Por bruno.moraes em 15/03/2018 em Artigo

Pirataria de software diz respeito as práticas que envolve a utilização, cópia ou comercialização de um software protegido por direitos autorais instalado em computadores pessoais ou de trabalho. Quando você paga por um software, normalmente você está comprando uma licença para usá-la em vez de comprar o próprio programa de software. Criar um produto de software bem-sucedido e aprimorar seus recursos em uma base contínua requer um investimento significativo de tempo e recursos, seja do fabricante de uma grande corporação ou um desenvolvedor de aplicativos.

O processo de pirataria de software se dá numa engenharia reversa, que burla a estrutura do aplicativo tornando-o acessível gratuitamente. Esses aplicativos são compartilhados por meio de downloads e/ou revendas por um preço muito abaixo do produto original.

Algumas estimativas dizem que, dos softwares existentes, 1/3 é pirateado. Isso revela a grande dificuldade em parar a pirataria de software, mesmo com as iniciativas por parte das empresas em agir judicialmente ou maximizar seus investimentos na proteção de seus softwares. Muitas dessas tentativas tem falhado ao longo do tempo, mas os esforços continuam na tentativa de inibir a ação dos Crackers.

Um dos motivos da pirataria de software

Países com um índice menor de pirataria são os mais desenvolvidos, que possuem uma economia mais estável e um mercado equilibrado com preços mais acessíveis compatíveis com a realidade do país.

Em contrapartida, os países onde a pirataria desponta percebemos que a renda da população é menor e o preço cobrado pelos softwares não é compatível com a realidade.

Desvantagens no uso de software pirata

Embora se torne perceptível os motivos que levam ao crescimento da pirataria de software, precisamos destacar os prejuízos decorrentes dessa expansão. Muitos destes softwares vêm com recursos limitado, sem acesso ao suporte e atualizações disponibilizadas rotineiramente pelos empresas. Não possui nenhuma garantia, os riscos desses softwares conter arquivos maliciosos são reais, e, além disso, causa um prejuízo nos investimentos dos desenvolvedores na melhoria de seus serviços aumentando até mesmo o desemprego, já que a insegurança e a baixa receita afetam na manutenção dos mesmos, comprometendo, até mesmo, a imagem do país no exterior.

Uma abordagem totalmente diferente da pirataria de software, chamada Shareware, reconhece a inutilidade de tentar impedir que pessoas copiem software e, em vez disso, dependem da honestidade das pessoas a pagarem um valor de utilização após o tempo de experiência por um período determinado.

Já os programas comerciais que são disponibilizados ao público ilegalmente são muitas vezes chamados de Warez.

É importante lembrar que existem muitos modelos de licenciamento de software diferentes. Enquanto alguns usuários estão satisfeitos com os recursos e o desempenho do software livremente distribuído, outros usuários exigem recursos específicos que são encontrados apenas em software distribuído sob licenças comerciais.

Lembre-se que, pirataria de software, é crime:

A Lei 9.609/98 proíbe a violação dos direitos autorais de programas de computador, com pena de detenção de 6 meses a 4 anos e multa.