Por Juliana Gaidargi em 17/10/2018 em Artigo

Na hora de instalar algum programa em computadores que tenham o Windows 7, 8.1 ou 10 é comum encontrar duas opções: sistemas de 32 bits ou 64 bits. Esta diferença também pode ser encontrada no momento da instalação do próprio sistema operacional, quando ele não está instalado com no computador adquirido. Quando se faz necessário trocar de computador essa dúvida também tende a surgir. No entanto, existem muitos usuários que não sabem o que essa diferenciação entre 32 bits ou 64 bits significa.

Um pouco de história

Até meados de 2003, somente os processadores de 32 bits eram compatíveis com o Windows. Entretanto, nesse mesmo ano, a AMD lançou um processador de 64 bits compatível com esse sistema operacional. Com isso, a Microsoft começou aperfeiçoar seu software para conseguir aproveitar melhor essa nova capacidade dos processadores.

Hoje em dia, a maioria dos processadores são de 64 bits. Contudo, processadores de 32 bits ainda existem, tal como versões do Windows específicas para esses processadores.

Código binário

Um bit nada mais é que a unidade mínima de informação para computadores. Cada bit pode corresponder a 1 ou 0. Por conta disso considera-se que computadores funcionam com códigos binários. Ou seja, em nível microscópico, a informação é manuseada pelos computadores no formato de trilhões de sequências de 1 e 0.

Esse código, conhecido como binário, permite escrever qualquer número inteiro. Isso funciona da seguinte forma: cada 1 ou 0 se refere a uma potência de 2. Com isso, o computador enxerga uma sequência de dígitos, multiplica cada potência de 2, da esquerda para a direita, por 0 ou 1 e chega a um novo número. Ou seja, quanto mais bits usa, mais números o computador consegue escrever.

Sistemas 32 bits ou 64 bits?

Em geral, usuários se deparam com essa dúvida quando precisam baixar um software em seu computador. Isso porque eles costumam ser disponibilizados em ambas as versões: 32 e 64 bits. Para fazer a escolha certa, é preciso saber qual é o sistema operacional do computador, tal como sua capacidade. Ter esses dados auxiliam a diminuir as chances de conflitos no momento da instalação e utilização de um determinado software.

Acessar essas informações é muito simples. Basta clicar no botão Iniciar, em Painel de Controle e, depois, em Sistema.

Vale lembrar que esses valores não correspondem à velocidade e sim capacidade de processamento do computador.

Bits e memória

Sistemas de 32 bits só conseguem gerenciar um máximo de 3,2 GB de memória RAM. Ou seja, caso o computador disponha de mais memória do que isso, o sistema não irá reconhecê-la. Já os sistema de 64 bits podem ir além dos 4 GB de memória RAM. Com isso, um sistema de 64 bits acaba tendo uma maior capacidade de processamento. Ou seja, computadores que dispõem de mais de 4 GB de memória RAM demandam a utilização da versão de 64 bits para que o sistema utilize todo o seu potencial.

Ainda assim, é importante esclarecer que nem sempre a versão do sistema significa mais velocidade para o computador. Nos casos em que a máquina não possui 4GB de RAM, o sistema mais indicado é realmente o de 32 bits. Por conta disso, antes de trocar a versão do sistema, é fundamental conhecer as configurações do computador.

Principais diferenças entre computadores de 32 bits e 64 bits

Sistema Operacional

Nessa frente, uma característica importante é o fato de as versões de 64 bits serem capazes de reconhecer uma quantidade maior de memória RAM do que as versões de 32 bits.

Portanto, para que o sistema operacional possa apresentar um melhor desempenho de processamento, não basta apenas que seu processador seja compatível com uma arquitetura superior, mas também que opere na versão de 64 bits.

 

Processador

Em suma, as terminologias “computador de 32 bits” ou “computador de 64 bits” correspondem à arquitetura do processador e do sistema operacional de uma determinada máquina. A maior parte dos processadores atuais são capazes de processar dados tanto de 64 ou 32 bits. Portanto, é comum que os programas desenvolvidos contem com versões compatíveis com ambas arquiteturas.

 

Parte Técnica

Simplificando, processadores de 32 bits são capazes de processar sequências de até 32 bits. Em contrapartida, processadores de 64 bits podem trabalhar com sequências de até 64 bits. Ou seja, processadores de 64 bits têm a capacidade de trabalhar com o dobro de informações.

Portanto, a capacidade de um computador trabalhar com uma quantidade maior de bits não influencia em sua velocidade, mas em um melhor desempenho geral. Isso no caso de máquinas cujos sistemas também sejam compatíveis com a arquitetura de 64 bits.

 

Qual é o melhor?

Antes de escolher entre 32 e 64 bits, o usuário deve determinar quais são suas expectativas em relação ao computador. Ou seja, deve se perguntar para quais tarefas ele será designado.

Caso o usuário utilize o computador para realizar ações mais básicas, como processadores de textos e planilhas, além de internet, basta um sistema operacional de 32 bits. Isso porque o processador não precisará fazer operações complexas no que diz respeito ao processamento dos dados.

No entanto, se o usuário utiliza programas que exigem um maior poder de processamento, como o AutoCAD, Photoshop, editores de vídeos e imagens, recomenda-se o uso de um sistema compatível com a arquitetura de 64 bits.

Isso porque esses programas exigem que o hardware trabalhe com operações que envolvem números e cálculos mais complexos. Se este usuário tentasse realizar essas tarefas em um sistema de 32 bits, a máquina teria que dividir suas operações em diversas partes para processar as informações e instruções destes programas com sucesso.

 

Compatibilidade entre drivers e sistemas

Quando um usuário decide mudar de um sistema operacional de 32 bits para um de 64 bits, é comum haver dúvidas em relação à necessidade de migração de drivers. Isso porque, para que um dispositivo de hardware seja devidamente reconhecido por uma versão do Windows 7 Ultimate de 64 bits, por exemplo, é essencial a instalação de drivers específicos para essa versão.

De acordo com a própria Microsoft, utilizar drivers de 32 bits em sistemas de 64 bits, ou o inverso, pode ocasionar mau funcionamento do dispositivo, inclusive erros. Portanto, para que uma impressora funcione corretamente, por exemplo, se faz necessária a instalação dos drivers adequados.

 

Compatibilidade entre softwares e sistemas

Contudo, em relação a programas, aqueles desenvolvidos para uma arquitetura de 32 bits podem ser executados sem problemas em sistemas operacionais de 64 bits. No entanto, se esses softwares tiverem drivers incorporados, poderão apresentar erros.

Embora muitos programas sejam desenvolvidas para arquiteturas de 32 bits, o mais comum hoje em dia é encontrar versões para sistemas de 64 bits. Por conta disso, para evitar problema em relação a drivers incorporados, é importante investir em softwares específico para cada arquitetura. Dessa forma, o usuário terá um melhor desempenho na execução de programas.

Vale ressaltar que não é possível trocar uma versão de Windows de 32 bits para uma de 64 bits por meio de atualização. De acordo com a Microsoft, só é possível atualizar uma versão do sistema operacional para outra de mesma arquitetura. Ou seja, na hora de escolher uma versão, é importante que o usuário tenha em mente qual é aquela que melhor lhe atenderá em longo prazo.

Pontos principais

De forma geral, não se recomenda a instalação de uma versão de 32 bits em computadores com mais de 3 GB de memória, já que o sistema operacional não irá reconhecê-la. Vale lembrar que, embora o limite teórico para sistemas de 32 bits seja de 4 GB de RAM, a quantidade máxima de endereçamento de memória para é limitada a 3,5 GB.

Isso acontece porque o sistema reserva parte da memória para o funcionamento de outros dispositivos. Por exemplo, placas de vídeo (offboard) possuem a sua própria memória, mas também entram na soma dos 4 GB. Ou seja, ao instalar uma placa com 2 GB, apenas 2 GB estarão disponíveis para todo o sistema operacional, já que o limite diz respeito à quantidade máxima de memória que o processador pode endereçar.

Hoje em dia não é comum identificar problemas de compatibilidade de programas 32 bits instalados em sistemas 64 bits. Ou seja, se o usuário está em dúvida sobre qual versão de um programa instalar, o melhor é optar pela versão de 64 bits. Contudo, se o computador for muito antigo, tal como seus drivers, algum dos componentes de podem não funcionar corretamente. Já usuários de netbooks devem optar sempre pela versão de 32 bits. Isso porque não é comum encontrar modelos com mais de 2 GB de memória RAM.

Para computadores mais modernos, a versão de 64 bits é mais indicada. Isso porque o usuário não precisará reinstalar o Windows caso adicione mais memória posteriormente.

Check-list:
  • Processadores de 64 bits suportam sistemas operacionais de 32 bits;
  • Processadores 32 bits não suportam sistemas operacionais 64 bits;
  • É possível instalar aplicativos 32 bits em sistemas operacionais e processadores 64 bits;
  • Aplicativos de 64 bits só funcionam se o processador e o sistema operacional forem de 64 bits;
  • Se o processador é 64 bits, o ideal é instalar um sistema operacional 64 bits.