Por Juliana Gaidargi em 30/01/2019 em Artigo

O e-commerce tem crescido constantemente nas últimas duas décadas, eventualmente chegando a dominar completamente nosso mundo comercial. Então, muitas pessoas investem muito dinheiro em muitas coisas na internet.

Isso, por sua vez, faz com que muitas pessoas se interessem por vários tipos de monitoramento a fim de obter vantagens competitivas. O universo de softwares de monitoramento de servidor engloba muita coisa. Afinal, servidores lidam com muitas coisas.

Não é à toa que existam cerca de 8.500 empresas que oferecem software de monitoramento de servidores. Porém, a única coisa que elas têm em comum é que podem monitorar tudo o que é necessário. Dessa forma, para restringir a busca, é importante ter algumas diretrizes. Quanto custa a ferramenta? Qual sistema operacional do servidor? É open source? E assim por diante.

Também existem muitos métodos e técnicas diferentes para monitorar sistemas distribuídos. Contudo, a maioria das pessoas não declara explicitamente quais tipos de monitoramento deseja ou emprega. E isso pode levar a mal-entendidos e à falta de comunicação.

Justamente por isso é fundamental conhecer ao menos alguns tipos de monitoramento. Assim, o gestor poderá identificar aquele que melhor atenderá as necessidades de sua empresa.

Categorizando os tipos de monitoramento

Antes de analisarmos os vários tipos de monitoramento, é interessante definir algumas categorias para os tipos de monitoramento. Existem três categorias básicas de monitoramento:

  • Monitoramento técnico;
  • Monitoramento funcional;
  • Monitoramento de processos de negócios.

Monitoramento de processos de negócios

O monitoramento de processos de negócios é o santo graal do gerenciamento de sistemas. Portanto, todos os grandes fornecedores apresentam sua solução como uma ferramenta de monitoramento de processos de negócios.

Contudo, ao observar os processos reais nas organizações, nota-se que a maioria deles inclui operações realizadas por seres humanos, e não por máquinas. Afinal, eles incluem pedidos de fax e vans de mercadorias sendo levadas de um lugar para outro.

Ou seja, monitores de processos de negócios nos dizem não apenas se podemos encomendar produtos. Mas também se eles estão sendo entregues aos clientes. Esses monitores acompanham as transações de longo prazo e informam sobre a operação adequada. Portanto, o monitoramento de processos de negócios responde às perguntas sobre se o negócio está indo bem. Os sistemas de TI que suportam esse negócio são apenas uma peça do quebra-cabeça para responder a essa pergunta.

Monitoramento funcional

O monitoramento funcional analisa a funcionalidade oferecida por um único aplicativo ou por um sistema distribuído. O objetivo do monitoramento funcional é avaliar o desempenho e a disponibilidade de cada caso.

Normalmente, o monitoramento funcional é realizado com o uso de robôs para executar operações com script em um sistema. Inclusive, esse tipo de monitoramento é excelente para relatórios de gerenciamento sobre a qualidade de serviço.

Ou seja, o monitoramento funcional responde à questão de saber se existe um problema no sistema distribuído ou não. Ele diz algo sobre o desempenho e a disponibilidade do sistema. Contudo, não ajuda a responder como resolver qualquer problema que possa ser encontrado. Ao invés disso, ele alerta sobre um eventual impacto nos usuários do sistema.

Monitoramento técnico

O monitoramento técnico se preocupa com a integridade de equipamentos ou softwares individuais. Ele se concentra na função do objeto em análise, e não no papel que tal objeto desempenha no sistema do qual faz parte.

De certa forma, o monitoramento técnico é de longe a maior categoria dos três. Afinal, a maioria das ferramentas de monitoramento de ferramentas foi projetada para executar funções nesta categoria. O monitoramento técnico tenta descobrir o que está errado e como consertar.

Porém, muitos operadores de sistemas cometem o erro de pensar que o monitoramento técnico responde à questão de saber se existe um problema em seu sistema ou não. É um erro compreensível. Afinal, em muitos casos, quando há um problema, ele também aparece nos monitores técnicos. Porém, às vezes isso não acontece. E é aí que umas provável falta de comunicação venha a ocorrer.

Tipos de softwares de monitoramento

Existem  diferentes tipos de software de monitoramento de servidores. Eles variam em função do que eles monitoram exatamente. Ao compreendê-los, se torna possível saber o que de fato procurar.

Tempo de atividade / monitoramento de disponibilidade

Ao se preocupar com qualquer tipo de servidor em qualquer lugar, convém saber se ele é acessível para as pessoas em primeiro lugar. Ele está fazendo o que é suposto? Ou alguém tropeçou no cabo de alimentação e o levou completamente offline?

O software de monitoração de disponibilidade executa uma das funções mais simples que se pode imaginar. Ele apenas analisa periodicamente o servidor para ver se ele está ligado e respondendo. Isso lhe dá uma imagem de como está disponível (ou não) para os usuários. É possível encontrar inúmeras ferramentas que ofereçam esse serviço gratuitamente. Afinal, este é o primeiro passo no mundo do monitoramento de produção.

Monitoramento de desempenho do site

Suponha que o monitor de uptime de sua empresa está no lugar. O site quase nunca cai e os usuários quase sempre conseguem alcançá-lo. Entretanto, isso não significa que eles estão necessariamente tendo uma boa experiência.

Talvez as páginas demorem uma eternidade para serem carregadas. Ou talvez muitas das imagens não sejam carregadas completamente. Uma biblioteca JavaScript pode não aparecer, tornando a página semi-funcional. Nenhum desses problemas acionaria um monitor de tempo de atividade para considerar o site como inativo. Porém, com certeza os usuários abandonarão a página em massa.

Portanto, o monitoramento do desempenho do website ajuda a acompanhar todas as preocupações supracitadas. É possível encontrar serviços que se especializam em todas as áreas do desempenho da web. Ou seja, que permitem ao gestor saber detalhadamente quais são os problemas existentes no site.

Monitoramento de recursos

O desempenho certamente é importante em contextos diferentes de tempos de carregamento de páginas e outras preocupações específicas da web. Talvez a empresa tenha um servidor que seja um backend para aplicativos de dispositivos móveis. Ou que até mesmo faça parte de um sistema distribuído. Porém, o desempenho pode ser igualmente crítico nesses cenários.

Para resolver isso, é possível monitorar todos os tipos de aspectos de desempenho das operações do servidor. Entretanto, é necessário observar seus recursos de hardware. Qual é a carga da CPU? Está constantemente ficando sem memória? Pode ficar sem espaço em disco? pode-se até perfurar e medir preocupações realmente granulares, como temperatura, velocidade do ventilador e voltagem.

Ao ficar de olho em todos esses sinais vitais para o servidor, é possível obter avisos antecipados sobre as coisas antes que elas se tornem problemas. Embora, ao confiar principalmente em provedores de nuvem, talvez não seja necessário esse tipo de monitoramento específico. Afinal, o provedor tende a lidar com isso.

Monitoramento de erros

Qualquer pessoa da área sabe que erros acontecem. Eles acontecem com muita freqüência, na verdade. Como resultado, o monitoramento de erros comanda um conjunto de ferramentas de nicho por si só.

Mesmo nas circunstâncias mais favoráveis, as coisas dão errado. Os usuários tentam navegar para URLs inexistentes. Ou até podem fazer chamadas ilegais para seu serviço baseado em nuvem. portanto, alguns erros são esperados. Mas o gestor deve se preocupar se esse número começar a aumentar.

Assim, é possível instrumentar os servidores especificamente para rastrear e monitorar erros de aplicativos. Isso fornece um esquema de detecção antecipada do código do aplicativo.

Monitoramento de log

Falando em detecção antecipada, também é interessante monitorar arquivos de log. Afinal, servidores geram todos os tipos de logs de aplicativos. Até softwares personalizados têm arquivos de log. E o mesmo acontece com o servidor da Web, o servidor de banco de dados, o sistema operacional e praticamente todos os outros softwares relevantes executados nele.

É possível agregar esses arquivos de registro e ficar de olho neles para obter informações importantes sobre o comportamento do servidor. De certa forma, isso fornece alguns dos monitoramento mais abrangentes disponíveis. Afinal,  tudo que o gestor deseja monitorar tende a despejar informações em arquivos de log.

Monitoramento de banco de dados

Muitas pessoas em TI podem dizer que os dados são o motor do mundo técnico. Portanto, é muito importante os reunirmos e dedicar áreas inteiras de estudo para “minerá-los”. Afinal, os dados ajudam em tudo. Desde a estratégia eleitoral até o marketing de massa e a pesquisa médica.

Então, geralmente, uma empresa sente-se segura apostando que os servidores terão bancos de dados. E, como os bancos de dados estão em toda parte, o monitoramento de banco de dados merece sua própria menção.

É possível encontrar softwares específicos para acompanhar o que seus bancos de dados estão fazendo. Eles estão se saindo bem? Os aplicativos os colocam em bom uso? Existem áreas para melhoria? O monitoramento de banco de dados pode responder a todas essas perguntas.

Monitoramento de segurança ou malware

Infelizmente, explorações e malware são um grande negócio. E eles ganham dinheiro ameaçando o trabalho da sua empresa. Então é fundamental ter um software que monitore vulnerabilidades.

O software antivírus existe há décadas. Contudo, para um servidor, a abordagem deve ser mais abrangente. Ou seja, deve-se monitorar problemas de segurança tanto de fora para dentro quanto de dentro para fora. Porém, para isso, é necessário uma especialização e criatividade contínua que vão além da simples instalação de uma ferramenta. Afinal, o monitoramento de segurança automatizado é necessariamente reativo. Mas, para se manter seguro, é preciso estar à frente disso.  

Customização de soluções de monitoramento

Nos últimos anos, tem havido um impulso crescente para que as organizações de desenvolvimento façam um melhor uso da tecnologia em seus sistemas de monitoramento e avaliação. Este tópico foi, inclusive, apresentado em conferências, cursos, discussões online e em vários relatórios.

No entanto, são poucas as discussões ou orientações para descrever os diferentes tipos de tecnologia de monitoramento e avaliação (M&A). Ou seja, como eles se encaixam em um sistema geral e como eles se relacionam com as diferentes necessidades de uma organização.

 

Tipos de tecnologia M&A

1. Indicadores, painéis e desempenho

Esta é de longe a área de foco mais comum para a tecnologia de M&A. Afinal, ela inclui ferramentas focadas em dados relacionados ao desempenho de alto nível (normalmente, indicadores) e maneiras de coletar esses dados. Ou seja, inserindo diretamente os valores do indicador ou por meio de pesquisas.

As ferramentas relacionadas facilitam a visualização dos dados de desempenho de forma a ajudar os doadores, gerentes e partes interessadas a interpretá-los. As ferramentas nessa área tendem a se concentrar mais nos dados de alto nível necessários para medir o desempenho. Portanto, em geral, há menos ou nenhum foco no gerenciamento das atividades do projeto ou programa.

Gerenciando indicadores

Ferramentas para definir e medir indicadores podem incluir qualquer coisa de:

  • Definição de indicadores que o projeto ou programa medirá;
  • Coleta de dados para cada indicador para cada período de relatório (ou seja, um mês ou trimestre);
  • Atribuição de responsabilidade por indicadores a pessoas específicas;
  • Classificação de como os dados de um indicador são coletados (por faixa etária, gênero ou local do projeto);
  • Formulários para coletar os dados necessários para cada indicador.

O ponto em comum entre essas ferramentas é que elas geralmente apoiam o indicador e montam parte dos sistemas de M&A. Com isso, fornecem uma estrutura clara para definir quais indicadores estão sendo medidos e para ajudar a coletar os dados necessários para medi-los. Suas subcategorias incluem:

Ferramentas de pesquisa

Ferramentas de pesquisa têm uma ampla gama de aplicações. No entanto, no espaço de M&A são usadas ​​com mais frequência para coletar dados necessários para medir indicadores. Essas ferramentas podem incluir o seguinte:

  • Ferramentas para projetar novos ou modificar formulários existentes;
  • Opção de vincular dados de pesquisa a indicadores;
  • Aplicativo para dispositivos móveis para coletar dados de pesquisa usando tablets ou smartphones;
  • Opção para coletar dados sem uma conexão com a Internet e sincronizar de volta para um banco de dados online.

As ferramentas de pesquisa também costumam enfocar os indicadores e como monitorá-los. Elas podem ajudar os sistemas de M&A eliminando formulários em papel. O que acelera a coleta de dados e reduz os erros de transcrição.

Análise e visualização

As ferramentas de análise e visualização focalizam uma área específica dos sistemas de M&A. Ao escolher uma ferramenta autônoma, considere também como obter dados na ferramenta. Recursos típicos incluem:

  • Pivô e outras ferramentas para dados de tabulação cruzada;
  • Gráficos, mapas e outras opções para visualizar dados.

2. Gerenciamento de nível de atividade ou projeto

Esta categoria de ferramenta se concentra no extremo oposto do espectro. Ele analisa como as equipes que implementam projetos colaboram e gerenciam o projeto. Equipes em projetos menores podem usar e-mail, Word, Open Office, Excel ou Google Docs. Já equipes maiores podem usar software de gerenciamento de projetos para ajudar.

Em áreas específicas há também um software especializado projetado para gerenciar tipos específicos de atividades ou projetos. Tais ferramentas são frequentemente usadas em combinação com o tipo de ferramentas de M&A discutidas acima.

Gerenciamento de projetos

As ferramentas de gerenciamento de projetos geralmente buscam facilitar a colaboração entre uma equipe que implementa um projeto. Elas normalmente são abertas em sua maneira de trabalhar, facilitando a adição de tarefas, eventos, documentos e compartilhando anotações com membros da equipe. Tais ferramentas geralmente incluem:

  • Opção para criar rapidamente novos projetos e convidar membros da equipe;
  • Capacidade de criar tarefas, documentos, eventos, fotos e vídeos;
  • Ferramentas de discussão (por vezes, baseadas em email).

As ferramentas de gerenciamento de projetos também podem ser usadas para suportar todas as áreas do sistema de M&A. Embora possam ajudar na coordenação, são menos eficientes para coletar dados de maneiras estruturadas, o que tornam a análise e o relatório mais rápidos.

Gestão de caso

As ferramentas de gerenciamento de casos são projetadas para ajudar a coordenar os serviços fornecidos a pessoas que podem ser consideradas um caso no contexto de programas sociais. Isto pode abranger os cuidados de saúde, enfermagem, reabilitação, assistência social, seguro de invalidez, emprego e lei.

Esse espaço se sobrepõe de certa forma às ferramentas existentes de gerenciamento de relacionamento com o cliente. Essas ferramentas podem incluir o seguinte:

  • Centrado na gravação de informações sobre um indivíduo;
  • Abra, gerencie e feche ‘casos’ para contatos individuais;
  • Acompanhar relacionamentos entre contatos;
  • Acompanhamento de relacionamentos ou marcos entre pessoas e bens ou serviços que eles receberam;
  • Ferramentas de qualidade de dados para evitar contatos duplicados e, portanto, evitar a contagem dupla.

Ou seja, as ferramentas de gerenciamento de casos se concentram mais no rastreamento de atividades relacionadas a indivíduos. Elas usam esses dados para permitir o relato de indicadores relacionados a indivíduos e podem ajudar os sistemas de M&A fornecendo maneiras robustas de rastrear interações.

Gestão de instalações

As ferramentas de gestão de instalações são tipicamente especializadas em torno de tipos específicos de organizações. Como instalações de saúde, escolas ou municípios, por exemplo.

Elas são projetadas tendo em mente as necessidades dessas organizações e concentram-se na coleta de dados necessários para gerenciar e relatar suas atividades. Elas podem incluir:

  • Ferramentas de gerenciamento de pessoal;
  • Ferramentas de rastreamento de pacientes ou alunos;
  • Ferramentas para rastrear saúde, educação ou outros serviços fornecidos;
  • Ferramentas de relatórios que facilitam a visualização dos dados coletados.

As ferramentas de gerenciamento de instalações também costumam operar no nível de atividade. Assim como as ferramentas de gerenciamento de casos, elas facilitam a agregação de dados para medir os indicadores relacionados às atividades da instalação.

3. Gerenciamento de programas

As ferramentas de gerenciamento de programas geralmente são também chamadas de sistemas de informações de gerenciamento. Elas normalmente cobrem os dois extremos do espectro. Ou seja, têm foco no gerenciamento, M&A e no processo das atividades dos programas.

É a dimensão do processo que torna essas ferramentas interessantes e essenciais ao se trabalhar em escala. Afinal, o aspecto do processo traz uma compreensão das etapas seguidas ao implementar atividades em um projeto ou site como parte de um programa maior.

Se bem implementado, isso pode incorporar boas práticas da perspectiva programática. Além de boa prática de qualidade de dados na perspectiva de M&A. O software de gerenciamento de programas geralmente inclui:

  • Ferramentas para criar facilmente formulários personalizados para coletar qualquer tipo de dados;
  • Formas robustas de rastrear participantes do programa (semelhante ao software de gerenciamento de casos);
  • Taxonomias ou outras formas padronizadas de referência cruzada de dados;
  • Fluxo de trabalho que orienta a equipe do projeto por meio das atividades necessárias para implementar o programa;
  • Opção para usar dados coletados para medir indicadores de programas;
  • Ferramentas de data warehouse para criar relatórios ou painéis personalizados;
  • Indicadores operacionais que acompanham a implementação do programa e identificam sites ou projetos que estão atrasados.

As ferramentas de gerenciamento de programas geralmente concentram-se em coletar dados no nível de atividade e agregar isso para medir os indicadores. Isso resulta em uma fonte de dados muito maior e mais rica, então estaria disponível a partir de indicadores.

 

Comentários