Por Juliana Gaidargi em 27/09/2018 em Artigo

O Microsoft Office consiste em um conjunto de aplicativos, voltados para a utilização em escritórios. Ele conta com programas para finalidades variadas, como processamento de textos, planilhas de cálculos, banco de dados e apresentação gráfica. Desenvolvido por Bill Gates, a primeira versão do pacote de utilitários, lançada em 1988, já contava com o Word, Excel e o Power Point. Em fevereiro de 1989, a visionária Microsoft instituiu uma política de ciclo de vida de suporte a todos os seus produtos.

Após o término de cada ciclo, os produtos passaram a receber atualizações de segurança e melhorias gerais. O mercado encontra-se atualmente na 14ª versão do Microsoft Office para computadores Windows, e na 9ª versão para computadores Macintosh.

Embora a política de ciclos de atualização da Microsoft ainda esteja vigente, hoje a empresa oferece duas possibilidades para quem quer usar seus aplicativos Office. O primeiro consiste no pacote atualizado e o segundo no plano de assinatura. Ambos trazem os programas mais famosos, como Word, PowerPoint e Excel, mas apresentam características que podem fazer a diferença no dia-a-dia do usuário.

 

Office 2016 ou Office 365?

Para conhecer e entender as peculiaridades de cada versão, é preciso traçar um comparativo dos prós e contras de ambos o pacotes. Dessa forma, cada usuário poderá optar pela versão que melhor atende as necessidades de sua empresa.

O Office 2016 é a nova versão da suíte de produtividade da Microsoft. Os usuários que optarem por comprar um dos pacotes ganham acesso ao programa por tempo indeterminado. Ou seja, sem cobrança de mensalidade, tratando-se assim de uma solução definitiva. Já a versão 365 consiste em um serviço de assinatura mensal ou anual. Ela dá acesso ao pacote de produtividade da Microsoft, além de a algumas ofertas exclusivas para seus assinantes.

Ao contar com o pacote 365, o usuário pode baixar a versão mais recente do Office, mas, ainda assim, não chega a se tornar proprietário de uma licença definitiva dos aplicativos. Ou seja, caso este deixe de pagar a mensalidade, não terá mais acesso aos programas no computador.

 

Quanto custa a versão 2016 e o que ela traz?

O Microsoft Office 2016 possui três versões bastante distintas entre si. A versão Home & Student custa R$ 399,00 e conta apenas o Word, Excel, PowerPoint e OneNote para uso residencial. Já o pacote Home & Business do Office sai a R$ 959,00 e inclui todos os aplicativos do Home & Student, além do cliente de e-mails Microsoft Outlook.

A versão Professional custa R$ 1.699,00 e traz acesso a todos os aplicativos, incluindo o Outlook, Publisher e Access. Todas essas versões são compatíveis com computadores Windows e Mac. Além disso, podem ser utilizadas para fins domésticos ou mesmo em PMEs.

Após quitar a fee respectiva à versão escolhida, o usuário se torna dono de uma licença de uso. Ou seja, quando a Microsoft lançar outro Office em alguns anos, os usuários terão que pagar para ter acesso à nova versão.

 

Quanto custa a versão 365 e o que está incluído?

O Office 365 oferece desde acesso aos aplicativos mais recentes do Office até serviços de produtividade baseados em nuvem. Independentemente do usuário precisar do Office para uso doméstico ou corporativo, existe um plano do Office 365 para atender às suas necessidades.

Os planos de assinatura da versão 365 incluem o Office 365 Home, o Office 365 Personal, o Office 365 University, o Office 365 para Mac e o Office 365 Business para empresas. Cada plano permite a instalação das versões 2016 do Word, Excel, PowerPoint, Outlook e OneNote. O Access e o Publisher também estão incluídos para usuários de PC. Quando uma nova versão do Microsoft Office é lançada, o usuário ganha acesso imediato a ela para manter os seus aplicativos sempre atualizados.

Além disso, o usuário também recebe 1 terabyte de armazenamento em nuvem do OneDrive. Com isso, é possível manter os documentos em um só local e acessá-los de qualquer lugar ou dispositivo. Essa prática facilita a criação, edição e compartilhamento de documentos em trânsito. Além disso, assinantes do Office 365 recebem 60 minutos de chamadas do Skype por mês. Dessa forma, eles podem permanecer em contato com amigos e parceiros do mundo inteiro.

O Office 365 Home permite também a instalação em até cinco computadores ou Macs. Além disso, também comporta até cinco tablets com Windows, Android ou iPad. Com isso, ele se torna a solução ideal para residências com mais de um usuário.

Ainda com dúvidas de qual melhor versão? Acesse a página oficial da Microsoft.

O que há em comum entre as versões 2016 e 365?

Os programas Word, PowerPoint, Excel e OneNote estão disponíveis em qualquer pacote do Office. Por isso, independentemente de qual for a versão escolhida, a Microsoft vai disponibilizar a última versão desses aplicativos. Além disso, eles também fornecem um espaço adicional ao OneDrive. No entanto, este varia de acordo com o pacote comprado pelo usuário.

 

Quais são os requisitos mínimos para ambos?

Tanto a versão 365 como a 2016 compartilham os mesmos requisitos em computadores. Para PCs, é necessário ter o Windows 7 Service Pack 1 ou superior. Além disso, é necessária uma máquina com processador de 1 GHz, 2 GB de RAM, 3 GB de espaço livre em disco, e monitor com resolução mínima de 1280 x 800 pixels.

No caso do Mac, basta ter o OS X 10.10 com chip Intel, 4 GB de RAM, 6 GB de espaço em disco e monitor com resolução mínima de 1280 x 800 pixels. Já no caso de celulares e tablets, o Office 365 exige Android 4.4 (KitKat), iOS 8, Windows Phone 8 ou versões posteriores. Isso porque ele consiste em uma versão robusta demais para aplicativos.

 

Afinal, qual escolher?

Para ter o Office e aproveitar ofertas para serviços de nuvem, como Skype e OneDrive, o plano 365 tende a ser mais vantajoso. Afinal, o pacote traz o conjunto completo de aplicativos de produtividade. Ele também custa menos do que pagar separadamente pelos programas, espaço de armazenamento e ligações (VoIP). Além disso, a Microsoft garante aplicativos atualizados enquanto a assinatura estiver ativa.

Já a versão 2016 é a melhor escolha para quem não quer se preocupar com mais uma mensalidade ou anuidade. Especialmente se o usuário em questão não fizer questão de manter espaço nuvem ou usar o Skype. No Office 2016, o usuário pode escolher exatamente os aplicativos que precisa. Além disso, ele paga uma única vez para ter a suíte por tempo indeterminado. Outra opção, em especial para quem tem empresa, é consultar uma consultoria especializada em TI para obter opinião profissional acerca de qual é a melhor versão para cada negócio.