Por Juliana Gaidargi em 27/02/2019 em Artigo

A infraestrutura de TI de uma empresa é um de seus bens mais valiosos atualmente. Portanto, avaliá-la adequadamente de tempos em tempos é essencial para garantir a competitividade do negócio. Afinal, se a infraestrutura de TI não estiver funcionando bem, os impactos negativos que irão repercutir em todas as áreas da empresa.

Dessa forma, ao avaliar a infraestrutura de TI de uma empresa, é preciso adotar um ponto de vista crítico e atualizado acerca dos avanços tecnológicos. Confira a seguir itens essenciais na infraestrutura de TI de uma empresa competitiva:

[cta type=”ebook-gestao-de-ti”]

1.Dados financeiros

Avaliar o custo total de aquisição de uma TI é o primeiro aspecto a ser avaliado. Afinal, é fundamental saber quanto a TI custa para empresa. Também conhecido como TCO (Total Cost of Ownership), esse item viabiliza ao gestor descobrir se a empresa está lucrando ou perdendo dinheiro. Segundo o Gartner, o TCO consiste na “avaliação global da TI ou outros custos para além das fronteiras da empresa ao longo do tempo”.

Portanto, nessa avaliação, é necessário incluir os valores gastos com aquisição de hardwares e softwares, gestão e despesas de cada área de serviço e comunicação. Isso, além de custos indiretos, que incluem depreciação, instalação e amortização.

Por meio dessa visão macro, é possível identificar possibilidades de melhorias. Estas, por sua vez, podem ser reportadas à diretoria da empresa e, posteriormente, executadas.

2.Inventário de hardware e software

É preciso listar todos os equipamentos, dispositivos de armazenamento e capacidade de computação, além de aplicativos corporativos ou contratados que a empresa está usando no momento do levantamento. Por meio desse inventário, a gestão de TI pode realizar melhorias e investimentos mais assertivos na área.

Embora pareça fácil, fazer um inventário completo de TI não é exatamente simples. Para começar, o responsável precisa ter em mente as seguintes perguntas:

  • Qual é a quantidade de computadores pertencentes à empresa?
  • Quantos dos computadores são desktops e quantos são notebooks?
  • Quanto tempo de uso essas máquinas têm?
  • Esses hardwares suportariam uma atualização de sistema operacional?,
  • Quais são os sistemas operacionais que a empresa usa?
  • Quais sistemas operacionais estão atualizados?
  • Quais softwares estão instalados nos computadores?
  • Todas as máquinas têm antivírus?
  • Qual é o tamanho do HD, memória e processador de cada máquina?
  • Quais hosts estão instalados à rede da empresa?

Com tantos detalhes, se torna praticamente impossível realizar essa análise de forma manual. Portanto, é recomendado utilizar ferramentas especializadas em inventário de TI para realizar esse processo.

Uma das soluções gratuitas mais utilizadas atualmente é a Spiceworks. Ela não precisa de agente, basta instalar e escanear a rede. Sua interface é via Browser e tem fácil navegabilidade.

Contudo, os computadores precisam ter algumas portas, além do firewall liberado, para que a ferramenta realize sua função. Mas a boa notícia é que o próprio Spiceworks ensina como fazer isso. 

Além disso, a ferramenta não apenas acha tudo que houver na rede. Mas também começa um processo de categorização que pode ser aprimorado manualmente. Os escaneamentos podem ser feitos diariamente ou conforme agendamento. Isso ajuda a manter o inventário continuamente atualizado.

3.Depreciação dos ativos do Data Center

É importante lembrar que equipamentos, armazenamento e capacidade de computação também têm tempo de validade. Portanto, é fundamental investigar o tempo de depreciação de equipamentos do data center. Afinal, essa é a melhor forma de evitar perder recursos e gastar ainda mais com recuperações posteriores.

Vários ativos podem ser virtualizados, o que potencializa o poder tecnológico da empresa.

[cta type=”ebook-como-vender-ti-para-a-diretoria”]

4.Gerenciar riscos

Toda empresa precisa compreender a importância do gerenciamento de riscos. Afinal, é por meio dele que se descobre o quão expostos estão os dados e instalações de uma organização. Ter um plano de recuperação de desastres também é necessário, de forma a atender às normas de conformidade. Além disso, ele assegura à empresa manter ou restaurar a continuidade do negócio rapidamente em caso de desastre.

5.Equipe

Os profissionais de TI devem ser muito eficientes. Ou seja, não basta que tenham as competências e habilidades inerentes à profissão. Mas que o status de cada profissional seja acompanhado de perto. Isso inclui  planejamento de férias, aposentadoria, etc.

Dessa forma, é essencial fornecer aos funcionários possibilidades de obter novas certificações mais atualizadas. Afinal, essa é a melhor forma de medir sua proficiência em determinados projetos e melhor aplicá-los conforme seus pontos fortes.

6.Governança de TI

A governança de TI inclui a manutenção de recursos virtuais, privacidade e manutenção geral. Portanto, ela deve ter acesso fácil aos serviços em atraso, mas que precisam ser entregues, por exemplo.

Com isso, nessa etapa de avaliação da infraestrutura de TI, é preciso se perguntar:

“o que falta para cumprir as metas futuras que a empresa ainda não tem?”

“os recursos disponíveis na empresa são suficientes?”

Ao listar as pendências, fica mais fácil implementar novas iniciativas flexíveis e com escalabilidade. Confira uma boa relação de perguntas importantes nessa etapa do processo:

  • Os níveis de segurança são adequados?
  • A tomada de decis~]ao da empresa é ágil o bastante?
  • A empresa está pronta para para incorporar novas tecnologias e práticas, como o BYOD, por exemplo?
  • Quais são os desafios empresariais a serem enfrentados em curto, médio e longo prazo?

[cta type=”ebook-cases-de-sucesso-infonova”]

7.Frameworks

Existem diversos frameworks que podem ser utilizados na implantação de um projeto de infraestrutura de TI. Eles consistem em bibliotecas de boas práticas que ajudam a construir e manter uma estratégia de gestão da qualidade. Confira duas das opções mais utilizadas atualmente:

COBIT

O Control Objectives for Information and Related Technology é um dos frameworks mais utilizados no mercado. Ele está relacionado à governança de TI por sua capacidade de realizar o controle de qualidade de projetos e infraestruturas de tecnologia.

Ele também é responsável pelas práticas gerenciais dos serviços de TI. Seu foco encontra-se em aumentar os níveis de qualidade e segurança da informação sem perder de vista as estratégias do negócio.

ITIL

Atualmente, o Information Technology Infrastructure Library é o framework mais usado no mundo. Afinal, seu objetivo é alinhar os serviços de TI às demandas estratégicas da empresa.

O ITIL baseia-se no ciclo PDCA, se responsabilizando pelas estratégias de serviço, tal como por implementar melhores soluções, níveis de serviço e gestão de mudanças. Sua implementação geralmente fornece à empresa processos de TI mais consistentes.

PDCA

Plan (Planejamento)

Do (Execução)

Check (Controle)

Action (Ação)