Por Marcos Bernardino em 18/09/2018 em Artigo

Este artigo aborda assuntos relacionados a testes de diagnóstico de rede TCP/IP. Para isso, é preciso conhecer as tarefas administrativas de administração de rede.

Tarefas de Administração

As tarefas de administração de rede se dividem em duas categorias: configuração e solução de problemas. Por isso, as tarefas de configuração exigem conhecimento detalhado da sintaxe de comando, mas geralmente são previsíveis.

Depois que um sistema é configurado corretamente, raramente há motivo para alterá-lo. O processo de configuração é repetido toda vez que uma nova versão do sistema operacional é instalado, mas com poucas alterações.

Por outro lado, a solução de problemas de rede lida com o inesperado. A solução de problemas frequentemente requer conhecimento conceitual e não detalhado.

Solução de Problemas

Os problemas de rede geralmente são únicos e às vezes difíceis de resolver. A solução de problemas é uma parte importante da manutenção de um serviço de rede estável e confiável.

Portanto, é necessário o uso de ferramentas para a solução de problemas. No entanto, boas ferramentas não são suficientes. Nenhuma é eficaz se aplicada aleatoriamente.

Uma solução de problemas eficaz exige uma abordagem metódica do problema e uma compreensão básica de como a rede funciona.

TCP/IP

Para abordar um problema corretamente, é preciso uma compreensão básica do TCP/IP.

O conhecimento de como o TCP/IP roteia dados através da rede, entre hosts individuais e entre as camadas na pilha de protocolos é importante para entender um problema de rede. Mas o conhecimento detalhado de cada protocolo geralmente não é necessário.

Por outro lado, nem todos os problemas de TCP/IP são semelhantes e nem todos podem ser abordados da mesma maneira. Mas a chave para resolver qualquer problema é entender qual é ele.

Isso não é tão fácil quanto parece. Isso porque, o problema aparente às ​​vezes é enganoso, e o problema real é frequentemente obscurecido por muitas camadas de software.

Em primeiro lugar, é necessário reunir informações detalhadas sobre o que exatamente está acontecendo.Deve-se falar com o usuário quando ele relata um problema.

Então, descobrir qual aplicativo falhou, qual é o nome e o endereço IP do host remoto, o nome de host e endereço do usuário, a mensagem de erro que foi exibida.

Testando a partir do sistema do usuário e de outros sistemas

O problema ocorre em outros aplicativos no host do usuário ou somente um aplicativo está com problemas.

Se apenas um aplicativo estiver envolvido, o aplicativo pode estar configurado incorretamente ou desabilitado no host remoto. Assim, por questões de segurança, muitos sistemas desabilitam alguns serviços.

O problema ocorre com apenas um host remoto, todos os hosts remotos ou apenas determinados grupos de hosts remotos?

Se apenas um host remoto estiver envolvido, o problema pode ser facilmente com esse host.

Se todos os hosts remotos estiverem envolvidos, o problema provavelmente está no sistema do usuário (especialmente se nenhum outro host em sua rede local estiver com o mesmo problema).

Se apenas hosts em determinadas sub-redes ou redes externas estiverem envolvidos, o problema pode estar relacionado ao roteamento.

O problema ocorre em outros sistemas locais?

Deve-se verificar outros sistemas na mesma sub-rede. Se o problema ocorrer apenas no host do usuário, o teste é concentrado nesse sistema.

Se o problema afetar todos os sistemas de uma sub-rede, concentra-se no roteador dessa sub-rede.
Assim que se conhecer os sintomas do problema, visualiza-se cada protocolo e dispositivo que manipula os dados.

A visualização do problema ajudará a evitar a simplificação excessiva e evitará que se presuma erroneamente a causa antes mesmo de começar o teste.

Usando o conhecimento de TCP/IP, reduz-se a análise às causas mais prováveis ​​do problema, mas pensando em outros motivos para ele.

Outras dicas

Apesar das metodologias de solução de problemas, boas dicas também são importantes:

Abordar problemas metodicamente

Permitir que as informações coletadas de cada teste guiem o atual. Não mudar de um palpite para outro sem garantir que se possa voltar para o cenário original em que se parou.

Por isso, trabalhar cuidadosamente com o problema, dividindo-o em partes gerenciáveis. Testar cada parte antes de passar para a próxima. Por exemplo, ao testar uma conexão de rede, testar cada parte da rede até encontrar o problema.

Mantenher bons registros dos testes que se completou e seus resultados

Manter um registro histórico do problema caso ele reapareça.

Não pressupor muito a causa do problema

Testar cada possibilidade e basear as ações na evidência dos testes.

Estar ciente das barreiras de segurança

Às vezes, os firewalls de segurança bloqueiam ping, traceroute e até mensagens de erro ICMP. Se os problemas parecerem se agrupar em um site remoto específico, descobrir se ele tem um firewall.

Prestar atenção nas mensagens de erro

Mensagens de erro geralmente são vagas, mas frequentemente contêm dicas importantes para solucionar o problema.

Duplicar o problema relatado

Não confiar muito no relatório de problemas do usuário. Pois o usuário provavelmente viu esse problema apenas no nível do aplicativo.

Se necessário, obter os arquivos de dados do usuário para duplicar o problema. Mesmo que não se consiga duplicar o problema, registrar os detalhes do problema relatado em registros.

A maioria dos problemas é causada por erro humano

Pode-se evitar alguns desses erros fornecendo informações e treinamentos sobre configuração e uso da rede.

Manter os usuários informados

Isso reduz o número de relatórios de problemas duplicados e a duplicação de esforços.

É o que acontece quando vários administradores de sistemas trabalham com o mesmo problema sem saber que outros já estão trabalhando nele.

Alguém pode ter visto o problema antes e ter uma sugestão útil sobre como resolvê-lo.

Não especular sobre a causa do problema ao falar com o usuário

Especulações podem ser aceitas pelo usuário como verdades e se tornarem rumores.

Esses rumores podem fazer com que os usuários evitem usar serviços de rede legítimos e possam minar a confiança na rede. Os usuários querem soluções para seus problemas; eles não estão interessados ​​em falatório especulativo.

Usar algumas ferramentas de solução de problemas simples

Aprender a usar uma nova ferramenta geralmente consome mais tempo do que resolver o problema com uma ferramenta antiga e familiar.

Testar cuidadosamente o problema no fim da rede antes de localizar os proprietários do sistema remoto

Assim, é possível coordenar os testes com eles. Já que a maior dificuldade da solução de problemas de rede é que nem sempre se controla os sistemas nas duas extremidades da rede.

Não negligenciar o óbvio

Um cabo solto ou danificado é sempre um problema possível. Verificar os plugues, conectores, cabos e chaves. Pequenas coisas podem causar grandes problemas.

Cabos

Para manter o equipamento e a fiação da rede, é necessário algumas ferramentas manuais simples. Um par de alicates e algumas chaves de fenda podem ser suficientes, mas também pode ser necessárias ferramentas especializadas.

Por exemplo, conectar os conectores RJ45 ao cabo de par trançado não blindado (UTP) requer ferramentas especiais de crimpagem. Geralmente, é mais fácil comprar um kit de ferramentas de manutenção de rede pronto.

Um testador de cabo completo também é útil. Os modernos testadores de cabo são unidades portáteis pequenas com um teclado e um visor LCD que testam tanto o cabo thinnet como o cabo UTP. Depois, os testes são selecionados no teclado e os resultados são exibidos na tela LCD.

Teste de Conexão

Os sistemas operacionais já trazem em si, diversos recursos que possibilitam a realização de testes rápidos de conectividade e que apoiam a identificação de problemas em uma conexão de rede.

Para solucionar um problema de rede TCP/IP no Windows, verifica-se primeiro a configuração TCP/IP do computador que está apresentando o problema.

Com ipconfig.exe

Para exibir a configuração TCP/IP usando a ferramenta ipconfig.exe:

1. Clique em “Iniciar”, clique em “Executar”, digite “cmd” e pressione “ENTER”.

2. No prompt de comando, digite “ipconfig” e pressione “ENTER”. Esse comando exibe o sufixo DNS, o endereço IP, a máscara de sub-rede e o gateway padrão do computador.

3. Se forem necessárias mais informações e se quiser exibir um relatório de configuração detalhado, digitar “ipconfig /all” no prompt de comando e pressionar “ENTER”.

4. Em seguida, confirmar se o computador possui as configurações apropriadas para os servidores DNS e WINS, um endereço IP disponível, a máscara de sub-rede correta, o gateway padrão adequado e o nome do host correto.

Com nbstat.exe

O NetBIOS sobre TCP/IP (NetBT) resolve nomes NetBIOS para endereços IP.

O TCP/IP fornece muitas opções para resolução de nomes NetBIOS, incluindo pesquisa de cache local, consulta de servidor WINS, difusão, consulta de servidor DNS e pesquisa LMHOSTS e HOSTS.

O nbtstat.exe é uma ferramenta útil para solucionar problemas de resolução de nome NetBIOS. Você pode usar o comando nbtstat.exe para remover ou corrigir entradas.

Assim, para listar a tabela NetBIOS do computador local, digite “nbtstat -n” no prompt de comando e pressione “ENTER”. Esse comando exibe os nomes registrados localmente no computador.

Para listar o conteúdo do cache de nomes do NetBIOS, digite “nbtstat -c” no prompt de comando e pressione “ENTER”. Este comando mostra o cache de nomes NetBIOS, que contém mapeamentos de nome para endereço para outros computadores.

Para limpar o cache de nomes e recarregá-lo do arquivo LMHOSTS, digite “nbtstat -r” no prompt de comando e pressione “ENTER”.

Para executar um comando de status do adaptador NetBIOS no computador especificado por nome, digite “nbtstat -a Nome do computador NetBIOS” no prompt de comando e pressione “ENTER”.

O comando de status do adaptador retorna a tabela de nomes NetBIOS local para esse computador e o endereço MAC do adaptador de rede.

Para exibir uma lista de conexões de cliente e servidor, digite “nbtstat -s” no prompt de comando e pressione “ENTER”. Este comando lista as sessões NetBIOS atuais e seus status, incluindo estatísticas.

Com ping

Pode-se usar o comando ping como uma ferramenta de solução de problemas para testar sequencialmente a conectividade com vários recursos de rede. Para fazer ping de um host de rede diretamente:

1. No prompt de comando, digitar “ping endereço ip de host remoto” (por exemplo, “ping 192.168.1.104”) ou “ping nome do host” (por exemplo, “ping www.microsoft.com”) e pressionar “ENTER”.

2. Verificar se há uma resposta semelhante a esta:
Resposta de 192.168.1.104: bytes = 32 tempo = 40ms TTL = 61

Se esta mensagem for exibida, o servidor estará disponível na rede. Se não for possível acessar o recurso, pode-se solucionar problemas de conexão usando o comando “ping” para testar a conectividade com vários recursos de rede:

a. Efetuar ping no endereço de loopback (usando o comando “ping 127.0.0.1”) para verificar se o TCP/IP está instalado e funcionando corretamente no computador local.

b. Fazer o ping do endereço IP do computador local para verificar se ele foi adicionado à rede corretamente.

c. Efetuar ping no endereço IP do gateway padrão para verificar se o gateway está funcionando e é possível conectar-se a um host local na rede local. Para obter o endereço IP do gateway padrão local, usa-se o comando ipconfig.

d. Efetuar ping no endereço IP de outro host remoto para verificar se é possível se comunicar por meio de um roteador.

Com tracert.exe

Tracert.exe é um utilitário de rastreamento de rota para determinar o caminho de rede para um destino. Deste modo, ele determina o caminho que um pacote leva na rede e onde esse caminho termina:

1. No prompt de comando, digitar “tracert endereço IP do host de rede remota” e, em seguida, pressionar “ENTER”.

2. Então, examinar os resultados para determinar o período de tempo que o pacote levou para alcançar cada segmento da rede e o ponto em que a conexão pode parar de funcionar.

Com o Net view

1. No prompt de comando, digitar “net view \\ nome do computador” e, em seguida, pressionar “ENTER”.

Uma lista dos compartilhamentos de arquivos e impressão de um computador é gerada pelo estabelecimento de uma conexão NetBIOS temporária.

Se não houver compartilhamentos de arquivos ou impressão disponíveis no computador especificado, aparecerá “Não há entradas na lista”.
2. Se o comando não funcionar, digitar “net view \\ endereço IP do computador remoto” e, em seguida, pressionar “ENTER”.

Se o comando funcionar, mas uma tentativa de visualização de rede para o nome do computador não funcionar, o nome do computador pode estar resolvendo para o endereço incorreto.

Entretanto, se o comando não funcionar e gerar uma mensagem de erro “Ocorreu um erro de sistema”, verificar se o endereço foi digitado da forma correta.

Teste de conexão no Linux

Muitas ferramentas de diagnóstico estão disponíveis, desde sistemas comerciais com hardware e software especializados, que podem custar milhares de dólares, até software gratuito disponível na Internet. Além disso, algumas já vem com a própria distribuição ou em qualquer Linux. Alguns comandos e ferramentas simples são:

Ifconfig – Fornece informações sobre a configuração básica da interface. É útil para detectar endereços IP incorretos, máscaras de sub-rede incorretas e endereços de transmissão incorretos. É possível ainda usá-lo, ao invés dele atualmente se usa o comando “ip”.
Arp – Fornece informações sobre a conversão de endereços Ethernet / IP. Ele pode ser usado para detectar sistemas na rede local configurados com o endereço IP incorreto.
Netstat – Fornece uma variedade de informações. É comumente usado para exibir estatísticas detalhadas sobre cada interface de rede, os sockets e a tabela de roteamento.
Ping – Indica se um host remoto pode ser alcançado. O ping também exibe estatísticas sobre perda de pacotes e tempo de entrega.
Traceroute – permite ver a rota que os datagramas IP seguem quando são enviados de um host a outro.

Conclusão

Redes é um assunto vasto e existem muitas ferramentas e conceitos para aprender e usar. Dentro das duas principais áreas de redes há muita teoria e prática acumuladas. Esta introdução dá uma ideia de tão complexo e rico é esta área e estes ambientes.