Blog Infonova

Informação para tomada de decisão

Resultado da pesquisa por: ""

O que é hiperconvergência (HCI) e quais são seus benefícios

Por Juliana Gaidargi em 25/02/2021 em Gestão de TI

Existem várias razões para considerar a infraestrutura hiperconvergente para o seu data center. Afinal, a hiperconvergência (HCI) oferece velocidade e simplicidade em comparação às antigas formas de configuração de servidor.

Atualmente, a demanda por equipamentos de data center local está diminuindo. Isso acontece conforme as organizações movem as cargas de trabalho para a nuvem. Entretanto, o data center local está longe de cair em desuso. Ainda assim, um segmento que está prosperando é a infraestrutura hiperconvergente (HCI).

O que é hiperconvergência (HCI)?

HCI é uma forma de infraestrutura integrada de software de scale-out. Contudo, ela aplica uma abordagem modular à capacidade de computação, rede e armazenamento. Portanto, ao invés de silos com hardware especializado, a hiperconvergência (HCI) aproveita blocos horizontais distribuídos de hardware comum e oferece um painel de painel único para relatórios e gerenciamento.

No entanto, os fatores variam. Afinal, as empresas podem escolher implantar um software de hiperconvergência independente de hardware de fornecedores como Nutanix e VMware. Contudo, também podem optar por um dispositivo HCI integrado de fornecedores como HP Enterprise, Dell, Cisco e Lenovo.

hiperconvergência HCI

Projeções do Gartner

A verdade é que esse mercado está crescendo rapidamente. Em 2023, o Gartner projeta que 70% das empresas estarão executando alguma forma de infraestrutura hiperconvergente, contra menos de 30% em 2019.

E conforme a HCI cresce em popularidade, provedores de nuvem estão fornecendo conexões no local de Produtos HCI para implantação e gerenciamento híbrido. É o caso da Amazon, Google e Microsoft.

Por que a hiperconvergência (HCI) é tão popular?

1) Tem design simplificado

Projetos de data center tradicionais usam silos de armazenamento separados. Estes, por sua vez, contam com camadas individuais de servidores e rede especializada abrangendo os silos de computação e armazenamento. 

Isso funcionou muito bem na era pré-nuvem. Contudo, hoje em dia esse modelo é considerado rígido demais.

“É insustentável para as equipes de TI levar semanas ou meses para provisionar uma nova infraestrutura para que a equipe de desenvolvimento possa produzir novos aplicativos e chegar ao mercado rapidamente”, disse Greg Smith, vice-presidente de marketing de produto da Nutanix.

Portanto, a HCI simplifica radicalmente as arquiteturas e operações do data center. Afinal, reduz o tempo e as despesas de gerenciamento de dados e entrega de aplicativos.

2) Integração na nuvem

Softwares de hiperconvergência (HCI) são implantados da mesma maneira no data center do cliente e nas instâncias de nuvem. Ou seja, são executados em instâncias bare metal na nuvem exatamente da mesma forma que em um data center. Por isso empresas consideram a HCI a melhor base. Pelo menos as que desejam construir uma nuvem híbrida. Afinal, permite implantar aplicativos em seu data center e combiná-los com uma nuvem pública.

“Como é o mesmo nas duas extremidades, posso ter uma equipe gerenciando uma nuvem híbrida de ponta a ponta. Contudo, com a confiança de que todos os aplicativos executados na minha nuvem privada também serão executados naquele ambiente de nuvem pública”, acrescenta Greg Smith.

3) Capacidade de começar pequeno e depois crescer muito

“A HCI permite que você consolide computação, rede e armazenamento em uma única caixa. Além disso, permite que você amplie essa solução de maneira rápida e fácil, sem muito tempo de inatividade”, afirma Tom Lockhart, gerente de sistemas de TI da Hastings Prince Edward Public Health em Bellville, Ontário, Canadá.

Em uma abordagem legada, várias peças de hardware devem ser instalados e configurados separadamente. É o caso de um servidor, switch Fibre Channel, adaptadores baseados em host e um hipervisor, por exemplo. 

No entanto, com a hiperconvergência, tudo é definido por software. Afinal, a HCI usa o armazenamento no servidor, e o software quase autoconfigura totalmente e detecta o hardware. Ou seja, configura as conexões entre computação, armazenamento e rede.

Adaptabilidade

“Depois que entramos em uma carga de trabalho, [os clientes] normalmente têm uma experiência muito boa. Alguns meses depois, eles tentam outra carga de trabalho, depois outra, e começam a estendê-la de seu data center para sites remotos ”, disse Chad Dunn, vice-presidente de gerenciamento de produto de HCI da Dell.

“Eles podem começar pequenos e crescer cada vez mais. No entanto, também têm uma experiência de modelo operacional consistente, quer tenham 1.000 nós ou três nós por site em 1.000 sites, quer tenham 40 terabytes de dados ou 40 petabytes. Eles têm atualizações de software consistentes em que não precisam treinar novamente seu pessoal porque é o mesmo conjunto de ferramentas ”, acrescentou Dunn.

4) Pegada reduzida

Começando com pouco, os clientes descobrem que podem reduzir sua pilha de hardware para apenas o que precisam. Ou seja, se livram de ter que superprovisionar capacidade excessiva. Além disso, se afastar da abordagem em silos também permite que os usuários eliminem certos hardwares.

Josh Goodall, engenheiro de automação da fabricante de aço USS-POSCO Industries, diz que sua empresa implantou HCI principalmente por sua capacidade de fazer clusters estendidos. Nesse esquema, o cluster de hardware está em dois locais físicos, porém interligados. Isso é útil principalmente para uso como backup. Afinal, se um site cair, o outro pode assumir a carga de trabalho. Contudo, no processo o USS-POSCO se livrou de muitos hardwares e softwares caros. 

“Eliminamos várias licenças de CPU [software], eliminamos o SAN de outro site, não precisávamos do software SRM [gerenciamento de recuperação de site] e não precisávamos do licenciamento Commvault. Economizamos entre $ 25.000 e $ 30.000 em renovações anuais de licença ”, diz Goodall.

5) Não demanda nenhuma habilidade especial 

Para executar um ambiente tradicional de três camadas, as empresas precisam de especialistas em computação, armazenamento e rede. No entanto, com a hiperconvergência (HCI), uma empresa pode gerenciar seu ambiente com consultores e equipes gerais de tecnologia ao invés de especialistas mais caros.

“A HCI capacitou o generalista de armazenamento”, afirma Smith. “Portanto, você não precisa contratar um especialista em armazenamento, um especialista em rede. Todos precisam ter infraestrutura, mas eles tornaram a manutenção real da infraestrutura muito mais fácil do que em um cenário típico, onde um nível profundo de especialização é necessário para gerenciar sob esses três conjuntos de habilidades. ”

Lockhart, da Hastings Prince Edward Public Health, afirma que adicionar novos computadores / armazenamento / rede também é muito mais rápido quando comparado à infraestrutura tradicional. 

Agilidade

“Uma atualização para nosso cluster de servidor durou 20 minutos sem tempo de inatividade, em comparação com horas de tempo de inatividade com uma interrupção no serviço usando o método tradicional”, afirma.

Portanto, ao invés de se concentrar na infraestrutura, você pode expandir a quantidade de tempo e recursos que gasta em cargas de trabalho. E isso agrega valor ao seu negócio. Afinal, quando você não precisa se preocupar com infraestrutura, pode dedicar mais tempo a atividades que agregam valor aos seus clientes.

6) Recuperação de desastres mais rápida

Os principais elementos dos produtos de hiperconvergência são seus recursos de backup, recuperação, proteção de dados e desduplicação de dados, além de análises para examinar tudo. Os componentes de recuperação de desastres são gerenciados a partir de um único painel. Então, a HCI monitora não apenas o armazenamento local, mas também os recursos de armazenamento em nuvem. Com a desduplicação, taxas de compactação de até 55: 1 e backups podem ser feitas em minutos.

A USS-POSCO Industries é uma loja da HP ​​Enterprise e usa o software SimpliVity HCI da HPE. Ele inclui desduplicação, backup e recuperação. Goodall diz que consegue compressão de 12-15: 1 em cargas de trabalho mistas, e isso eliminou a necessidade de software de backup de terceiros. Mais importante, os prazos de recuperação diminuíram. 

“O melhor exemplo recente é uma atualização do Windows que bagunçou uma linha de fabricação e o erro não foi percebido por algumas semanas. Em cerca de 30 minutos, rolei por quatro semanas de backups, atualizei o sistema, reiniciei e testei um sistema de 350 GB. Restaurar apenas um backup teria sido um processo de várias horas ”, diz Goodall.

7) Análise de hiperconvergência

Os produtos HCI vêm com uma quantidade considerável de software analítico para monitorar cargas de trabalho e encontrar restrições de recursos. O software de monitoramento é consolidado em uma visão de painel único do desempenho do sistema, incluindo desempenho com impacto negativo.

Hastings recentemente teve um problema com a migração do Windows 7. Contudo, o modelo HCI facilitou a obtenção de informações de desempenho

“Isso mostrou que as cargas de trabalho, dependendo da hora do dia, estavam ficando sem memória e havia fila de CPU e paginação excessiva. Tínhamos todo o [problema] escrito em uma hora. Foi fácil determinar onde estão os problemas. Pode demorar muito mais sem aquela visão de um único painel de vidro ”, diz Lockhart.

8) Menos tempo gerenciando rede e recursos de armazenamento

Goodall diz que costumava gastar até 50% de seu tempo lidando com problemas de armazenamento e matrizes de backup. Contudo, agora ele passa talvez 20% do tempo lidando com isso e a maior parte do tempo lidando com e abordando sistemas legados. Além disso, seus aplicativos têm melhor desempenho em HCI. 

“Não tivemos problemas com nossos bancos de dados SQL. No mínimo, vimos um enorme ganho de desempenho devido à mudança para SSDs completos [em vez de discos rígidos] e a eliminação de duplicação de dados, reduzindo leituras e gravações no ambiente.

Como fazer backup de infraestrutura hiperconvergente

Fazer backup de infraestrutura hiperconvergente significa fazer backup de máquinas virtuais e isso significa várias opções para escolher.

As empresas que executam hipervisores em sistemas de hiperconvergência (HCI) geralmente têm opções de backup disponíveis que não estão disponíveis para aqueles que executam em hardware genérico. Contudo, esses clientes também podem ter desafios adicionais de backup, dependendo do fornecedor de HCI e do hipervisor que escolheram. Confira a seguir:

Backup de hipervisor tradicional

Ao fazer backup de servidores físicos, você pode executar um backup completo em todos eles ao mesmo tempo. Contudo, é uma situação totalmente diferente se todos esses servidores forem, na verdade, máquinas virtuais que compartilham o mesmo servidor físico. 

Afinal, até mesmo a execução de vários backups incrementais de arquivo completo (backup de todo o arquivo, mesmo se apenas um byte foi alterado) ao mesmo tempo pode afetar significativamente o desempenho do seu hipervisor. 

É por isso que a maioria dos clientes que usam produtos de virtualização de servidor, como VMware ou Hyper-V, mudou para métodos mais amigáveis ​​ao hipervisor.

As opções incluem métodos de desduplicação incremental no nível do bloco ou no lado da origem. Embora não sejam tecnicamente projetados para backups de VM, eles podem ser muito úteis. Afinal, reduzem significativamente os requisitos de E / S de um backup em uma ordem de magnitude ou mais. 

Mantendo o desempenho

Eles também possibilitam a execução de backups no nível da VM sem afetar o desempenho geral do hipervisor. Uma desvantagem é que ele reduz a eficiência da virtualização porque requer a instalação e manutenção do software cliente em cada VM. É por isso que a maioria das pessoas que fazem backup de VMs optam por backups em nível de hipervisor.

Os backups no nível do hipervisor utilizam software ou APIs no nível do hipervisor. Cada hipervisor principal oferece essa API. Então, os sistemas de backup que fazem interface com essas APIs normalmente podem solicitar ao hipervisor os blocos que foram alterados desde o último backup bem-sucedido.

O sistema de backup faz backup apenas dos blocos alterados, reduzindo significativamente o requisito de E / S. Dessa forma, reduz a quantidade de CPU necessária para identificar e localizar os blocos alterados. O efeito combinado desses dois recursos reduz significativamente o impacto dos backups no hipervisor.

Backup baseado em instantâneo

Alguns produtos de armazenamento conectaram APIs de backup de hipervisor com seu recurso de instantâneo como metodologia de backup. Então, tudo o que os clientes precisam fazer é colocar seu armazenamento de dados no sistema de armazenamento em questão e fornecer o nível apropriado de autenticação no hipervisor. 

Contudo, na programação acordada, o sistema de instantâneo faz interface com o hipervisor, coloca as várias VMs no modo de backup apropriado e tira um instantâneo de nível de armazenamento. O instantâneo leva apenas alguns segundos para ser feito, então as VMs podem ser retiradas do modo de backup. Isso é mais rápido que o método de backup anterior e tem um impacto menor no desempenho do backup.

Entretanto, os instantâneos precisam ser replicados para outro sistema de armazenamento para serem considerados um backup válido. Essa replicação normalmente requer muito pouca largura de banda e CPU. Portanto, é relativamente fácil de realizar. Isso permite que as empresas que usam esse método de backup tenham uma cópia local e externa, sem nunca ter que executar o que a maioria das pessoas considera um backup.

Backups instantâneos e HCI

Os backups baseados em instantânos oferecem alguns dos objetivos de tempo de recuperação mais rápidos. Tal como objetivos de ponto de recuperação mais restritos do setor. Isso, caso sejam replicados para outro local. Contudo, tradicionalmente exigem um produto de armazenamento separado, que pode ser muito caro. E isso é uma grande desvantagem de usá-los.

Felizmente, muitos sistemas de infraestrutura hiperconvergente cuidam dessa desvantagem agrupando computação, rede e armazenamento em um único pacote. Este também inclui mecanismos de proteção de dados baseados em instantâneos. 

Portanto, eles usam o método de backup baseado em instantâneo, mas sem exigir um sistema de armazenamento separado. Este sistema único e integrado torna mais fácil criar e gerenciar VMs ao mesmo tempo em que garante que os backups também estejam acontecendo por meio do sistema de backup baseado em instantâneo integrado da HCI. 

Centralização

Ao invés de sistemas de computação, rede, armazenamento e backup de quatro fornecedores diferentes, o mundo HCI oferece um único fornecedor que realiza tudo isso. Esse é um motivo que contribui para que muitas empresas, especialmente as menores, tenham realmente aderido à HCI.

Além disso, alguns levam a proteção de dados integrada ainda mais longe. Afinal, integram esses backups na nuvem, fornecendo também uma função de DR. Isso permite que você recupere todo o seu datacenter para a nuvem, sem nunca executar um backup tradicional ou replicar dados da maneira que você faria em um cenário típico de DR.

E quanto aos hipervisores menos usados?

Alguns fornecedores de hiperconvergência (HCI) não usam Hyper-V ou VMware. Por exemplo, Scale Computing usa o hipervisor KVM e o Nutanix usa o hipervisor Acropolis (AHV), embora o Nutanix também suporte VMware. 

A preocupação potencial aqui é se esses hipervisores têm o mesmo nível de APIs de proteção de dados oferecidos pelo VMware e Hyper-V e se os fornecedores de backup gravam nessas APIs.

Então, os clientes que usam fornecedores de HCI que usam hipervisores não convencionais têm duas opções básicas para proteção de dados: 

  1. Encontrar um fornecedor de software de backup que ofereça suporte ao hipervisor;
  2. Usar os recursos integrados de proteção de dados disponíveis no produto HCI. 

Alguns fornecedores atendem às necessidades de backup desse mercado. Os sistemas de backup baseados em instantâneos integrados disponíveis em Scale Computing e Nutanix estão no mesmo nível dos sistemas de backup baseados em instantâneos mencionados em outras plataformas HCI.

Contudo, os recursos integrados de proteção de dados e recuperação de desastres de alguns fornecedores de HCI atendem ou excedem o que é possível usar de ferramentas de terceiros. Essas empresas argumentam que isso é simplesmente mais uma coisa que estão simplificando, e esse é um argumento sólido. Afinal, se um único produto puder atender às suas necessidades de computação, rede e armazenamento, ao mesmo tempo que garante a proteção em caso de interrupção ou desastre, essa é uma oferta atraente.

Hiperconvergência como um serviço 

Um serviço de hiperconvergência (HCI) gerenciado pode fornecer aos operadores de data center benefícios de custo, redução da carga de trabalho da equipe e benefícios de escalabilidade relacionados à nuvem. Afinal, a infraestrutura hiperconvergente (HCI) fez incursões substanciais em ambientes corporativos e os fornecedores responderam com novos casos de uso e cenários de compra. E isso inclui uma opção de implantação emergente: HCI como serviço.

A HCI convencional combina servidores, armazenamento e recursos de rede em uma única caixa. Então, fornece aos usuários um gateway para gerenciamento simplificado e centralizado do data center. Entretanto, a hiperconvergência como serviço (HCIaaS) aumenta a vantagem. Afinal, permite que os operadores de data center adotem HCI de uma maneira que promete reduzir as despesas operacionais e financeiras.

Vários fornecedores de HCI, incluindo VMware, Nutanix, Dell e HPE, oferecem uma opção de serviço gerenciado, diz Naveen Chhabra, analista sênior da empresa de pesquisa de TI Forrester. 

“Basicamente, isso transforma as despesas de capital e o investimento único em uma [despesa operacional]. Afinal, na maioria dos casos, o fornecedor também gerenciará as operações diárias da HCI” – Chhabra.

Aluguel de infra

Portanto, quando uma organização adquire um HCI convencional, está essencialmente comprando ou alugando hardware e licenciando o software que o faz funcionar. Ao menos é o que diz Fred Chagnon, principal diretor de pesquisa do setor de provedor de serviços de TI da empresa de pesquisa de TI Info-Tech Research Group. 

“A HCIaaS combina o produto HCI com um modelo de contrato terceirizado, fornecendo a capacidade de adquirir a infraestrutura necessária, bem como instalá-la e operá-la por um único fornecedor.”

Anteriormente, nos casos em que uma organização não tinha o conjunto de habilidades necessário para operar a pilha de HCI, ela poderia terceirizar a operação. Bastava contratar um provedor de serviços de TI externo que oferecesse a capacidade como serviço. Contudo, os fornecedores de HCIaaS agora oferecem a capacidade de adquirir a infraestrutura necessária, bem como instalá-la e operá-la por um único fornecedor. 

“Se aceitarmos que HCI é o colapso de componentes tradicionais de servidor, rede e armazenamento em um nó de infraestrutura tudo-em-um, HCIaaS é simplesmente uma mudança na natureza de como esse bloco é adquirido.”

Então, em essência, a hiperconvergência como um serviço elimina a necessidade de uma empresa provisionar, gerenciar e solucionar problemas de sua infraestrutura de data center. 

“Eles não precisam mais gerenciar servidores, redes etc. Afinal, ao invés disso, as equipes de TI podem se concentrar em suas políticas de HCI para entregar seus aplicativos da maneira ideal.” – diz Rajiv Mirani, CTO da Nutanix.

HCIaaS no trabalho

A implantação da HCIaaS pode ser local ou em uma nuvem pública.

“Os benefícios reais do HCIaaS no local podem ser percebidos muito mais rápido [do que o HCI local convencional]. Afinal, conta com a simplificação da implantação, facilidade de gerenciamento e administração” – Amr Ahmed, diretor-gerente de consultoria de TI e prática de transformação de tecnologia da EY.

No caso da nuvem pública HCIaaS, o provedor da nuvem mascara toda a sobrecarga de administração por meio de seus recursos internos de automação e orquestração. Então, permite que as tarefas administrativas funcionem de forma invisível em segundo plano. Portanto, a implantação de HCIaaS em nuvem pública oferece agilidade, escalabilidade virtualmente ilimitada e tempo de execução muito mais curto para a produção.

Entretanto, a implantação de HCIaaS usando hardware local, rodando em uma nuvem privada, geralmente oferece uma capacidade muito melhor de resposta do dispositivo / usuário e experiência do usuário. No entanto, sua escalabilidade limitada pode ser um desafio.

A hiperconvergência (HCI) já oferece suporte a muitos dos recursos oferecidos pelos provedores de nuvem. É o caso da multilocação e controle de acesso profundo, uma medida de segurança implementada para impedir que os usuários manipulem ou acessem dados de dispositivos públicos, desconhecidos e não autorizados. E o HCIaaS se baseia justamente nisso. 

Hipervisor as a Service

“Normalmente, há um console centralizado que fornece controle para todos os componentes, e você verá isso como um serviço. Na nuvem HCI, esse software acopla firmemente os componentes, e a infraestrutura fortemente acoplada é capaz de remover muito da latência, resultando em sistemas de execução mais rápida, em geral” – disse David Linthicum, diretor de estratégia de nuvem da consultoria empresarial Deloitte Consulting.

No entanto, um hipervisor, também fornecido como um serviço, permite que os usuários executem várias máquinas virtuais. Isso torna VMs relativamente fáceis de implantar para novos aplicativos e configurações conforme os requisitos mudam com o tempo. 

“Além disso, os clusters de vários nós fornecem redundância para eliminar o tempo de inatividade. Já o armazenamento definido por software elimina o risco de perda de dados quando as unidades e / ou nós falham”, diz Linthicum. 

Por fim, como a HCI é uma tecnologia modular. Ou seja, os adotantes podem expandir sua infraestrutura para recursos adicionais de processamento, memória e armazenamento conforme suas necessidades aumentam. Afinal,  tudo isso acontece na nuvem.

A cobrança da HCIaaS é por assinatura. Contudo, a gestão e manutenção dos aparelhos são feitas pelo fornecedor. 

“Os clientes pagam apenas pelo que estão usando, incluindo RAM, CPU e armazenamento. Portanto, os preços da HCI são flexíveis e baseados no uso por hora ou mensal.”

Benefícios da HCI como serviço

Uma atração principal do HCIaaS é que os adotantes não são obrigados a comprar nenhum hardware ou software. Isso explica as muitas das razões pelas quais a computação em nuvem ganhou espaço: 

  • Recursos sob demanda;
  • Escalabilidade;
  • Melhor eficiência e agilidade de negócios.

“O foco é economizar dinheiro, facilitar a capacidade do negócio de mudar e crescer. Tudo isso com outros cuidando das operações e da manutenção” – explica Linthicum.

Não é à toa que esse modelo atrai organizações que buscam os benefícios de executar operações na nuvem pública. E isso inclui uma infraestrutura rápida e elástica, bem como as vantagens inerentes ao uso de recursos agrupados. “Eles também gostam do fato de que, na nuvem pública, não precisam operar a infraestrutura. Afinal, essa carga pertence ao provedor de serviços em nuvem”, diz Chagnon.

“Já com a HCIaaS local, os fornecedores estão posicionando suas soluções como uma ‘infraestrutura’ de nuvem privada entregue como serviço. Com a HCIaaS, [os clientes] obtêm todos os benefícios da nuvem pública em uma caixa [que] roda para eles em seu próprio data center”, diz Chagnon. .

Outros benefícios importantes, diz Ahmed, incluem a implantação rápida em todos os locais de hospedagem e um recurso de gerenciamento de várias nuvens integrado. Ou seja, os adotantes podem escolher entre uma ampla gama de modelos de preços, obter um tempo de construção reduzido habilitado por meio de automação e padronização e ganhar a capacidade de escalar de acordo com as demandas específicas do local e do negócio. Afinal, basta simplesmente adicionar ou remover nós.

Cuidados com a terceirização de infraestrutura de HCI

Junto com seus inúmeros benefícios potenciais, a HCIaaS também apresenta algumas desvantagens. É o caso de uma alta taxa de falhas associada à terceirização de infraestrutura.

“Nossa pesquisa no mercado de terceirização de infraestrutura tem mostrado rotineiramente que quase metade, 47%, de todos os clientes que terceirizam suas operações de infraestrutura para um parceiro não percebem o valor total desse compromisso no primeiro ano”, relata Chagnon. 

A devida diligência insuficiente que levou à contratação é um dos principais motivos para economias abaixo da média, diz ele. “Seja qual for o caso, esses confrontos são carregados e complicados, e não são o que pretendem ser”, diz ele.

Infelizmente, a HCIaaS tende a falhar quando se trata de tarefas que dependem de controle físico. É o caso de quando um mandato de conformidade determina que os dados devem ser armazenados no local, por exemplo.

“Além disso, você está contando com o provedor de HCI para manter o sistema HCI operacional com poucas interrupções. Contudo, se eles não puderem fazer isso, você estará praticamente à mercê deles ou terá que pagar os custos de migração para voltar ao local ou a outro provedor de HCI.”

Atenção ao contrato

Chhabra alerta que contratos de serviço unilaterais também podem diminuir significativamente o valor geral e o apelo da hiperconvergência como serviço. “Afinal, normalmente um cliente está preso a um contrato de prazo definido com seu provedor de serviços. No entanto, as empresas acham que podem rescindir o contrato a qualquer momento. Acham que funciona como a nuvem pública. Contudo, não é tão fácil e simples em uma implantação privada no local”, explica Chhabra.

A hiperconvergência como serviço também não dispensa as empresas da necessidade de desenvolver uma estratégia abrangente de data center. “As empresas ainda devem planejar a aplicabilidade da tecnologia para seus casos de uso de negócios. Além disso, elas também devem planejar expansões de capacidade [e] estar mais envolvidas nessas decisões e operações.”

Perspectiva futura: HCI baseado em nuvem

O futuro imediato da HCIaaS parece ser tudo, menos nebuloso. “No futuro, acreditamos que mais clientes adotarão um modelo baseado em assinatura. Afinal, isso permitirá que eles sejam flexíveis, paguem apenas pelo que usarem e potencialmente reduzam os custos de hardware, semelhante a um modelo de nuvem pública”, disse Ahmed. 

“Portanto, a HCI baseada em nuvem se tornará a solução preferida pela qual as organizações podem sair do negócio de data center e melhorar seus custos de operação de TI, agilidade e recursos de tempo de chegada ao mercado.”

Fonte:

NetworkWorld

Já vai?

Receba conteúdos exclusivos e gratuitos direto no seu e-mail, para ler sem pressa ;)

FALE
COM UM
ESPECIALISTA

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

FALE
COM UM
ESPECIALISTA

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Acesse informação exclusiva para nossos clientes e esteja informado. Conheça as técnicas, ferramentas e estatísticas do mercado, de graça, e no seu email.
É só preencher o formulário para acessar.

Receba Gratuitamente

Passo 2
0%

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.