mista

Nesse modelo, aplicam-se os modelos remoto e presencial simultaneamente. Ou seja, a contratante pode ter a presença física de um profissional de TI em tempo integral na in loco. Isso, ao mesmo tempo em que pode acionar o atendimento remoto, conforme necessário. Inclusive, esse é o modelo mais adotado na maioria das empresas. Principalmente naquelas que entendem a necessidade de priorizar o bom funcionamento da TI, mas que não dispõe de uma infraestrutura capaz de manter uma equipe interna.

Funcionamento

A terceirização de TI mista funciona da seguinte forma: quando surge um problema que não pode ser resolvido remotamente, a empresa abre um chamado e aciona o suporte técnico presencial. O profissional selecionado para sanar o problema marca uma visita de avaliação. Dessa forma, o ideal é que a empresa faça um relatório básico listando todas as dificuldades antes da visita do técnico. Quanto mais detalhada, melhor. Afinal, assim não haverá o risco do usuário esquecer de algum aspecto do problema que poderia ajudar o técnico a solucioná-lo mais rapidamente.  

Após a etapa de análise, o profissional de TI começará a frequentar a empresa até que o problema seja plenamente sanado. Ou seja, o atendimento presencial se dá sob demanda, enquanto o remoto é contínuo.

A terceirização de TI para o negócio

É natural que as responsabilidades cresçam proporcionalmente à evolução do negócio. Contudo, a extrema competitividade do mercado atual pode prejudicar o cumprimento de tais responsabilidades. Afinal, na ânsia de se manter à frente da concorrência, muitas empresas perdem de foco o negócio em si. Ou seja, elas colocam a busca por inovação em segundo plano.

Por isso a terceirização de TI pode ser de grande auxílio para qualquer empresa. Afinal, a partir do momento em que a provedora fica responsável por manter a empresa ativa, os gestores podem focar novamente em seu core business. Além disso, com a redução de custos proporcionada pela terceirização de TI, é possível conferir ainda mais agilidade e lucratividade ao negócio.

Ponto de atenção

Entretanto, a terceirização de TI não se limita a pequenas e médias empresas que encontram-se em dificuldades de crescimento. A gigante DuPont contratou a Computer Science Corp. (CSC) e a Andersen Consulting por US $ 4 bilhões não faz muito tempo. O contrato englobou um período de 10 anos de desenvolvimento e gestão da TI da empresa. Contudo, o ideal é que esse tipo de contrato contemple, no máximo 3 anos. Afinal, a tecnologia da informação está em constante evolução e amarras por um tempo tão longo pode ser prejudicial à contratante.

Por exemplo, em 1965 um mainframe custava cerca de US $ 1 milhão. Contudo, atualmente, o mesmo mainframe, atualizado custa menos de US $ 30.000. Dessa forma, a previsão é que, mesmo com as devidas atualizações, esse equipamento venha a custar até 30% menos nos próximos anos.

Portanto, o gestor de TI precisa observar alguns pontos na busca por menores custos e melhor desempenho. Mas o principal deles é avaliar várias provedoras de TI a fim de negociar personalizações. Afinal, somente assim será possível atender as necessidades reais da empresa.

O que fazer?

Uma das maiores críticas que a terceirização de TI recebe consiste na alegação de que não existe uma fornecedora capaz de igualar o nível de excelência de uma operação interna. No entanto, isso não é verdade. Especialmente se a provedora escolhida tiver sido bem selecionada. Afinal, ela estará sujeira, mediante contrato, à mesma direção e controle de gestão que os funcionários internos.

Além disso, existem várias formas de garantir a qualidade dos serviços prestados. Tal como a confidencialidade de dados, por exemplo. Para isso, deve-se determinar SLAs claros e assinar cláusulas contratuais que assegurem o bem estar da contratante.

Como lidar com a equipe interna frente à terceirização de TI?

Ao longo dos últimos vinte anos, a terceirização de TI foi um dos temas mais debatidos no âmbito trabalhista. Em especial nos Estados Unidos, onde a terceirização é automaticamente ligada à contratação de pessoal estrangeiro para a realização de serviços de TI.

Frente a essa percepção, é natural que nacionalistas acreditem que a prática pode comprometer a geração interna de empregos. Ou seja, que a terceirização de TI seja a vilã que prejudica a população e a economia do país. Entretanto, enquanto nos EUA a terceirização de TI seja vista como ameaça, no Brasil as coisas são diferentes. Apesar de também possuir alguns aspectos que geram desconfiança nos trabalhadores, a terceirização de TI é muito bem aceita.

Adversidades

Porém, eventualmente, a terceirização leva a demissões. E isso pode assustar bastante os funcionários da empresa. Afinal, eles acabam enxergando a terceirização de TI como uma substituição. Contudo, isso só acontece em empresas que não tratam seus processos com transparência. Afinal, o mais comum é que a terceirizada trabalhe junto com a equipe interna. Caso não seja possível manter ambas as equipes, existe ainda um processo chamado rebadging. Este, consiste em profissionais para a prestadora de TI. Essa prática costuma ser vantajosa para todas as partes envolvidas. Afinal, a contratante se livra dos custos com gestão e manutenção de uma equipe interna. A provedora passa a gerir uma equipe já treinada no serviço. E os profissionais costumam ter um aumento significativo de salário.

Dessa forma, nota-se que a terceirização de TI conta com variados modelos e dimensões de implementação. Portanto, essa prática tende a ser garantia de prosperidade às empresas que a adotam. Afinal, ao manter uma equipe dedicada de TI, as organizações Têm de lidar com altos custos relacionados ao desenvolvimento e manutenção do departamento. 

A solução

A solução para tais desconfianças é complicada. Afinal, estar alinhado às demandas da sociedade moderna não é fácil. Em especial em tempos de crises econômicas. No entanto, algumas alternativas podem ajudar as empresas a obterem os melhores resultados possíveis. A terceirização de TI é uma delas. Afinal, além de manter um alto nível de qualidade no serviço, o modelo também resulta em economia financeira.

Isso porque manter uma equipe interna de TI é ainda mais complicado do que lidar com eventuais desconfianças por parte do corpo de trabalho. Afinal, a organização precisaria arcar com os custos de seleção, contratação e treinamento. Isso sem mencionar a infraestrutura física para que os profissionais de TI possam trabalhar. Não obstante, nem sempre os analistas contratados deterão o conhecimento necessário para lidar com problemas específicos. Ou seja, a necessidade de contratar alguém de fora para sanar problemas eventuais continuará existindo. 

Escolha bem

Enquanto isso, com a terceirização de TI,  a empresa tem acesso a profissionais treinados, atualizados e capacitados a atuar em variadas áreas da TI. Tudo de acordo com a necessidade do seu negócio. Esse é o tipo de serviço oferecido pela Infonova. O atendimento é personalizado, os preços são negociáveis e as necessidades do negócio são prioridade. 

empresa de ti infonova

Há riscos na terceirização de TI?

Antes de entrar nesse mérito, é importante ressaltar que os riscos fazem parte de qualquer negócio. Seja devido a variações de mercado, competitividade ou novas regulamentações governamentais, ou à contínua mudança na tecnologia em geral. 

Mas mesmo assim, a terceirização de TI é uma boa pedida. Afinal, os riscos são assumidos pela provedora e mitigados por conta da expertise da equipe. Dessa forma, a eficiência da empresa aumenta, assim como o ROI.

Ponto de atenção

Entretanto, há um fator que pode influenciar negativamente a experiência de uma empresa com a terceirização de TI. Por isso, é preciso fugir de empresas do setor que priorizem a redução de seus próprios custos em detrimento da qualidade no atendimento. Para isso, é importante conhecer o feedback de outros clientes em relação à provedora em questão. Afinal, ter referências de outras empresas é sempre um bom sinal. 

Também é importante que a provedora escolhida esteja disposta a adaptar o contrato de forma a atender ao máximo as expectativas da empresa. Ou seja, apostar em uma empresa, que assim como a Infonova, mantenha uma linha de comunicação aberta com o cliente é essencial. 

 Entre em contato com a Infonova

Uma vez devidamente informado sobre os aspectos reais da terceirização de TI, fica mais fácil tomar a melhor decisão para o seu negócio. Afinal, sabendo como a terceirização de TI pode manter a competitividade e lucratividade da empresa, os riscos nesse investimento são reduzidos.  Contudo, para alcançar esse objetivo, a empresa precisa estabelecer relações trabalhistas positivas com a terceirizada, transmitindo seus objetivos e metas com transparência desde o primeiro contato.