Por Juliana Gaidargi em 30/10/2018 em Artigo

O monitoramento de rede é uma tendência em crescimento em âmbito global. Isso acontece porque as redes de computadores estão cada vez maiores e mais complexas. Com isso, elas exigem uma atenção maior por parte das organizações.

Um aspecto dessa importância se dá devido ao alto nível de integração entre dispositivos. Como todas as redes precisam estar disponíveis o tempo todo, surgiu a necessidade de acompanhá-las continuamente a fim de evitar falhas. Afinal, as redes precisam estar funcionando para que uma organização alcance suas metas de forma rápida e eficiente.

Contudo, todo profissional de TI sabe que, mesmo equipamentos e softwares de última geração não caracterizam sistemas imunes a erros. Ou seja, sistemas críticos para uma empresa precisam ser monitorados constantemente. Essa é a única forma de prevenir interrupções que venham a comprometer sua utilização por parte dos usuários.
Ao monitorar sua rede, os responsáveis pelos processos de TI são notificados acerca de eventuais falhas via alertas pré-programados. Ou seja, a equipe se mantém 100% ciente sobre o desempenho da rede esteja onde estiver, podendo prover soluções com agilidade e eficácia. Além disso, o monitoramento de rede viabiliza tomadas de decisão mais assertivas por parte do gestor de TI. Especialmente quando está fazendo o planejamento e  adequação da área.

Monitoramento de rede: o que é?

O monitoramento de rede consiste no ato de checar o funcionamento de toda a infraestrutura de TI da empresa relacionada à rede.  Em geral, para realizar essa checagem, os profissionais de TI usam softwares de apoio. Com isso, conseguem enviar alertas e relatórios aos responsáveis da empresa.

Dessa forma previnem-se erros e são realizadas correções antes mesmo dos usuário sequer notarem que a rede estava com problemas. Ou seja, o monitoramento de rede mantém a estabilidade do ambiente de TI e do desempenho dos colaboradores.

Por que e o quê monitorar?

A cada dia, as redes se tornam maiores e mais complexas. Portanto, se faz necessária a contratação de um profissional qualificado a mantê-las funcionando corretamente.

Isso porque, conforme explicado, problemas de rede costumam diminuir a produtividade da empresa. Afinal, sem ela, colaboradores não conseguem realizar suas tarefas em tempo hábil, o que também gera muito estresse na operação.

Ou seja, planejando um monitoramento de rede adequado, o gestor de TI consegue antecipar falhas e corrigi-las. O importante é que esse monitoramento seja constante. Além disso, o responsável pela rede precisa ter conhecimentos específicos de configuração.

As áreas da rede que devem ser foco do monitoramento incluem a de serviços, aplicações, equipamentos de rede, recursos (como hardwares e suprimentos) e, principalmente, segurança da informação.

Benefícios do monitoramento de rede

O maior ganho para uma empresa que monitora sua rede continuamente é a possibilidade de prevenir erros. Isso é importante devido ao fato de que quanto mais utilizada é a rede, mais problemas ela irá gerar.

Ou seja, quando vários funcionários utilizam a mesma rede ao mesmo tempo, ela tende a ficar mais lenta. Esses problemas podem evoluir para indisponibilidades sistêmicas, falhas em downloads e no acesso geral.

Portanto, ser capaz de detectar qualquer eventualidade na rede antes que esta seja notada pelo usuário deve ser o objetivo de todo gestor de TI.  Vale lembrar que o uso de ferramentas para monitoramento de sistemas e servidores é sempre bem-vindo. Afinal, elas ajudam o profissional a analisar serviços e processos a fim de identificar qualquer falha o quanto antes.

Ou seja, o aumento em sua utilização torna o monitoramento de rede imprescindível. Além dele reduzir gastos desnecessários, ele proporciona soluções cada vez mais rápidas para incidentes. Não obstante, também aprimora a confiabilidade e segurança de informações e recursos para os colaboradores.

Quando a falha surge

Em algumas situações, não é possível evitar que determinada falha aconteça. Quando isso acontece, é crucial que ela seja registrada para evitar que se torne reincidente.

Dessa forma, esse mesmo erro poderá ser facilmente detectado com antecedência em outras oportunidades. Essa prática é capaz de garantir a produtividade, a segurança e a continuidade dos negócios da empresa.

Garantindo um monitoramento de rede assertivo

O monitoramento de redes demanda uma série de medidas cruciais para assegurar eficiência e benefícios à empresa.

Equipe capacitada

Funções de monitoramento devem ser atribuídas a profissionais experientes e com certificação comprovada nessa área. Ou seja, não podem ser delegadas ao estagiário de TI ou ao profissional “faz-tudo” da empresa. Também conhecido como sysadmin, o responsável pelo monitoramento de redes costuma ter conhecimento técnico elevado o bastante para assumir uma posição Sênior ou Pleno. Inclusive, dependendo do tamanho e da complexidade da infraestrutura, recomenda-se a implementação de três níveis de administradores.

Isso porque muitos dos problemas costumam ser simples de se resolver, dispensando a necessidade de um especialista. Dessa forma, fica ao encargo do sysadmin mais alto assegurar a estabilidade da rede e lidar com problemas críticos. Por conta disso, muitas empresas investem na terceirização do monitoramento de redes. Afinal, com isso o serviço passa a ser de responsabilidade de uma empresa já qualificada e capaz de assegurar a segurança e estabilidade da rede.

Alertas de notificações

Um sistema de alertas viabiliza a correção de problemas com mais agilidade. Inclusive, é possível direcionar avisos ao profissional de TI responsável por um setor ou um servidor específico.Essa estratégia torna o monitoramento ainda mais preciso.

Vale lembrar que, dependendo do software escolhido para criar esses alertas, é possível possível programar ações automáticas para lidar com eventos pré-definidos. Essa prática otimiza o tempo dos administradores de rede e assegura sua continuidade em caso de falhas reincidentes.

KPIs relevantes

Infelizmente, monitorar tudo o que acontece no ambiente de rede corporativo  em tempo real é muito difícil. Entretanto, essa tarefa definitivamente deve constituir um objetivo em longo prazo. Ou seja, ao invés de investir esforços e dinheiro num monitoramento massivo logo de cara, o ideal é começar o monitoramento de redes pelos processos mais importantes para o negócio. Portanto, a implementação de KPIs (Key Performance Indicators) é uma boa forma de começar o monitoramento.

Monitoramento de redes x monitoramento de redes sociais

Embora seja de suma importância para a estabilidade e desenvolvimento de qualquer negócio, o monitoramento de redes ainda é visto como dispensável por alguns empresários. Isso costuma acontecer porque, quando se fala em “redes”, o que vem à mente das pessoas são as redes sociais, como Facebook, Instagram e Twitter. Dessa forma, um empresário não interessado em saber como suas páginas estão rankeadas junto aos usuários acaba por desconsiderar o investimento em monitoramento.

Essa confusão é mais comum do que parece. Por isso, é importante ressaltar que uma coisa não tem nada a ver com a outra. Ou seja, enquanto o monitoramento de redes serve para garantir que os negócios de uma empresa prossigam sem falhas, o monitoramento de redes sociais serve para medir a popularidade de uma página, seja ela corporativa ou não.

 

Ferramentas gratuitas  para monitoramento de redes

 

Cacti

Essa ferramenta recolhe e exibe informações sobre a situação de uma rede de computadores por meio de gráficos. Isso possibilita o monitoramento e gestão de redes simples ou complexas. Essa ferramenta se adapta à necessidades diversas e conta com uma interface intuitiva e fácil de usar. Ela monitora elementos de rede, softwares e a largura de banda utilizada, tal como o uso de CPU. O Cacti é um programa com licença GPL (General Public License). Ou seja, é gratuito. Contudo, usuários podem contribuir para o desenvolvimento do projeto por meio de doações.

Munin

Similar ao Cacti, o Munin apoia as empresas na avaliação de tendências atuais e pesquisa. Por meio de uma interface web, a ferramenta organiza dados em gráficos simples e compreensíveis. Ela também tem um sistema de alerta abrangente, e utiliza uma grande variedade de plugins.

Nagios

Também gratuito, o Nagios monitora tanto hosts quanto serviços. Além disso, o programa alerta quando ocorrem problemas e quando os mesmos são sanados. O Nagios foi originalmente escrito para o sistema operacional Linux, mas também roda em outros Unix-like.

Ele monitora serviços de rede (SMTP, POP3, HTTP, NNTP, ICMP, SNMP), recursos de computadores ou equipamentos de rede, como carga do processador, uso de disco, logs do sistema, na maioria dos sistemas operacionais, incluindo o Microsoft Windows por meio do plugin NRPE_NT.

 

Ferramentas gratuitas para o monitoramento de redes sociais

 

TWAZZUP

O Twazzup é prático e simples de trabalhar e, portanto, é a ferramenta mais utilizada por iniciantes. Basta inserir o nome de usuário que deseja acompanhar e a ferramenta passa a fornecer atualizações em tempo real. Essas atualizações incluem links, fotos, tuítes mais compartilhados, principais influenciadores e as 10 palavras-chave mais importantes para a busca programada.

SUMALL

Essa ferramenta permite ao usuário criar um dashboard capaz de visualizar as métricas mais relevantes para o negócio. Seu grande diferencial está na quantidade de redes sociais que conecta, o qual supera 50 e inclui as mais populares do mundo.

KLOUT

O Klout permite ao usuário descobrir sua nota (de 0 a 100) e receber dicas sobre com estratégias para se tornar cada vez mais relevante nas redes sociais. Ele atua junto às principais redes e fornece um dashboard de desempenho que mostra os locais onde o usuário tem mais relevância.

FANPAGE KARMA

Ao conectar uma Fanpage gratuitamente, o usuário recebe uma extensa análise de desempenho. Essa análise inclui os melhores horários para postagens, dados de engajamento, dicas de frequência e tipos de posts mais relevantes, entre outras informações pertinentes. Com essa ferramenta, também é possível exportar dados para planilhas em Excel.