Blog Infonova

Informação para tomada de decisão

Resultado da pesquisa por: ""

Microsoft e o fim do licenciamento perpétuo do Office?

Por Juliana Gaidargi em 14/10/2020 em Gestão de TI

Em setembro, a Microsoft fez um anúncio marcante. A próxima versão de seu Exchange Server local estará disponível apenas como um produto baseado em assinatura. Isso significa o fim do licenciamento perpétuo do Office? 

Muitos viram o anúncio de forma objetiva. A Microsoft planeja encerrar sua prática de vender licenças de pagamento único. Isso após décadas operando dessa forma.

fim licenciamento perpétuo office

Tudo aconteceu durante o Redmond, Wash. A conferência técnica Ignite da empresa, realizada virtualmente. Nela, a Microsoft anunciou que a próxima versão de seu Exchange Server local – o servidor de e-mail  – estará disponível apenas como um produto baseado em assinatura. Será que o fim do licenciamento perpétuo do Office está próximo? 

“Esta será uma versão do Exchange que só estará disponível com a compra de uma assinatura”, disse Greg Taylor, diretor de marketing de produto do Exchange. “Ou seja, você terá direito a atualizações e suporte durante o tempo de vida de sua assinatura.”

Contudo, detalhes como preços não foram informados. Porém, a Microsoft disse que as informações serão desenvolvidas antes do lançamento. O novo produto foi apelidado de Exchange Next. Seu lançamento acontecerá no segundo semestre de 2021.

E o Exchange Server 2019?

O Exchange Server 2019, de dois anos atrás, será o último na linha de servidores de e-mail vendidos como licenças “perpétuas”. Ou seja, aquelas adquiridas com pagamento adiantado. Um pagamento de licença perpétua fornece os direitos de executar o software pelo tempo que se desejar. Mesmo depois que a Microsoft interrompe o suporte.

A alternativa ao Exchange Server como licença perpétua é “alugar” o Exchange Online. Este é o serviço de e-mail baseado em nuvem da Microsoft. Contudo, este geralmente é adquirido como parte de uma assinatura do Office 365 ou Microsoft 365.

Entretanto, o Exchange Server 2019 não marcará apenas o fim do licenciamento perpétuo do Office. Mas também pode ser a última versão a conter novos recursos e funcionalidades significativos. Afinal, ao anunciar o próximo modelo de licenciamento, a Microsoft disse que: “o Exchange Server 2019 seria a última grande atualização que eles [clientes] precisarão fazer”. Isso implica que as atualizações oferecidas ao Exchange Next serão menores. Portanto, sem mais novidades brilhantes.

Sempre houve a expectativa de que em algum ponto a Microsoft abandonaria o Exchange Server local. Ou pelo menos o distorceria além do reconhecimento. Tudo para puxar todos os clientes possíveis para o Exchange Online. Afinal, é baseado em assinatura por meio do Office 365.

Uma das pistas mais claras foi o fim do suporte simultâneo para Exchange Server 2016 e Exchange Server 2019. Essa falta de suporte, e o fato de que sua data correspondia a 2016, sinalizou algo drástico. Ou seja, talvez o fim do produto.

O futuro do Office local

Então, o que os clientes devem saber sobre as datas de término do suporte para Office 2016 e 2019? Afinal, os dois pacotes de licença perpétua saem da lista de suporte no mesmo dia: 14 de outubro de 2025.

Bem, nenhuma surpresa. Pelo menos não com as conexões estreitas entre os lados do cliente e do servidor do ambiente do Office. Atualizar todos, tem sido o mandato da Microsoft. Tudo, com lançamentos sincronizados. Isso, mais ou menos, desde a virada do século. Contudo, a Microsoft também reiterou que lançaria um Office local para suceder ao Office 2019. 

“O Microsoft Office também terá um novo lançamento perpétuo para Windows e Mac. Isso ocorrerá no segundo semestre de 2021.”

Alternativas

A Microsoft poderia usar uma abordagem híbrida para o Office Next. pelo menos foi o que afirmou Rob Helm, analista da Directions on Microsoft. “O Office pode ser tratado de forma diferente [do Exchange Server]”, disse ele sobre o esquema de pagamento do primeiro. Talvez a Microsoft vendesse o Office Next no modelo de licença perpétua. “Contudo, não com um comprimento de suporte fixo.”

Ao invés disso, os clientes seriam obrigados a fazer pagamentos regulares pelos “direitos de assinatura”. E estes sim incluiriam suporte. Portanto, o que acontece se a Microsoft dividir sua dupla cliente-servidor em licenciamento perpétuo e por assinatura para o próximo ciclo?

Parece claro que, uma vez que a empresa decida lançar o Office final no local, ele terá esse produto adota o mesmo esquema de assinatura do Exchange Server. Fazer qualquer coisa que não fosse isso seria uma complicação desnecessária e confundiria inutilmente os clientes. Algo que até a Microsoft – conhecida por fazer as duas vezes – deveria evitar, se possível.

E como fica o Office 365?

Neste ponto, a Microsoft terá facilitado todo o ecossistema do Office local para um modelo de assinatura. Entretanto, significativamente diferente do design do Office / Microsoft 365. Como o Exchange Server Next, o Office Next será um produto sem saída. Afinal, embora mantido com segurança e outras correções de bugs, ficará cada vez mais para trás em relação aos softwares e serviços de assinatura pura do Office 365 e do Microsoft 365 em novos recursos.

Ou seja, a Microsoft tem agora, e continuará a ter no futuro, pouca ou nenhuma motivação para adicionar funcionalidade à linha local. Não se ela quiser continuar divulgando a alternativa 365 como a melhor solução. Afinal, a combinação Server Next / Office Next enfatiza a estabilidade e a confiabilidade. Ou seja, o mesmo que o Windows 10 Long-Term Servicing Channel faz no universo do Windows.

Ainda assim, a Microsoft oferecerá o modelo Server Next por algum tempo. Isso enquanto também fala sobre a transição do licenciamento perpétuo do Office para a assinatura.

Contudo, haverá redução do suporte para Exchange Server 2019. Este passa dos habituais 10 para sete anos. Mas por um motivo. “Queremos tentar levar as pessoas a este novo modelo”.

Precisa de ajuda?

Esse assunto pode ser muito complexo para as empresas. Afinal, já existem diversas coisas para se preocupar diariamente. Por isso, terceirizar a TI pode ajudar. Por meio da centralização de fornecedores e licenças, seu time interno pode operar livremente em prol do negócio. Ou seja, toda a parte burocrática fica para a terceirizada. Quer saber mais sobre isso? Entre em contato conosco. Sem compromisso!

Fonte:

Computerworld