Por Juliana Gaidargi em 27/09/2018 em Artigo

Hoje o mundo vive a era da Web 2.0.  Esta, criou uma rede interativa e cheia de recursos que envolve de forma globalizada cidadãos do mundo inteiro. Com isso, o uso das redes sociais se tornou uma realidade irreversível.  Ou seja, é inevitável que uma pessoa, ao se conectar à internet, não direcione imediatamente suas atenções a elas. Inclusive, o uso das redes sociais nas empresas continua sendo um ponto de debate em muitas corporações.

Só o Facebook já atingiu a impressionante marca de 2,13 bilhões de usuários no mundo. 127 milhões deles moram no Brasil. Esse número pode ser considerado de grande valia para a evolução digital do país. Especialmente ao se analisar a interação e o alcance sem limites em que notícias do mundo todo circulam. Ou seja, discussões calorosas sobre política, educação e cultura, entre outros temas. Contudo, boa parte destes internautas faz parte de uma estatística preocupante. Eles têm o hábito de acessar as redes sociais nas empresas, durante o expediente.

Há 10 anos, abrir a página do Twitter ou do Facebook no ambiente de trabalho era praticamente um ato clandestino. Para isso, o funcionário acompanhava e interagia em suas redes sociais com um olho por cima da tela do computador e a mão pronta para dar um Alt+Tab quando o supervisor chegasse ao recinto.

Isso porque, apesar de muitos estudiosos acreditarem que sua utilização traz benefícios às empresas, uma pesquisa realizada nos Estados Unidos constatou que usar as redes sociais nas empresas ocasiona a perda de produtividade. Consequentemente, isso resulta em prejuízos para as organizações. Mesmo assim, hoje em dia, algumas empresas já têm políticas de uso de redes sociais menos rígidas. Isso porque, entre os benefícios de seu uso, encontram-se uma maior integração entre os colaboradores e aumento da velocidade da comunicação interna.

 

Entendendo as redes sociais

Mídias sociais consistem basicamente na produção de conteúdo feita por todos e para todos. Elas englobam blogs, Twitter, álbuns virtuais de fotos e as famosas redes sociais. As redes sociais podem ser horizontais, como o Facebook e o já extinto Orkut. Elas também podem ser ou verticais, como é o caso das redes especializadas, como Tripadvisor e o Spotfy (música).

Hoje em dia, 65% das empresas brasileiras já usam as redes sociais como uma ferramenta de  comunicação com clientes e com consumidores em potencial. 84% delas estão no Twitter, segundo dados do Instituto Brasileiro de Inteligência de Mercado (Ibramerc). Ainda hoje é notável uma preferência pelo Twitter por parte dos empresários, com índice de aderência de 42%. Logo em seguida, a outra mídia social preferida são os blogs, com 21%, Facebook (11%) e o Youtube (8%). Recentemente, o LinkedIn, rede social de cunho profissional, atingiu a marca de 500 milhões de usuários no mundo. 29 milhões deles são brasileiros. Ainda assim, o Facebook ainda é o líder no Brasil, atingindo cerca de 25% da população.  Com isso, o país ocupa o segundo lugar no ranking mundial de usuários da rede.

 

O uso das redes sociais nas empresas

Embora o uso das redes sociais por parte da empresa possa ser tido como uma estratégia de negócio assertiva, é necessário perceber que seu mau uso internamente pode resultar em um baixo índice de produtividade por parte dos funcionários.

Um estudo realizado pelo Instituto de Tecnologia Política de Washington, nos Estados Unidos, para cada hora gasta navegando nas redes sociais, cerca de 16 minutos de trabalho são perdidos. Ao longo do mês, isso totaliza oito dias a menos de trabalho. O número equivale a aproximadamente 25% a menos de produtividade, em média, para a empresa.

Por conta disso, é importante que o empregador fique atento aos prós e contras de permitir o acesso às redes em sua empresa.

Vantagens organizacionais

O uso adequado das redes sociais nas empresas apresenta diversas vantagens:

  1. Elimina distâncias geográficas, viabilizando a conexão instantânea a qualquer ambiente organizacional, seja entre departamentos, áreas ou outras instituições;
  2.  Oferece comunicação em tempo real. Ou seja, permite agilidade na troca de informações;
  3. Possui recursos para integrar reuniões online com grupos de pessoas específicas. Com isso, disponibiliza maior aproveitamento de tempo e flexibilidade perante eventuais emergências;
  4. Permite à empresa conectar-se com o mundo profissional e se atualizar constantemente. Desse modo, ela acompanha os avanços da tecnologia e mudanças comportamentais no mercado;
  5. Resulta na utilização de recursos para busca e seleção de pessoas;
  6. Possibilita ao consumidor envolver-se com as características da organização, conhecendo seu perfil, histórico, produtos e serviços;
  7. É uma ferramenta de comunicação relativamente barata. Especialmente quando comparada ao investimento de desenvolvedores privados e sistemas de interação fechados;
  8. Quando integrado às estratégias de marketing, permite maior conhecimento relacionado aos interesses, necessidades e mudanças comportamentais dos consumidores. Com isso, permite à empresa antecipar-se às tendências de mercado, divulgar sua marca e ampliar suas vendas.

Desvantagens organizacionais

As novas tecnologias tornaram-se uma fonte de impacto nas organizações levando as empresas a novas reflexões. A partir desses fatos, percebem-se desvantagens como:

  1. O uso das redes sociais nas empresas pode resultar na exposição de dados restritos, comprometendo a segurança das informações;
  2. A dimensão das redes sociais na internet é ilimitada. Assim, a entrada de informações acontece de modo muito rápido e dinâmico;
  3. O uso das redes sociais nas empresas para fins pessoais pode resultar na diminuição da produtividade;
  4. A divulgação de alguns comentários de má índole gerados na rede ou mal formulados, como alguma questão que possa contrariar os valores das pessoas ou mesmo ameaças publicitárias à concorrência, pode comprometer de forma negativa a imagem da empresa ou de seus negócios;
  5. A dispersão do funcionário conectado a uma rede social por um dispositivo móvel no ambiente de trabalho pode comprometer sua integridade física, ocasionando um possível acidente;
  6. Fontes de navegação não confiáveis e sites infestados de vírus de computador podem danificar o sistema, ocasionando a perda de informações importantes e senhas de acesso roubadas.

 

O que fazer?

Frente a essas vantagens e desvantagens apresentadas pelas redes sociais,  o departamento de recursos humanos da empresa deve propor normas de uso das redes sociais por parte dos funcionários.

Para tal, se faz necessário analisar se é necessário acompanhar as tendências do mercado e adaptá-las ao ambiente. Essa análise também deve considerar o bloqueio do acesso às redes sociais para maximizar o rendimento de seus funcionários na realização das atividades. Dependendo da situação, é possível até considerar a contratação de uma empresa especializada em Gestão de TI para escolher o caminho mais adequado ao negócio.

 

O uso das redes sociais pelas empresas

Ao mesmo tempo em que o uso das redes sociais nas empresas configura um ponto de atenção, seu uso junto ao ambiente externo se tornou uma necessidade.

O Facebook é o segundo site mais acessado em âmbito global, perdendo apenas para o Google. Atualmente, a rede conecta mais de 2 bilhões de pessoas no mundo. Com isso, se tornou fundamental que as empresas estejam presentes nessa rede social. Entretanto, não basta apenas estar nela com uma página. É necessário que existam pessoas focadas, trabalhando arduamente nela para fidelizar os potenciais clientes.

Isso porque a proposta das redes sociais é justamente fomentar o boca-a-boca online. Para que isso aconteça, é necessário que  os administradores da página conversem com os seguidores e abordem temas que tenham ligação com a empresa. Contudo, é imprescindível planejar as postagens, já que o excesso delas pode sobrecarregar a página e ocasionar a não entrega de conteúdos  aos seus seguidores.

Outro ponto de atenção nesse novo mundo é o fato de que, se antes o consumidor comprava e ficava muito difícil saber se estava satisfeito ou não, hoje ele expõe sua opinião nas redes sociais, o que pode influenciar diretamente a tomada de decisão de outros clientes em potencial.

 

Redes sociais vs. Comunicação tradicional

 

 

De acordo com especialistas, mesmo com o advento das redes sociais, os outros meios de comunicação não podem ser dispensados. Pelo contrário, hoje em dia se faz necessária uma convergência entre as mídias.

Inclusive, é muito comum ver anúncios na televisão que convidam os consumidores a visitar as redes sociais da empresa. Por conta disso, caso caso um empreendedor utilize um dos meios de comunicação tradicionais, como panfletos, folders e anúncios em jornais de bairro, por exemplo, ele não pode se esquecer de colocar também os ícones das redes sociais que utiliza.

As redes sociais existem e não irão a lugar nenhum dentro de um futuro próximo, por isso, cabe às empresas se adequarem à essa realidade considerando as necessidades dos funcionários e do negócio, sem exageros. Dessa forma, poderão encontrar um lugar comum no qual, ao invés de uma queda na produtividade, exista um senso de respeito e satisfação que, por sua vez, pode impulsionar a produção dos colaboradores.