Por Infonova em 19/12/2018 em Artigo

Muitas vezes pequenas empresas têm um computador comum fazendo o papel de um servidor, ou nem mesmo isso. Às vezes os computadores na empresa estão descentralizados, a infraestrutura não é profissional. À medida que o negócio vai crescendo surge a dúvida se deve ou não haver um servidor na empresa.

Um servidor é um computador que distribui recursos e serviços entre computadores de uma rede. Esses computadores que recebem os recursos e serviços que são distribuídos são os clientes. O modelo adotado é o cliente-servidor.

Ebook Dicionário de Redes e Servidores

No início do modelo cliente-servidor, um mainframe com um sistema operacional multiusuário tinham as aplicações e eram acessados por computadores clientes, com um dispositivo de entrada de dados e uma tela. Atualmente, os desktops são poderosos o suficiente para suportarem aplicações e até mesmo servirem com pequenos servidores.

Nesse artigo será explicado a importância de se ter um servidor na empresa e alguns detalhes técnicos em uma linguagem simples.

Por que ter um servidor?

A TI está presente em quase todas as empresas modernas. É um fator primordial para o crescimento e, até mesmo, a continuidade do negócio.

Um servidor torna o ambiente mais profissional e menos improvisado. Traz muitas vantagens, que fazem o negócio ser mais ágil e competitivo. As limitações relacionadas a informação que entravam o crescimento do negócio estarão sob controle, com acesso mais ágil, sempre disponíveis e em um ambiente seguro. Além disso, as informações da empresa poderão ser acessadas com segurança fora da empresa.

Os custos a curto prazo, na verdade, diminuem. A economia vai desde menor manutenção de equipamentos a menor uso de energia elétrica.

Disponibilidade

Um problema é quando as máquinas estão descentralizadas ou em uma rede ponto a ponto. Basta uma dessas máquinas com um recurso importante estar desligada, para o recurso estar indisponível. Por exemplo, uma impressora mais sofisticada que é ligada a uma máquina, pode estar indisponível em um momento de urgência, ou estar sobrecarregada.

Deixar várias máquinas sempre ligadas também é um desperdício de recurso. Máquinas que não são projetadas para serem servidores têm desgaste muito grande, quando são muito solicitadas. Além disso, há a conta de luz, que pode ficar cara.

Agilidade

Com um servidor, fica mais fácil acessar informações não correlatas, que poderiam estar em várias máquinas. Pois, tudo fica centralizado e bem gerenciado. Como o servidor fica sempre ligado, além da disponibilidade, todas as informações não correlatas são facilmente acessadas.

O tempo de espera por um serviço é menor com um servidor, já que ele tem maior capacidade e desempenho. Um contrato que precisa ser acessado e impresso estará a mão muito mais rápido. Ou seja, o negócio como um todo ganha em agilidade.

Gerenciamento

Em um ambiente de TI descentralizado, gerenciar arquivos, atualizar sistemas operacionais e serviços é algo extremamente trabalhoso. Além disso, fazer backups é bem mais difícil, pois todas as máquinas teriam que ser acessadas.

A comunicação de máquinas com sistemas diferentes também é dificultada sem um servidor.

Um servidor centraliza as informações e tem serviços para gerenciá-las de modo rápido e eficiente. Os sistemas operacionais para servidores são projetados para a tarefa de gerenciamento de todos os serviços que um servidor oferece.

É muito mais profissional gerenciar toda a infraestrutura de TI de uma empresa com um servidor.

Segurança

Um servidor utiliza um sistema operacional para redes ou para servidores. Isso significa que os dados estarão protegidos com permissões de acesso para cada usuário. Além disso, estes sistemas operacionais são bem menos vulneráveis e estáveis. Eles funcionam melhor também.

O hardware é outro ponto forte. Hardwares de servidores são mais robustos e podem funcionar 24 horas, com menos desgaste. Isso garante que os dados não serão perdidos.

Fazer backup para recuperação de um desastre é muito mais fácil em servidores. Os dados estão centralizados e os sistemas operacionais para servidores fazem isso de forma mais rápida e fácil.

Armazenamento

Um servidor possui maior capacidade de armazenamento. A forma do armazenamento em um servidor é confiável e rápida. O hardware é projetado para isso. Além disso, o próprio sistema operacional para servidores dá suporte para manter o disco rígido sem falhas lógicas.

Os backups são mais fáceis. Também é possível usar tecnologias como o RAID, como será explicado mais a frente.

Tipos de Servidor

Servidor em Torre

Um servidor em torre parece fisicamente com um desktop. Porém, é um computador normalmente projetado para ser um servidor. Possui mais capacidade de processamento, armazenamento e memória do que um desktop comum. Necessita de uma sala climatizada. É indicado para pequenas empresas que não tem muita necessidade de processamento dos dados.

Servidores em Hack

Servidores em Hack ficam armazenados em pequenos armários chamados hacks. Há uma economia de espaço e o uso de mais de um servidor. Eles necessitam de uma sala climatizada.

Guia completo para contratação de empresas de TI

Com Servidores em Hack é mais fácil trocar componentes, ele estará mais protegido que servidores em torre, há melhor organização dos cabos e a menos interferência eletromagnética do que em servidores em torre.

Servidores Blade

Servidores Blade são mais caros, mas ocupam menos espaço que Servidores em Hack e possuem maior capacidade de processamento. É uma evolução recente no mundo dos servidores, que com o tempo deve ter preços mais acessíveis.

Eles necessitam de uma sala climatizada. É ideal para empresas que precisam de um data center.

Servidor na Nuvem

Nem sempre é conveniente ter uma infraestrutura completa de TI fisicamente na empresa. Uma opção é contratar servidores de uma empresa que oferece serviços de cloud computing (computação na nuvem). Trata-se da IaaS (Infrastructure as a Service), a infraestrutura entregue como um serviço acessado remotamente.

Os dados estarão seguros, pois as empresas de computação em nuvem possuem especialistas na área de segurança e práticas corporativas para isso. Além disso, os backups podem ser automáticos e periódicos.

O contrato pode ser cancelado sem perda dos dados. Assim como é possível aumentar facilmente a capacidade ou o número de servidores contratados. Até mesmo é possível fazer uma contratação de menos serviços, se a demanda diminuir. Ou seja, o serviço contratado pode variar de acordo com a demanda.

A tendência atual é de um crescimento cada vez maior de substituição de infraestrutura física por serviços na nuvem. Duas das principais empresas que oferecem esse serviço são a Microsoft e a Amazon.

TI Híbrida

Uma nova tendência no mercado é a TI híbrida. Na TI híbrida, parte dos recursos estão localmente na empresa e a outra parte na nuvem.

Para implementar a TI híbrida é necessário que os profissionais gerenciem vários ambientes com eficiência. Entretanto, tem a vantagem da otimização de recursos, mantendo ao máximo a privacidade, com os dados mais críticos permanecendo nos servidores internos da empresa. Outra vantagem é a empresa não ficar paralisada no caso de sobrecarga de um servidor interno.

Assim, tem-se as vantagens da nuvem e da infraestrutura interna. A nuvem tem a vantagem do baixo custo na utilização de tecnologia de ponta, com relatórios otimizados, desoneração da equipe de TI para atividades mais críticas do negócio. A infraestrutura interna mantém a privacidade de dados mais críticos.

Sistema Operacional

Além do hardware físico, é preciso também escolher um sistema operacional para os servidores. O sistema operacional projetado para servidores dará todo os suporte para software de servidores, segurança e gerenciamento profissional. Abaixo são dadas algumas características de alguns sistemas operacionais para servidores.

Linux

No mundo é o sistema operacional mais utilizado como servidor. É um sistema operacional de código aberto. Algumas distribuições Linux exigem um pagamento para o uso, como o Red Hat, que dá em troca suporte técnico. Algumas podem ser utilizadas em ambientes corporativos sem nenhum tipo de pagamento, como o Debian, que tem a licença GPL (Gnu Public License).

Ele exige mais conhecimentos técnicos que o Windows. Mas podem ser instalados sem uma interface gráfica, o que o deixa extremamente leve, sem deixar de ser poderoso.

Muitos dos softwares de servidores são facilmente instalados no Linux, pois fazem parte das distribuições ou dos repositórios delas. Dessa forma, além do custo de aquisição do sistema operacional ser menor ou gratuito, muitos softwares de servidores terão a licença GPL. Além disso, as atualizações do sistema operacional e dos softwares costumam ser muito mais rápidas e simples no Linux do que no Windows.

Windows

Existem versões do Windows para servidores. Todas as versões do Windows têm licenças proprietárias e pagas. As versões para servidores costumam se chamar Windows Server, por exemplo, Windows Server 2008 R2, Windows Server 2019 etc.

Uma vantagem é a fácil integração a outros produtos da Microsoft. Por exemplo, o SQL Server, que é software de servidor de banco de dados. A maior facilidade de uso para administradores, com uma interface gráfica intuitiva, também é uma vantagem.

Virtualização

É possível virtualizar sistemas operacionais em um mesmo servidor. É como se fosse várias máquinas em uma só. A máquina física terá um sistema operacional e uma solução para criar máquinas virtuais, onde será possível instalar outros sistemas operacionais. Não há interferência entre estes vários sistemas operacionais instalados. Dessa forma, é possível atender a diversas necessidades, com uma única máquina física.

A instalação dos sistemas operacionais é simplificada com uma máquina virtual. Além disso, há mais facilidade para realização de backups, há independência de hardware. Uma desvantagem é o desempenho do sistema operacional em uma máquina virtual, pois há uma camada de software entre o sistema operacional e o hardware.

Exemplos de virtualizadores são o VMWare, o Windows Virtual PC e o VirtualBox.

RAID

RAID (Redudant Array of Independent Disks) é uma forma de usar vários discos rígidos em conjunto, de forma a prover maior capacidade, desempenho, confiabilidade e segurança.

Existem vários tipos de RAID. Em alguns os dados são duplicados. Caso um dos discos pare de funcionar, os dados não serão perdidos. Entretanto, não é um substituto para o backup (cópia de segurança).

O RAID 1 provê espelhamento, ou seja, os dados são duplicados em um par de discos rígidos. Isso serve para que não haja perda de dados.

O RAID 5 precisa de pelo menos 3 discos rígidos. Nele há segmentos que são pareados. No caso de se perder parte dos dados, eles poderão ser recuperados.

O RAID 10 provê espelhamento e paridade de segmentos. Esse método junta a performance da paridade de segmentos, com a segurança da duplicação dos dados.

Funções de um Servidor

Servidor de Arquivos

Um servidor de arquivos é uma máquina ou um serviço que oferece para máquinas clientes compartilhamento de arquivos. Todo o processamento pesado é feito no servidor e toda a empresa tem acesso aos arquivos. Existem permissões de acesso para que certos arquivos só possam ser acessados por pessoal autorizado. Além disso, os arquivos podem ser gerenciados de forma mais eficiente e segura.

É a forma mais profissional de gerenciar arquivos e os compartilhar pela rede, até mesmo para acesso fora da empresa.

Banco de Dados

Um servidor de banco de dados armazena e administra dados. Uma máquina pode ficar responsável de se ter um SGBD (Sistema Gerenciador de Bancos de Dados). Com ele é possível selecionar, fazer buscas, alterar, incluir e excluir dados de maneira profissional. É possível integrá-lo a páginas web ou a aplicativos. É possível também fazer certas programações com os dados.

O tipo de banco de dados mais comum é o relacional. Esse tipo utiliza a linguagem SQL, variantes dela e linguagens específicas de fabricantes, que complementam e dão mais poder ao banco de dados. Entre os SGBDs do mercado estão o MySQL, o SQL Server, o Oracle, o PostgreSQL e muitos outros.

Servidor Web

Um servidor web oferece serviços para máquinas clientes por meio do protocolo HTTP. O protocolo HTTP é o principal protocolo da Internet para a apresentação de páginas.

Uma máquina cliente faz uma solicitação para o servidor web e recebe uma resposta. Essa resposta pode ser, por exemplo, que um formulário enviado pela máquina cliente, será processado pelo servidor.

Com o servidor web é possível criar uma Intranet na empresa. Por meio de páginas web, que ficam no servidor, é possível criar um sistema interno para toda a empresa. Um servidor de banco de dados pode ser integrado nesse sistema.

Alguns dos servidores web do mercado são o Apache e o IIS. Algumas das linguagens para programar páginas Web são o PHP, o Java, o C# .NET e o Python. Além disso, pode-se usar um CMS para facilitar o trabalho de criar páginas web, como o WordPress, o Drupal, o Joomla e outros.

Servidor de Impressão

Um servidor de impressão é um software ou hardware, que gerencia e distribui as impressões dos vários computadores da rede. Dessa forma, ele prioriza os trabalhos e distribui os trabalhos entre uma impressora ou várias da forma mais eficiente possível, reordena trabalhos na fila e faz relatórios das impressões em um período. Além disso, é possível saber quanto cada setor ou usuário da empresa imprime e definir cotas para eles.

Com um servidor de impressão, o trabalho de impressão fica muito mais profissional e organizado.

Gerenciamento de Contas e Usuários

É possível administrar contas de usuários de um domínio com um servidor Linux e com máquinas clientes Windows por meio do software Samba. Existe também uma ferramenta chamada SWAT (Samba Web Administrator Tool) que ajuda profissionais sem muita experiência no Samba.

O Windows Server possui uma ferramenta chamada de Active Directory (AD) para adminitração de serviço de diretório. Assim, serviço de diretório pode ser definido como o gerenciamento de perfis, contas, senhas de usuários, permissões de acesso e grupos de usuários, a grosso modo. O Active Directory é implementado em protocolo LDAP (Lightweight Directory Access Protocol).

Ebook Dicionário do Outsourcing de TI

Com o Active Directory os logins e senhas dos usuários estarão centralizados para toda rede. Possui nível de acesso controlado e delegação de tarefas administrativas.

Para Windows e sistemas Unix, como o Linux, existe também a opção da ferramenta OpenLDAP, que também utiliza o protocolo LDAP.

Principais Marcas no Mercado

As principais marcas no mercado são de gigantes da tecnologia. A HP, a Cisco, a IBM, a Dell, a Oracle e a Intel são algumas das principais. Em benchmarks com as marcas HP, Dell e IBM com servidores blade, que seria como um teste de comparação entre elas, as marcas chegaram a um desempenho parecido. Entretanto, a escolha do servidor que atende as necessidades de cada empresa com melhor custo-benefício deve ser feita por um profissional ou por uma empresa que oferece soluções em servidores e redes.

Conclusão

Servidores tornam o trabalho na empresa mais profissional. Além disso, é uma vantagem competitiva para a empresa. A vantagem de obter mais agilidade, segurança, disponibilidade e de se gerenciar melhor os dados, compensam o investimento inicial. A curto prazo, na verdade, os custos diminuem em relação a antes de se ter o servidor.

Dados e informações são essenciais para as empresas no mundo atual. Ter um servidor localmente ou na nuvem, significa o crescimento da empresa, por todas as vantagens citadas anteriormente.

Para isso é necessário a contratação de funcionários internamente ou por uma empresa de terceirização. A Infonova possui soluções de administração de rede e servidores e pode implementar os servidores nas empresas. Também possui soluções em cloud computing (computação na nuvem).