Blog Infonova

Informação para tomada de decisão

Resultado da pesquisa por: ""

A nuvem irá substituir o data center?

Por Juliana Gaidargi em 25/06/2021 em Cloud

A cada dia que passa, parece que a nuvem irá substituir completamente o data center. Contudo, mesmo que as tarefas tradicionais do data center sejam todas transferidas para a nuvem, ainda haverá uma necessidade de infraestrutura no local. Esta, em última análise, exigirá o que parece ser um data center tradicional.

nuvem substituir data center

Às vezes é difícil ver mudanças graduais nos paradigmas da tecnologia justamente porque elas são graduais. Portanto, eventualmente, supor pode ajudar. “Suponha que…” e veja aonde isso leva. Então, suponha que a nuvem fez o que alguns pensadores radicais dizem e “absorveu a rede”. Com certeza é um slogan empolgante, mas isso é possível, e como poderia acontecer?

As empresas já estão comprometidas com uma forma virtual de rede para seus serviços WAN, com base em VPNs ou SD-WAN, ao invés de construir suas próprias WANs a partir de canais e roteadores. Esse foi um grande passo, então o que poderia estar acontecendo para tornar as WANs ainda mais virtuais, a ponto de a nuvem poder incluí-las? Teria que haver uma mudança no data center.

Ele ainda vive

O maior componente dos gastos com rede corporativa é o data center e, de fato, as empresas alegam que a rede do data center define seus requisitos gerais de rede. Portanto, a crença de que a nuvem irá substituir o data center vem dessa suposta absorção da rede.

Nessa visão do futuro centrada na nuvem, todos os sites seriam conectados à nuvem e uns aos outros usando a Internet, assim como residências, pequenas empresas e sites menores de SD-WAN já estão. Então, não seria necessário nenhum outro serviço, como MPLS VPNs. Afinal, você pode acessar a nuvem pela Internet. 

Portanto, você acessaria a Internet em cada site usando o que agora é descrito como uma borda de serviço de acesso seguro ou SASE. Ou seja, você poderia ter pequenos SASEs para locais pequenos, e SASEs gigantes onde há muitas pessoas reunidas para usar seus aplicativos agora na nuvem. Afinal, o objetivo do SASE é criar o que parecia ser uma “rede da empresa“, assim como SD-WAN já faz, e tornar toda a complexidade da rede como a conhecemos invisível.

Embora muitos CFOs e executivos de linha possam adorar a ideia da nuvem substituir o data center, ninguém nunca conseguiu encontrar uma estratégia séria para mover tudo para a nuvem. Na verdade, há mais empresas tentando descobrir como modernizar os principais aplicativos legados que permanecem no data center do que tentar migrar tudo para a nuvem.

Afinal, preocupações com segurança e conformidade, confiabilidade / disponibilidade e gerenciamento de custos são questões que os planejadores corporativos dizem que provavelmente manterão seus data centers funcionando, talvez para sempre.

O papel do SASE

Mesmo que você acredite que a nuvem consumirá toda a hospedagem de aplicativos de TI, isso não elimina tudo, exceto os SASEs. Um escritório é um pouco como uma rede doméstica. Onde há apenas alguns funcionários, talvez até cem, você pode construir a conectividade local usando nada mais do que um gateway de Internet com Wi-Fi e Ethernet, talvez alguns repetidores e alguns switches LAN. Contudo, à medida que o número de funcionários aumenta, esses switches de LAN simples se espalham como ervas daninhas, e a cascata de tráfego que os conecta em série para criar conectividade começa a carregar os switches mais próximos do gateway de Internet. Portanto, precisamos de uma hierarquia de switches, backbone e borda, para formar uma verdadeira rede local.

As daisy chains* são muito fáceis de diagnosticar, mas os backbones são mais complicados. Então, precisamos ter algum gerenciamento de switch, além de um sistema de gerenciamento para gerenciá-los, que precisa ser executado em alguma coisa. 

*Daisy Chain
Trata-se de um esquema de fiação no qual vários dispositivos são ligados em sequência ou em um anel, se assemelhando a uma guirlanda de flores margaridas.
Nuvem como solução?

Seria este lugar a nuvem? Dificilmente, visto que se o backbone do nosso site quebrar, não teremos internet e, portanto, não teremos acesso à nuvem ou, de fato, a qualquer um dos aplicativos da empresa. Podemos nem mesmo ser capazes de compartilhar informações localmente porque a nuvem também manteria todo o armazenamento local. Mesmo telefonar entre as extensões no local pode não funcionar, caso seja usado VoIP.

Isso provavelmente não cai bem para a gerência sênior, então digamos que a empresa decida colocar alguns servidores para hospedar armazenamento local, compartilhar acesso de impressão e fazer outras coisas de rotina se a Internet ou a nuvem estiver inativa. Adicionamos um IP PBX para fornecer chamadas no local. Se nosso site for grande o suficiente, agora temos dezenas desses servidores espalhados por toda parte, com pessoas chutando-os, derramando coisas sobre eles, desconectando-os … você entendeu. 

A nuvem pode realmente substituir o data center?

Portanto, a empresa consegue uma sala em algum lugar e mantém todos os servidores nela. A concentração rapidamente explode todos os disjuntores e sobrecarrega o ar condicionado, por isso colocamos instalações especiais para fornecer energia e resfriar tudo. Servidores e redes de servidores agora vivem em instalações controladas. A próxima coisa que você sabe, nós inventamos (ou reinventamos) o data center e estamos de volta ao ponto de partida.

OK, mas a nuvem pode absorver nossos dispositivos de rede de longa distância? Podemos fazer comutação e roteamento em servidores, então, mesmo que a nuvem não pudesse absorver toda a rede, não poderíamos fazer todo o nosso data center e comutação e roteamento de área ampla usando servidores em nuvem? Não tão rápido.

Afinal, os servidores não são projetados para enviar terabits de dados por meio deles. As empresas de telecomunicações e cabo que movem muitos dados sabem disso e, embora estivessem muito interessadas em substituir switches e roteadores proprietários por algo mais aberto, seu foco tem sido em dispositivos de caixa branca. Afinal, estes são construídos em torno de chips de rede personalizados, não em servidores de prateleira comerciais – COTS, como são conhecidos. Portanto, as chances são de que os data centers que acabamos de reinventar, e nossos funcionários, estarão conectados a equipamentos de rede proprietários ou caixas brancas, não a servidores.

Lenda urbana?

Contudo, antes de descartar o tema da nuvem-devora-a-rede como um mito urbano, temos que considerar outro fato. Embora não estejamos movendo nossos aplicativos de data center para a nuvem, estamos movendo o gerenciamento de tráfego de front-end para a nuvem. Na verdade, mais tarefas de modernização de aplicativos estão relacionadas à construção de GUIs residentes na nuvem atualmente do que à mudança real de aplicativos legados. 

Esses front-ends de nuvem reúnem tráfego de usuários, clientes e parceiros da Internet e fornecem alguns canais para o data center para passar as transações resultantes. Então, toda a agregação de tráfego e estruturação de informações está conectada na nuvem.

Exemplo

Cada provedor de nuvem tem uma rede privada que conecta todos os seus centros de dados e seus clientes. Essas redes estão ficando cada vez maiores. A rede do Google também deve carregar todo o seu rastreamento na web, atividade de pesquisa, vídeo, música e publicidade. A rede da Amazon transporta muito tráfego de vídeo e música. Esse tráfego de front-end concentra-se nessa rede em nuvem, até alguns canais que levam as coisas ao data center.

Portanto, a WAN para uma empresa como essa agora é de dez mil conexões de Internet e talvez alguns canais entre o data center e a nuvem. A nuvem vai substituir o data center; As LANs estão aqui para ficar. Ao invés disso, “a rede”, toda rede de longa distância, está se tornando “a internet”. Qualquer site de negócios, em qualquer lugar, tem acesso à Internet, se tiver algum serviço de dados, e essa universalidade é o que acabará por vencer. Ou seja, SD-WAN, SASE e a nuvem são simplesmente novas tecnologias que aceleram a mudança para a Internet.

O data center ser absorvido pela nuvem não é um mito urbano, mas sim uma simplificação exagerada. Afinal, estamos redefinindo os serviços para incluir os serviços de aplicativo (a nuvem) e os serviços de rede (a internet) e estamos construindo a tecnologia da informação a partir desse novo modelo. Vai ter um grande impacto em cada comprador, provedor de nuvem, operadora de rede e fornecedor, e as mudanças que ele gera nos manterão alternando entre eles por anos. 

Já vai?

Receba conteúdos exclusivos e gratuitos direto no seu e-mail, para ler sem pressa ;)

FALE
COM UM
ESPECIALISTA

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

FALE
COM UM
ESPECIALISTA

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Acesse informação exclusiva para nossos clientes e esteja informado. Conheça as técnicas, ferramentas e estatísticas do mercado, de graça, e no seu email.
É só preencher o formulário para acessar.

Receba Gratuitamente

Passo 2
0%

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.

Receba Gratuitamente

Fique tranquilo, não compartilhamos suas informações.