Por Juliana Gaidargi em 5/07/2019 em Segurança

Não é novidade que a transformação digital causa impactos na segurança da empresa. Especialmente porque um número crescente de empresas está adotando dispositivos de Internet das Coisas (IoT) e transferindo mais dados para ambientes de nuvem.

Transformação digital e impactos na segurança da empresaO advento dessas tecnologias também está mudando o pensamento das empresas. Afinal, elas estão adaptando modelos de negócios tradicionais e inovando na forma de alavancar dados para o crescimento.

Ebook Melhores Práticas em Gestão de TI

Portanto, enquanto a transformação digital apresenta uma gama de oportunidades para as empresas de hoje, também traz desafios. Algumas das mais prevalentes são os impactos na segurança da empresa. Afinal, esta precisa estar em contínua evolução para acompanhar a expansão da presença digital.

Nova tecnologia introduz novos riscos

Investimento em tecnologia não é um fenômeno novo e mais organizações estão adotando uma abordagem digital para aumentar a produtividade. Isso mostra um aumento no número de arquiteturas sem servidor, infraestruturas virtualizadas e software de código aberto implementado pelas organizações.

Esse aumento foi paralelo ao crescimento da Internet das Coisas (IoT). No entanto, ao adotar essa rota virtual, as organizações estão apresentando aos criminosos cibernéticos inúmeros pontos de entrada no sistema para causar interrupções nos negócios.

De acordo com uma pesquisa recente da Fortinet, 85% dos diretores de segurança da informação percebem as questões de segurança relacionadas à transformação digital como tendo um enorme impacto na segurança da empresa.

Dessa forma, a transformação digital está alterando as necessidades de segurança de maneiras fundamentais. Aqui estão algumas das alterações que você deve conhecer:

Superfície de ataque expandida

Quanto mais aplicativos, dados e processos se movem para o mundo digital, mais oportunidades existem para hackers e outros atores ruins. Afinal, existem mais pontos de entrada em potencial. Isso dificulta que os profissionais de segurança acompanhem todas as vulnerabilidades e acompanhem todas as ameaças.

Há também o potencial para os hackers se moverem lateralmente pela rede de uma empresa ao terem acesso a um sistema. Ou seja, uma rede é tão segura quanto seu ponto mais fraco. A situação é ainda mais desafiadora com produtos de segurança em silos, que limitam a visibilidade da rede.

Maior potencial de dano

O potencial de dano devido a uma violação de dados ou hack também é maior do que nunca. Afinal, os dados são extremamente valiosos para as empresas hoje em dia. Contudo,mais dispositivos estão conectados à Internet atualmente. Ou seja, existem mais pontos passíveis de serem invadidos.

Infográfico Modelos de Suporte Técnico Para Contratar

Vale ressaltar que alguns desses dispositivos e tecnologias estão envolvidos em atividades críticas. Portanto, um evento em que um ataque cibernético interrompa algumas dessas atividades pode ter implicações graves. Por exemplo, a rede de energia, o equipamento hospitalar e os veículos agora possuem componentes digitais. Além disso, quanto mais fortemente uma organização depende de tecnologias digitais, mais prejudicial seria um ataque.

Redes corporativas não contidas

No passado, muitas empresas possuíam redes e hospedavam todos os seus equipamentos de TI no local. Algumas empresas, especialmente as grandes ou aquelas que lidam com dados especialmente confidenciais, ainda fazem isso. No entanto, a maioria das empresas usa algum tipo de aplicativo digital e pode hospedar seus servidores na nuvem.

Isso significa que as redes dessas empresas não são contidas e têm conexões com a internet acessíveis publicamente. Embora essas redes devam ter proteções que restrinjam o acesso, o uso de tecnologias digitais introduz o potencial de hackers romperem essas defesas e acessarem as redes das empresas.

Mudança constante

Capacidades digitais e outras melhorias tecnológicas aumentaram a velocidade com que os desenvolvedores podem criar e atualizar softwares. A tecnologia de hoje muda rapidamente e isso gera grandes benefícios. No entanto, também torna mais difícil acompanhar os processos de segurança.

Portanto, essa maior velocidade nas mudanças facilita o escape das vulnerabilidades de segurança. Além disso, criminosos cibernéticos também estão constantemente buscando novos métodos. Ou seja, profissionais de segurança precisam trabalhar constantemente para criar novas maneiras de fornecer proteção.

Aumento na sofisticação dos ataques

Não são apenas as técnicas de hackers que mudam rapidamente. AS soluções usadas em si também estão se tornando mais sofisticadas. Afinal, atualmente, criminosos cibernéticos podem usar inteligência artificial e outras tecnologias avançadas. Tal como os profissionais de segurança.

Um tipo de ataque habilitado por IA, chamado de ataque polimórfico, é um desafio significativo. Isso porque esses tipos de ataques podem se transformar para evitar a detecção por soluções de segurança tradicionais.

Minimizando os impactos na segurança da empresa 

Quais mudanças os responsáveis ​​pela segurança cibernética devem fazer para dar conta dos efeitos da transformação digital? Aqui estão algumas sugestões:

Integrar sistemas de segurança

A integração de sistemas de segurança ajuda a melhorar a visibilidade em uma rede e auxilia no gerenciamento de uma superfície de ataque maior.

Construir em segurança

Use aplicativos e dispositivos que tenham segurança interna. Se estiver criando um aplicativo, defina as configurações de segurança fortes como a opção padrão.

Fornecer treinamento para a equipe

Afinal, as lacunas de habilidades relacionadas às tecnologias digitais e à segurança cibernética podem levar as empresas a ameaças. Portanto, fornecer treinamento regular ao pessoal de TI e segurança cibernética melhora seu desempenho. Além disso, treine outros membros da equipe sobre como reconhecer e-mails de golpistas e evitar a exposição de dados a ameaças.

Realizar testes regulares

Realize testes regulares de penetração para descobrir possíveis vulnerabilidades. Tal como oportunidades para melhorar a segurança.

Automatizar as práticas de segurança cibernética

A incorporação da automação nos processos de segurança pode ajudar as empresas a monitorar continuamente as ameaças. Isso, além de ampliar as proteções cibernéticas, mesmo com recursos e pessoal limitados.

Compartilhar inteligência de ameaças

Se informações sobre uma possível ameaça forem descobertas , compartilhe-as por toda a organização. Dessa forma, todos poderão tomar medidas para minimizar os riscos.

Usando a transformação digital para mitigar impactos na segurança da empresa 

Proteger a empresa contra ameaças requer uma abordagem proativa. Ou seja, continuamente integrada e automatizada à segurança cibernética. Também exige que as empresas ajustem suas estratégias à medida que o cenário de ameaças continua a evoluir.

À medida que o setor de segurança cibernética se expande, o número de soluções de segurança disponíveis explodiu. Dessa forma, um estudo recente revelou que os profissionais de segurança de TI estão lutando para acompanhar as tecnologias que impulsionam a transformação digital.

Apesar das novas ofertas para melhorar as Suply Chains e digitalizar as experiências dos clientes, novos desafios de segurança se abriram na forma de uma superfície de ataque expandida. Portanto, esta é uma faca de dois gumes e está se tornando cada vez mais uma questão de sala de reuniões.

Então, como as empresas acompanham o ritmo da inovação e da concorrência enquanto protegem seus ativos críticos de violações de segurança?

O profissional de TI e a transformação digital

Um estudo recente destacou essas preocupações por profissionais de segurança de TI. Muitos estão preocupados que os principais ativos estivessem sendo armazenados e processados ​​digitalmente. Ou seja, que estivessem mais vulneráveis ​​a ataques, onde um cibercriminoso poderia desenvolver uma estratégia para identificar um ponto fraco e se mover lateralmente dentro de um sistema organizacional e explorar seus dados. Sabendo disso, a pressão está nas equipes de segurança para ir além do dever.

Portanto, simplesmente corrigir e mitigar vulnerabilidades na infraestrutura independentemente de aplicativos e outras tecnologias de conexão não é mais suficiente. Para garantir que uma organização esteja totalmente protegida, é necessária total transparência e visibilidade. Especialmente para levantar quaisquer preocupações de segurança cibernética dentro da tecnologia.

Mais fácil falar do que fazer

À medida que o número de tecnologias continua a se expandir, as que mais sofrem com isso são as equipes de segurança de TI. Afinal, esses defensores de todas as coisas virtuais estão encarregados de garantir a segurança dos dados por trás das paredes dos sistemas. No entanto, com recursos e mão-de-obra limitados , espera-se que os profissionais de segurança de hoje saibam onde cada faixa de dados é mantida e protegida. Isso tudo mantendo-se atualizados com as tendências atuais.

Ou seja, eles estão sob forte pressão, esticados e isso é atribuído à lacuna de habilidades do setor. Infelizmente, isso não é novidade e continua sendo um dos maiores problemas para os CIOS tentarem resolver.

Efeito dominó 

Contudo, isso desencadeia um efeito dominó. Ele começa com a organização e termina com seus clientes e parceiros, que acabam sofrendo ainda mais. Na verdade, descobriu-se recentemente que mais de 40% dos profissionais de segurança de TI admitiram ignorar os problemas críticos de segurança quando não sabem como corrigi-los ou não têm tempo para resolvê-los.

Portanto, equipes de segurança precisam de ajuda e soluções para esse problema antigo.  É o caso de automatizar os processos de segurança cibernética. Tal como melhorar a qualificação da equipe para diminuir o ônus de garantir o sucesso a longo prazo.

Obtendo o equilíbrio certo

Com a transformação digital, os impactos na segurança da empresa são muitas vezes abafados. Entretanto, com as violações de dados de alto perfil circulando diariamente nas manchetes e legislações recém-aplicadas, as organizações precisam equilibrar a tecnologia e a segurança.

Ebook Dicionário do Outsourcing de TI

Portanto, as organizações precisam obter exposição total e entender sua exposição cibernética em redes, aplicativos, infraestruturas em nuvem, armazenamentos de dados e privilégios de acesso do usuário. O teste de penetração seria um método apropriado para obter uma visão geral holística de todo o sistema. Especialmente para destacar os ativos vulneráveis ​​e descobrir problemas críticos que poderiam colocar a empresa em risco.

Automatização e seus impactos na segurança da empresa

A introdução da automação em soluções de monitoramento de segurança contínuas pode ser igualmente benéfica e eficiente. Principalmente para atender às técnicas sempre em mutação usadas pelos cibercriminosos de hoje. Isso é especialmente válido se as organizações fizerem o patch apenas uma ou duas vezes por ano. Afinal, negligenciar patches e atualizações do sistema apresenta uma enorme janela de oportunidade para os invasores.

Portanto, ao automatizar o processo de segurança, a superfície de ameaças será naturalmente reduzida. Consequentemente, as equipes de segurança poderão focar em remediação de problemas com base em níveis de risco que maximizam seu tempo e eficiência.

Dessa forma, as organizações não devem negligenciar as informações fornecidas por tais testes e devem agir de acordo com os resultados. Se possível, da forma mais próxima da avaliação final. Portanto, os envolvidos devem entender o risco potencial de vulnerabilidades encontradas no ambiente e abordar as descobertas tanto do ponto de vista comercial quanto técnico. Isso permitirá que executivos de nível C tomem decisões informadas sobre a estratégia de remediação. Assim é possível deixar as equipes de segurança com uma visão mais clara das várias soluções e tecnologias disponíveis para tratar dos problemas de segurança necessários.

Fontes:

Information Age

Infosecurit

Deixe um comentário