Blog Infonova

Informação para tomada de decisão

Resultado da pesquisa por: ""

Tudo sobre orçamentos de TI assertivos para 2022

Por Juliana Gaidargi em 12/04/2022 em Gestão de TI

Ao longo de 2020 e 2021, o surgimento do COVID-19 desencadeou mudanças globais e profundas no cenário tecnológico. Uma corrida mundial para o trabalho remoto se seguiu à medida que a pandemia se espalhou. Isso alterou permanentemente a quantidade de negócios do mundo, tal como a questão de definir orçamentos assertivos de TI nas empresas.

orçamentos TI

Felizmente, para ajudar os funcionários remotos a permanecerem produtivos enquanto trabalham em casa, os departamentos de TI resilientes e trabalhadores implantaram tecnologias essenciais para capacitar uma força de trabalho remota. No entanto, ao mesmo tempo, a crise global causou incerteza econômica em meio a bloqueios e interrupções inesperadas em sistemas bem estabelecidos. Isso levou muitas empresas a reduzir despesas não essenciais, incluindo alguns planos de gastos com tecnologia.

Para obter maior visibilidade do legado dessas mudanças à medida que as empresas se ajustam e se preparam para a nova dinâmica do mercado, a Spiceworks Ziff Davis (SWZD) examinou o cenário de TI pesquisando mais de 1.000 compradores de tecnologia em empresas na América do Norte e Europa.

De forma geral, as empresas esperam a continuação dos desafios relacionados à pandemia em 2022. Apesar desses obstáculos percebidos, esse grande anual que acompanha as tendências ao longo de vários anos revelou o seguinte: as empresas estão otimistas com o futuro e mais dispostas a investir em tecnologia agora do que nos últimos dois anos.

Principais insights
  • 61% das empresas esperam que suas receitas aumentem em 2022. No entanto, 8% esperam que as receitas diminuam.
  • Aceleração do crescimento do orçamento de TI: a maioria das empresas (53%) planeja aumentar os gastos com tecnologia ou manter os orçamentos iguais (35%) ano a ano.
  • A parcela dos orçamentos de TI alocados para nuvem e serviços gerenciados crescerá ano a ano, tirando a participação de hardware e software. Especialmente à medida que algumas cargas de trabalho se afastam dos data centers locais.
  • As organizações vão revigorar os gastos com tecnologia futurista: ou seja, planos de adoção de tecnologia emergentes – especialmente para soluções de segurança mais recentes – aumentaram significativamente em relação ao ano anterior.
  • Os desafios de compra de tecnologia continuarão em 2022. Afinal, mais de 40% das empresas esperam escassez, aumento de preços, atrasos no envio e problemas logísticos.
  • Aproximadamente um quarto dos profissionais de TI planeja procurar ou mudar de emprego em 2022. Entre esses candidatos a emprego de TI, 86% considerarão funções remotas.

No State of IT do ano passado, 64% das empresas habilitaram uma força de trabalho remota devido à crise global do COVID-19. No entanto, a pesquisa mais recente explorando o futuro do trabalho remoto descobriu que 55% das empresas aceleraram os gastos com tecnologia para atender às necessidades criadas pela pandemia.

O mesmo relatório também indicou que cerca de 25% dos funcionários trabalharão remotamente depois que for seguro retornar aos escritórios corporativos. Contudo, isso implica que investimentos em tecnologia em hardware, software e serviços serão necessários para impulsionar o movimento contínuo de trabalho em casa.

Portanto, a pesquisa deste ano confirmou a hipótese da SWZD: os dados do estado de TI de 2022 indicam que os aumentos modestos de gastos detectados em 2021 devem aumentar significativamente em 2022.

Crescimento de receita e gastos com tecnologia em 2022

As organizações estavam otimistas sobre as perspectivas futuras de negócios, conforme planejaram inicialmente para 2020. No entanto, a pandemia do COVID-19 inesperadamente enviou a economia mundial para um território desconhecido. Com pouca visibilidade em cronogramas futuros ou caminhos claros, as projeções de crescimento da receita corporativa para 2021 caíram significativamente ano a ano, com quase um terço das empresas esperando que as receitas diminuam.

No entanto, à medida que as organizações consideram seu roteiro em 2022, a maioria espera que os negócios se recuperem: 61% das empresas esperam que suas receitas aumentem em 2022, com apenas 8% esperando que caiam. Inclusive, a maioria das empresas (53%) espera que seus orçamentos de TI cresçam nos próximos 12 meses.

Portanto, a pesquisa sobre o estado futuro da TI indica que o número de empresas que esperam aumentos orçamentários aumentará em 2022. Não obstante, as expectativas de crescimento orçamentário aumentaram significativamente mais do que nos últimos dois anos (mesmo antes da pandemia).

No geral, 53% das empresas na América do Norte e na Europa preveem que os gastos com TI aumentem ano após ano e 35% preveem que permanecerão os mesmos. Entre as empresas que planejam aumentar os gastos com tecnologia em 2022, os orçamentos de TI devem crescer 26% (31% na América do Norte versus 21% na Europa), em média.

Enquanto isso, apenas 7% das organizações esperam que seus orçamentos de TI caiam em 2022; significativamente menos do que os 17% das organizações que esperavam que seus gastos com tecnologia diminuíssem em 2021.

Fatores que impulsionam os gastos com TI e a modernização tecnológica

Com planos organizacionais para gastar mais em tecnologia em 2022 no radar, podemos aprimorar exatamente como as empresas aumentarão os investimentos em TI. Afinal, os dados obtidos sugerem que os esforços de transformação digital iniciados pela corrida ao trabalho remoto terão uma influência contínua nos futuros gastos com tecnologia.

Desde que começou-se a rastrear os direcionadores de gastos entre as empresas que planejam aumentar os orçamentos de TI, a necessidade de modernizar a tecnologia sem suporte sempre esteve no topo da lista. Embora ainda seja um fator que influencia 47% das organizações que planejam o crescimento do orçamento de TI, a necessidade de atualizar a infraestrutura mais antiga caiu para o segundo lugar este ano.

Portanto, em 2022, o principal fator que impulsiona as empresas a aumentar os orçamentos é uma prioridade elevada em projetos de TI (49%). Contudo, isso pode indicar esforços de modernização de vários anos que foram acelerados pelo trabalho remoto. Além disso, também sugere que uma mudança constante para serviços baseados em nuvem diminuiu na tecnologia legada.

Então, com a tecnologia servindo como o grande facilitador que permite que as empresas permaneçam produtivas durante a pandemia, mais de um terço dos orçamentos de TI permanecerão em trajetória ascendente por motivos relacionados ao COVID-19.

Além disso, o aumento das preocupações com a segurança e o crescimento dos funcionários ressurgiram como impulsionadores do crescimento do orçamento de TI este ano. Afinal, muitas empresas procuram proteger os funcionários tanto no escritório quanto em casa.

No entanto, embora os aumentos de receita previstos em 2022 sejam um fator que influenciará quase um terço dos aumentos orçamentários (32%), eles não são sua principal força motriz.

Impulsionadores de aumentos de orçamento de TI

Nos últimos dois anos, observamos preços subindo em tudo, de laptops a carros e madeira (e até ketchup também!). Então, embora não esteja no topo da lista, devemos observar que um número razoável de empresas citou o aumento dos custos dos produtos (29%) e a inflação (22%) como fatores por trás do aumento do orçamento de TI também.

Direcionadores do orçamento de 2022, por tamanho da empresa

  • A maioria das empresas de médio porte (52%) e grandes empresas (56%) citam uma maior prioridade em projetos de TI que contribuem para o crescimento dos gastos com tecnologia, em comparação com apenas 32% das pequenas empresas;
  • Grandes empresas e empresas de médio porte são significativamente mais propensas do que as pequenas empresas a aumentar os orçamentos. Isso ocorre devido à necessidade de oferecer suporte a uma força de trabalho remota durante o COVID-19, mudanças nas operações comerciais durante o COVID-19 ou uma violação de segurança recente;
  • As grandes empresas são significativamente mais propensas do que as pequenas ou médias empresas a aumentar os orçamentos devido a cortes de impostos corporativos e flutuações cambiais.

Detalhamento do orçamento de TI de 2022

Verificando os clusters de gastos com tecnologia, conclui-se que a nuvem tira parte do orçamento do hardware

Pesquisando mais de 1.000 tomadores de decisão de TI foi possível entender como os orçamentos de TI serão alocados em:

  • hardware;
  • software;
  • serviços em nuvem;
  • serviços de TI gerenciados.

À medida que as organizações migraram mais aplicativos e serviços de data centers locais, registrou-se um aumento significativo na porcentagem do total de orçamentos de TI direcionados a serviços hospedados/baseados em nuvem. Ou seja, de 22% em 2020 para 26% em 2022.

Embora o hardware continue a representar a maior parte dos gastos com TI em 2022, essa categoria registrou declínios constantes ano a ano. Como porcentagem dos orçamentos totais de TI, os gastos com hardware caíram significativamente. Foram de 33% em 2020 para 30% em 2022.

Contudo, mostrando menos movimento estão os gastos com serviços gerenciados, que representarão 17% dos orçamentos de TI (um pouco acima dos 15% em 2020). Porém, também os gastos com software – a segunda maior categoria de gastos – que representarão 28% dos orçamentos de tecnologia (um pouco abaixo de 29% em 2020).

Detalhamento do orçamento por tamanho da empresa

Em 2022, as empresas com mais de 500 funcionários planejam gastar significativamente mais de seus orçamentos de TI(21%) em serviços gerenciados. Ou seja, envolvem a terceirização de funções de TI para terceiros. Em contrapartida, apenas 14% das PMEs adotarão essa estratégia. Essa disparidade pode ser devido à necessidade de as empresas oferecerem suporte a mais funcionários remotos. Portanto, os serviços gerenciados seriam úteis para atender uma força de trabalho remota distribuída geograficamente longe da equipe de suporte de TI interno de uma organização.

Mapeamento de orçamentos de hardware

Os gastos com hardware deverão cair como porcentagem dos orçamentos gerais de TI. No entanto, as empresas continuarão investindo a maior parte de seus orçamentos de hardware em laptops em 2022. A mudança para laptops como dispositivo de escolha do usuário final segue uma tendência de dois anos que coincide com muitos funcionários sendo forçados a trabalhar em casa. No futuro, espera-se que 25% dos trabalhadores fiquem remotos de forma permanente.

Embora desktops e servidores completem as principais áreas de gastos com hardware em 2022 (14% e 11% dos orçamentos gerais de hardware, respectivamente), essas categorias estão em declínio nos últimos dois anos. Isso porque muitos departamentos de TI optam cada vez mais por computadores mais portáteis e transferir cargas de trabalho para a infraestrutura em nuvem.

Planos de gastos de hardware, por tamanho da empresa

Em 2022, espera-se que as grandes empresas gastem uma parcela significativamente maior dos orçamentos de TI em dispositivos de segurança do que as PMEs. Na verdade, as empresas com superfícies de ataque maiores são mais propensas a aumentar os gastos com TI devido a preocupações gerais de segurança. Afinal, com uma organização maior, surge a necessidade de oferecer suporte a uma força de trabalho remota maior. Portanto, as grandes empresas também gastarão mais do que empresas menores em telefonia.

No extremo oposto do universo, as pequenas empresas alocarão uma porcentagem significativamente maior de seus orçamentos de hardware tipicamente modestos em comparação com desktops e laptops. Em média, as empresas menores planejam gastar 21% de seus orçamentos de hardware em laptops, em comparação com 16% nas grandes empresas.

As grandes empresas planejam gastar significativamente mais em tablets e dispositivos móveis (8% de seus orçamentos de hardware) em comparação com pequenas empresas (6%). Esses dispositivos costumam ser usados para apoiar funcionários em viagem ou trabalhadores em campo.

Como traçar orçamentos de software

Na categoria de software local, notaram-se grandes mudanças ano a ano. O software de produtividade é útil para conectar e ajudar os funcionários a colaborar de qualquer lugar. Portanto, deverá ser a maior categoria de gastos com software em 2022, respondendo por 12% dos orçamentos, um pouco acima de um período de dois anos.

Contudo, também estão em alta os sistemas de gerenciamento de banco de dados – representando 8% dos gastos esperados com software em 2022, em comparação com 6% em 2021. Isso se deve possivelmente devido ao SQL Server 2012 atingir o status de fim de suporte estendido em 2022. Portanto, os gastos com software de segurança aumentaram significativamente nos últimos dois anos. Afinal, a proteção de dispositivos de endpoint e usuários remotos gerou uma preocupação maior.

À medida que os gastos de TI mudam para serviços em nuvem, os gastos com software associados a servidores locais estão em declínio. Como porcentagem do gasto total com software, a virtualização e os sistemas operacionais caíram significativamente no período de 2020 a 2022.

Em uma base regional, as empresas norte-americanas gastarão proporções significativamente maiores dos orçamentos de TI de 2022 em aplicativos específicos do setor e backup e recuperação do que as organizações na Europa. Por outro lado, as empresas na Europa gastarão significativamente mais em 2022 em sistemas de gerenciamento de banco de dados e servidores de e-mail do que as empresas da América do Norte.

Desde 2020, a parcela dos orçamentos de software alocados para sistemas operacionais e virtualização caiu significativamente. Especialmente à medida que as cargas de trabalho migram para a nuvem.

Decifrando o código nos orçamentos de nuvem

A pesquisa recente sobre nuvem descobriu que 50% de todas as cargas de trabalho de negócios devem ser executadas na nuvem até 2023, acima dos 40% em 2021. Isso representa um aumento de pontos percentuais nos últimos dois anos. Afinal, foi de 22% do gasto geral com tecnologia em 2020 para 26% esperados em 2022.

De acordo com dados históricos, o crescimento dos gastos na categoria de nuvem entre 2019 e 2021 foi impulsionado pela adoção de aplicativos de produtividade e backup e recuperação online. Contudo, o crescimento em 2022 será impulsionado por soluções de segurança e desktop-as-a-service. Ou seja, aplicativos que são relevantes em uma realidade não tão alternada, onde mais funcionários trabalham em casa.

Não obstante, a segurança na nuvem representou 5% dos orçamentos de nuvem em 2020 e representará 7% esperados em 2022. Então, espera-se que os gastos com desktop como serviço cresçam de 3% dos orçamentos de nuvem em 2020 para 4% em 2022.

Por tamanho da empresa, avaliou-se que empresas maiores alocarão uma parcela maior de seus orçamentos de TI para ferramentas de plataforma como serviço, desktop como serviço e desenvolvedor do que empresas menores.

Uma análise profunda dos orçamentos de serviços gerenciados

Em uma base regional, as empresas europeias planejam gastar significativamente mais de seus orçamentos gerais de TI em serviços gerenciados (18%), em comparação com as empresas norte-americanas (15%). No entanto, as grandes empresas também esperam gastar mais de seus orçamentos de TI (21%) em serviços gerenciados do que empresas de pequeno (14%) e médio porte (13%). Inclusive, as empresas maiores deverão alocar uma proporção maior de orçamentos de serviços gerenciados para dispositivos móveis e sem fio gerenciados Informática.

Espera-se que os maiores responsáveis ​​pela maior parte dos orçamentos de serviços gerenciados em 2022 sejam:

  • segurança gerenciada;
  • hospedagem gerenciada;
  • armazenamento/backup gerenciado;
  • suporte a hardware gerenciado;
  • infraestrutura de nuvem gerenciada;
  • aplicativos de negócios gerenciados.

No entanto, as preocupações com a segurança aumentaram à medida que mais funcionários trabalham em casa. Isso gerou um crescimento na segurança gerenciada (aumentando significativamente de 7% dos orçamentos de serviços gerenciados em 2020 para 10% em 2022). A infraestrutura de nuvem gerenciada também obteve grandes ganhos (aumentando significativamente de 7% em 2020 para 9% em 2022), em detrimento da hospedagem gerenciada (diminuindo significativamente de 13% em 2020 para 9% em 2022).

Outros fatores que impulsionam os gastos com TI

Com descobertas de alto nível cobrindo o movimento contínuo de trabalho remoto, uma maior prioridade nos projetos de TI e uma recuperação antecipada da receita comercial afetaram os planos orçamentários de TI em 2022. Contudo, à medida que os compradores de TI escolhem as soluções, os fatores específicos que levam as empresas a acionar a aquisição de novos hardwares, softwares e serviços permanecem relativamente os mesmos dos anos anteriores, com algumas exceções.

Em geral, o fim da vida útil da tecnologia, os ciclos de atualização/atualização e o crescimento da empresa continuarão a ser os maiores impulsionadores dos investimentos em novas tecnologias em 2022. No entanto, com eventos de fim de suporte para Windows 7 e Windows Server 2008 chegando, o número de empresas que citam o fim da vida útil como um gatilho de compra desceu à Terra nos últimos dois anos – caindo de 62% em 2020 para 54% em 2022.

Em 2022, a compatibilidade de software/aplicativo figurou na equação mais do que nos anos anteriores, saltando de 28% em 2020 para 34% em 2022. Isso pode sugerir novas necessidades à medida que as organizações atualizam sistemas operacionais ou sistemas de banco de dados mais antigos ou migram para baseados em nuvem ambientes que não funcionam bem com software legado.

De acordo com o tamanho da empresa, as pequenas e médias empresas são mais propensas a comprar novas tecnologias. Isso acontece devido a eventos de fim de vida ou necessidades do usuário final.

Projetos experimentais

Já as grandes empresas tendem a ter mais recursos para projetos experimentais, forças de trabalho maiores e escritórios e clientes em mais regiões. Isso, por sua vez, aumenta a probabilidade de serem influenciadas por novos recursos de tecnologia, compatibilidade de hardware, alterações nos padrões de regulamentação/conformidade, necessidade de melhor suporte ao cliente, a necessidade de melhor conhecimento técnico e ofertas de desconto.

Em uma base regional, as empresas norte-americanas são significativamente mais propensas do que as empresas europeias a comprar novas tecnologias devido ao fim da vida útil, ciclos de atualização/atualização, crescimento/necessidade adicional e necessidade do usuário final. Já as empresas europeias são significativamente mais propensas a comprar novas tecnologias para ter acesso a melhores conhecimentos e ofertas de desconto do que suas contrapartes norte-americanas.

Tecnologia futurista no local de trabalho

Muitas empresas renovam o impulso para soluções de última geração. Tanto, que no relatório State of IT do ano passado, foi informado que as empresas regrediram nos planos de adotar planos de tecnologia emergentes devido ao COVID-19. Longe de dar um salto quântico ao experimentar tecnologias futuristas, no último ano, as organizações priorizaram necessidades imediatas gerando ROI rápido, como habilitar uma força de trabalho remota.

Entretanto, os dados mais recentes sobre a adoção de tecnologia em 2022 mostram empresas saindo de seu hiato pandêmico. Ou seja, estão dando saltos significativos em relação ao ano anterior nos planos de adotar quase todos os tipos de tecnologia emergente.

Embora os planos de adoção YoY estejam em alta, devido ao drástico recuo em 2021, a tendência geral de dois anos é relativamente plana. Em outras palavras, pode-se esperar que as taxas de adoção de tecnologias emergentes em 2022 sejam semelhantes às taxas pré-pandemia relatadas em 2020.

Contudo, há uma exceção a essa regra: os níveis de adoção esperados do 5G aumentaram nos últimos dois anos, sem fases pela pausa induzida pela pandemia na adoção de tecnologia. Dito isto, a disponibilidade 5G agora é maior do que era há dois anos.

Então, enquanto muitas organizações estão apenas tentando recuperar o atraso, outras estão avançando. Por exemplo, empresas maiores normalmente têm mais recursos para experimentar novas soluções que podem lhes dar uma vantagem estratégica. Em todas as tecnologias representadas nesta pesquisa, os planos de adoção futura nas empresas aumentam significativamente mais do que os planos em empresas menores.

As empresas sediadas na Europa esperam adotar tecnologias emergentes a uma taxa significativamente maior do que as empresas norte-americanas em toda a gama de tecnologias. Isso está de acordo com as descobertas do The 2021 State of IT.

Adoção de tecnologia emergente pela indústria

Os planos gerais de adoção estão voltando para onde estavam em 2020. No entanto, certos setores estão muito à frente da curva de tecnologias de ponta específicas.

A impressão 3D desfruta de uma taxa de adoção atual e planejada significativamente mais alta na educação (62%) e na fabricação (45%). Também porque essa tecnologia abre oportunidades para prototipagem e aprendizado prático.

Em um comprimento de onda semelhante, o blockchain desfruta de taxas de adoção planejadas significativamente mais altas do que a média no varejo (41%) e serviços financeiros (45%). Afinal, é onde a tecnologia pode impulsionar programas de fidelidade ou permitir transações financeiras.

Como o setor financeiro tem incentivos econômicos para experimentar tecnologias emergentes, está entre os setores mais avançados em tecnologia. Além do blockchain, as taxas de adoção esperadas de tecnologia emergente em organizações de serviços financeiros aumentam acima da curva para automação de TI (83%), VDI (64%), infraestrutura hiperconvergente (60%), 5G (57%), computação de ponta (53%) %), inteligência artificial (52%) e computação sem servidor (50%).

As empresas de serviços de TI, cujo negócio é aconselhar empresas em decisões de tecnologia ou fornecer serviços de tecnologia, também são as primeiras a adotar. Portanto, elas estão bem na frente em seus planos de adoção de 2022 para Gigabit Wi-Fi (76%), contêineres (56%), 5G (55%) e computação sem servidor (53%).

O crescimento da adoção de tecnologia de segurança emergente continua

Uma área de tecnologia em que a adoção continua subindo, apesar da pandemia, são as soluções de segurança emergentes. Impulsionadas pela necessidade de proteger os trabalhadores remotos e a ameaça contínua do ransomware, as empresas vão investir em soluções de segurança emergentes.

Por exemplo, nos próximos dois anos, mais de três quartos das organizações planejam adotar treinamento de funcionários e soluções anti-ransomware para ajudar a proteger redes, dispositivos e dados corporativos. A autenticação baseada em hardware e as ferramentas de análise de comportamento do usuário também registraram saltos significativos nas taxas de adoção planejadas.

Em uma base regional, talvez devido às severas penalidades financeiras descritas no GDPR, as empresas europeias planejam adotar quase todas as tecnologias de segurança representadas na pesquisa a uma taxa significativamente maior do que as empresas na América do Norte.

Afinal, a maioria (55%) das organizações na Europa planeja usar soluções de segurança alimentadas por IA ou aprendizado de máquina nos próximos dois anos, em comparação com apenas 39% das organizações na América do Norte. Além disso, 65% das empresas na Europa adotarão soluções de segurança de confiança zero, em comparação com apenas 51% das empresas na América do Norte.

Além disso, as grandes empresas são significativamente mais propensas a investir em soluções de segurança emergentes do que suas contrapartes menores, replicando os mesmos padrões de adoção vistos com outras tecnologias emergentes. Não obstante, as empresas do setor de serviços financeiros altamente regulamentado, onde uma violação pode ter enormes implicações financeiras, são muito mais propensas a investir em soluções de segurança mais recentes.

Analisando o futuro das carreiras de TI

Uma questão pouco considerada quando se fala de orçamentos de TI é a da contratação de pessoal capacitado. Contudo, a mudança para o trabalho remoto gera incerteza, então, o mercado de trabalho está passando por uma transformação drástica que envolve os departamentos de TI. Em um estudo recente do SWZD Future of Remote Work, 76% dos profissionais de TI indicaram que prefeririam trabalhar remotamente, pelo menos parte do tempo.

Do outro lado da moeda, 72% dos profissionais de tecnologia disseram que a mudança para o trabalho remoto criou trabalho adicional para os departamentos de TI. Afinal, muitos deles agora devem dar suporte aos trabalhadores em casa e no escritório. A boa notícia é que as organizações têm planos de crescer para atender a essa demanda. Em 2022, 40% das empresas planejam expandir as fileiras de sua equipe de TI.

Mudanças esperadas na equipe de TI em 2022

Sendo assim, as grandes empresas (mais de 500 funcionários) estsão mais propensas a contratar em 2022, com 61% esperando empregar pessoal de TI adicional, em comparação com apenas 30% das PMEs (1-499 funcionários).

Além disso, a opção de trabalhar remotamente em algumas empresas abriu mais oportunidades para os profissionais de TI. De acordo com dados recentes, em 2021, 27% dos profissionais de TI trabalhavam em casa temporariamente e 11% começaram a trabalhar em casa permanentemente.

Contudo, também houve um movimento dinâmico no mercado de trabalho, com 17% da força de trabalho de TI procurando emprego em um novo empregador durante a pandemia e 14% aceitando e iniciando um novo emprego.

Portanto, em 2022, espera-se que os profissionais de TI continuem mudando de carreira ou avançando na empresa atual. Por exemplo, um quarto dos profissionais de TI espera obter um aumento em 2022, 23% planeja obter uma certificação de tecnologia e 13% espera obter uma promoção. Além disso, muitos também planejam buscar mudanças com uma nova empresa em 2022: 13% dos profissionais de TI planejam iniciar a busca por um novo emprego e 11% planejam iniciar ou trocar de empregador

Mudanças de carreira planejadas para profissionais de TI em 2022

Entre os profissionais de TI que buscam um novo emprego em 2022, 86% considerarão funções remotas. Afinal, isso possibilita iniciar um trabalho em outra região sem a necessidade de mudar de local físico.

Entretanto, embora o trabalho remoto abra novas oportunidades no mercado de trabalho de TI, as empresas devem estar cientes de que o novo ambiente de trabalho em qualquer lugar pode levar a uma maior competição por talentos no setor. Portanto, os departamentos de RH deveriam prestar mais atenção à retenção de funcionários valiosos que correm o risco de sair para pastos mais verdes (ou mais flexíveis).

O futuro das carreiras de TI entre diferentes grupos

Em um nível demográfico, esta análise do mercado de trabalho de TI revelou mais do que alguns padrões notáveis ​​no radar.

As gerações mais jovens (Geração Z e Millennials) eram muito mais propensas a fazer grandes mudanças na carreira durante a pandemia. Por exemplo, 31% dos profissionais de TI da Geração Z e 19% dos profissionais de TI Millennial trocaram de emprego durante a pandemia, em comparação com apenas 10% da Geração X e 8% dos Boomers.

Em 2022, 31% dos profissionais de TI da Geração Z planejam procurar um novo emprego em tecnologia, em comparação com 13% dos profissionais de TI em outras gerações. Contudo, os membros da Geração Z também são significativamente mais propensos a mudar para uma carreira fora da tecnologia (15%) do que os profissionais de TI em outras gerações (6%).

Também notaram-se diferenças significativas relacionadas à carreira entre os gêneros. Apenas 11% das mulheres representadas no estudo receberam um aumento desde o início da crise do COVID-19, em comparação com 18% dos homens. Entretanto, esses dados sugerem que as mulheres também não esperam compensar a diferença no futuro quando as condições melhorarem.

Em 2022, 15% das mulheres que trabalham em TI esperam obter um aumento, em comparação com 27% dos homens. Talvez relacionado a essa discrepância: as mulheres também relataram que são muito mais propensas a mudar para uma carreira fora da TI (15%) do que os homens (5%) em 2022.

Também notaram-se diferenças interessantes entre a equipe de TI e a gerência. Isso indica que as empresas estão fazendo esforços viáveis ​​para reter membros de sua equipe de liderança, mas não necessariamente outros membros da equipe.

Mudanças geográficas

Durante a pandemia, a gerência sênior (nível de diretor e acima) tinha uma probabilidade significativamente maior do que os colaboradores individuais (administradores de sistemas, técnicos de suporte técnico etc.) de mudar para uma região diferente enquanto permanece com o mesmo empregador (8% vs. 3%), ou mudar para uma região diferente para conseguir um novo emprego (7% vs. 2%). Por outro lado, talvez por causa desse tratamento desigual, os colaboradores individuais eram mais propensos do que a alta administração a começar um emprego com um novo empregador (16% vs. 10%).

Contudo, em 2022, os colaboradores individuais terão mais probabilidade do que os líderes seniores de procurar um emprego com um novo empregador (15% vs. 11%), enquanto os líderes seniores terão maior probabilidade de mudar, mas permanecer com o seu empregador atual (7% vs. 3 %) ou mudar para uma nova região para mudar de emprego (8% vs. 4%).

Enquanto 25% de todos os profissionais de TI esperam obter um aumento em 2022, uma porcentagem significativamente maior de colaboradores individuais (28%) prevê um aumento salarial em seu futuro do que os líderes seniores (19%).

Futuros desafios e oportunidades de TI

Apesar do otimismo em torno do aumento das receitas da empresa e dos orçamentos de TI, as empresas também esperam enfrentar problemas devido às consequências da pandemia em andamento. Por exemplo, os compradores de TI esperam encontrar desafios ao adquirir hardware, software e serviços nos próximos 12 meses.

  • Não obstante, em 2022, cerca de 40% dos departamentos de TI esperam lidar com o seguinte: disponibilidade limitada de produtos;
  • atrasos no envio ou problemas logísticos;
  • problemas na cadeia de suprimentos;
  • aumento nos custos dos produtos;
  • escassez de chips.

As preocupações secundárias, mas ainda importantes, incluirão o suporte a trabalhadores remotos, fornecendo-lhes hardware e software enquanto trabalham em casa.

Desafios de TI previstos em 2022

No nível da indústria, a indústria manufatureira está mais preocupada com a escassez de chips. O setor de educação, que muitas vezes deve fornecer laptops ou tablets aos alunos, está mais preocupado com a disponibilidade limitada de produtos e atrasos no envio.

Com base no tamanho da empresa, as grandes empresas estão mais preocupadas do que as empresas menores em provisionar funcionários remotos e rastrear inventário e licenças para funcionários remotos.

Conclusão 

Em 2022, há motivos para otimismo, após uma queda geral no crescimento dos gastos com tecnologia em 2021.

À medida que as empresas planejam um futuro pós-pandemia, 61% das empresas esperam que as receitas aumentem em 2022 e 53% planejam aumentar seus orçamentos de TI. Então, espera-se que os planos de adoção de tecnologia se recuperem de seu hiato induzido pela pandemia, e os gastos fluirão para novas áreas, pois o trabalho remoto continuará sendo uma característica importante do novo ambiente de negócios, mesmo depois que for seguro retornar aos escritórios.

Entretanto, a pandemia do COVID-19 continuará a ter um impacto notável no setor de TI, direta ou indiretamente. Isso, por meio de problemas na cadeia de suprimentos ou pelo legado de níveis crescentes de trabalho flexível em casa.

Portanto, no futuro, os profissionais de marketing de tecnologia devem prestar muita atenção à mudança dos orçamentos de TI para serviços baseados em nuvem, em detrimento das categorias de gastos com hardware e software relacionadas à infraestrutura local. Além disso, espera-se que uma parcela maior dos orçamentos de TI seja destinada à aquisição de tecnologias emergentes e soluções de segurança úteis para modernizar processos e dar suporte a trabalhadores remotos.

O trabalho remoto e as tecnologias que o possibilitam também abrem novas possibilidades de trabalho para profissionais de TI. Afinal, em 2022, aproximadamente um em cada quatro procurará oportunidades de emprego em uma nova empresa e, agora que trabalhar de qualquer lugar é mais normalizado, 86% dos candidatos a emprego considerarão se candidatar a uma função remota.

Terceirização de TI

No geral, com uma recuperação antecipada nos gastos que provavelmente ultrapassará os níveis pré-pandemia, há motivos para entusiasmo em um ambiente que verá mais dinheiro fluindo para o setor de tecnologia. Entretanto, muitas organizações esperam enfrentar desafios não resolvidos em 2022, incluindo escassez de produtos, problemas logísticos, aumento de preços e inflação.

No futuro, os fornecedores de tecnologia podem atender melhor aos compradores de TI, entendendo seus objetivos e necessidades à medida que as empresas navegam nessas mudanças. No entanto, as mensagens de marketing ressoarão com os compradores de TI quando as campanhas falarem diretamente sobre os pontos problemáticos e demonstrarem como uma determinada solução abordará os problemas e preocupações atuais. Como prática recomendada, os profissionais de marketing de tecnologia terão mais sucesso quando puderem oferecer aos tomadores de decisão soluções comprovadas no momento certo.

Dessa forma, é interessante contar com o suporte de uma empresa de TI experiente e adaptável a vários perfis de orçamentos de TI.

Perfil Infonova

A expertise da Infonova permite fornecer atendimento técnico local com escalas flexíveis definidas pelo cliente. Estas incluem:

  • Atendimento por demanda;
  • Disponibilização de equipes com 1 técnico local e retaguarda especializada; 
  • Equipes completas com até 200 profissionais qualificados para assumir parte ou toda a operação de TI.

Colaboradores

O trabalho executado pela equipe da Infonova é primoroso. Afinal, essa empresa de TI se preocupa com seus funcionários. Ou seja, a Infonova oferece participação nos lucros aos seus colaboradores a fim de mantê-los sempre motivados. Além disso, a contratação dos analistas é CLT Full, o que reduz o turnover e aumenta a confiança. 

Soluções

A Infonova tem soluções voltadas para PMEs, Governo e Corporate. Contudo, todas essas soluções compreendem modelos flexíveis com início rápido e transição sem dor.

Para saber mais sobre os serviços da Infonova e sinais de alerta sobre seu treinamento de TI, entre em contato pelo (11) 2246-2875 ou clique aqui.

Se quer saber mais sobre o que nossos clientes têm a dizer sobre nossos serviços, baixe gratuitamente nossos cases exclusivos.

FALE
COM UM
ESPECIALISTA

Já vai?

Receba conteúdos exclusivos e gratuitos direto no seu e-mail, para ler sem pressa ;)

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

FALE
COM UM
ESPECIALISTA