Por Juliana Gaidargi em 1/03/2019 em Artigo

Para entender como funciona a infraestrutura de TI de uma empresa, é preciso conhecer um pouco mais sobre infraestrutura de forma geral.

História da infraestrutura

O termo infraestrutura tem sido usado ao longo da história para descrever as estruturas grandes e complexas de projetos militares, projetos civis e serviços públicos. A palavra foi usada pela primeira vez em 1875 na França para descrever o planejamento da ferrovia. No entanto, antes de 1700, o que mais tarde ficou conhecido como infraestrutura, começou com estradas e canais para transporte e irrigação. Os anos 1800 até o início dos anos 1900 adicionaram infraestrutura de comunicação ferroviária, telegráfica, elétrica, de água / esgoto, metrô e telefonia. Como a tecnologia evoluiu da computação básica para a internet e além, as operações de negócios rapidamente se tornaram dependentes da tecnologia. Dessa forma, com o tempo, a infraestrutura de TI tornou-se uma espinha dorsal dos negócios.

Ebook Melhores Práticas em Gestão de TI

Hoje, o termo é usado para abranger as bases, os componentes estruturais e os relacionamentos cada vez mais crescentes das estruturas de negócios integradas. O termo, tirado do francês infra, significa abaixo. Isso destaca que uma base sólida é necessária para apoiar uma estrutura organizacional forte.
Abaixo está uma lista de áreas que são comumente referidas como infraestrutura:

O que é infraestrutura de TI?

Os CEOs de hoje têm como objetivo operar com eficiência a infraestrutura de tecnologia que suporta as metas corporativas. Parte dessa responsabilidade inclui aumentar o valor dos negócios otimizando a recuperação de informações e relatórios. Isso, além de fornecer respostas pró-ativas e ágeis para alavancar informações e tecnologia de forma a adaptar-se rapidamente, possibilitando assim experiências aprimoradas ao usuário final. Contudo, para realizar esse enorme empreendimento, a liderança de TI conta com a miríade de elementos tangíveis e intangíveis que compõem o backbone de tecnologia de uma organização, a infraestrutura de TI.

A infraestrutura de TI consiste em todos os elementos que suportam o gerenciamento e a usabilidade de dados e informações. Estes incluem o hardware físico e instalações, como data centers, armazenamento e recuperação de dados, sistemas de rede, interfaces legadas e software para suportar os objetivos de negócio de uma empresa. A estrutura também inclui contratação, treinamento, políticas, testes, processos, atualizações e reparos.

Por que entender como funciona a área de TI é importante?

É fato que todo indivíduo que trabalha em uma empresa é impactado diariamente pela infraestrutura de TI. Isso inclui a nuvem. Afinal, muitas vezes a infraestrutura na qual um aplicativo está sendo executada é ignorada, desde que tudo esteja funcionando como deveria. Com a tecnologia de hoje, nos acostumamos a simplesmente confiarmos que o hipervisor fará o seu trabalho. Ou seja, que irá se certificar que as máquinas virtuais estejam protegidas contra falhas em geral.

Porém, existem situações em que o banco de dados não apresenta um bom desempenho. É nesse ponto que saber como funciona a infraestrutura de TI pode ajudar a determinar o que está errado com o aplicativo. Portanto, um entendimento básico sobre como funciona a área de TI só melhorará a performance dos aplicativos. Afinal, compreendendo o ambiente sob a aplicação, é mais fácil entender o que pode causar possíveis problemas.

Dessa forma, podemos dividir a infraestrutura de TI em três componentes principais: computação, rede e armazenamento. Ou seja, qualquer dispositivo da infraestrutura de TI é composto por esses componentes. Inclusive máquinas virtuais e aplicativos. Contudo, a infraestrutura de TI inclui alguns outros componentes essenciais.

Quais componentes formam e como funciona a infraestrutura de TI?

A forma como funciona a infraestrutura de TI consiste na combinação de hardware, software, rede e recursos humanos que permitem que uma organização forneça serviços de tecnologia da informação a pessoas de uma organização.

Ebook Como Vender TI para Diretoria

Existem vários componentes-chave na infraestrutura de TI. O mais óbvio é o hardware. Afinal, sem hardware, é impossível ter serviços de TI. Ou seja, uma organização precisa de computadores desktop, servidores, roteadores, switches e outros equipamentos.

Hardware

Contudo, o hardware é inútil sem o software. Ou seja, o software é tão importante para a infraestrutura de TI quanto o hardware. O software típico de uma organização inclui aplicativos de produtividade, planejamento de recursos empresariais (ERP) e gerenciamento de relacionamento com o cliente (CRM). Alguns desses aplicativos podem ser comprados na prateleira e outros podem ser desenvolvidos pelo departamento de TI. Tudo depende das necessidades da organização.

Internet

Atualmente, a internet é essencial para a condução de negócios modernos. Por isso, a conectividade de rede tornou-se fundamental. Afinal, os funcionários dependem de e-mail, acesso à web e até mesmo de seu serviço telefônico por meio do VoIP. Portanto, uma conexão de rede é uma necessidade absoluta. Além disso, pense em quantas outras máquinas precisam ser conectadas juntas. Isso significa executar fios e configurar hubs de rede, switches e roteadores.

Pessoas

Entretanto, o mais importante é o elemento humano. Ou seja, os responsáveis ​​por todas as outras partes da infraestrutura de TI. Os profissionais de TI, sejam desenvolvedores, administradores de sistema ou administradores de rede, analisam as necessidades de uma organização e determinam quais hardwares e softwares farão o trabalho.

Eles podem apenas comprar uma solução existente ou desenvolver algo do zero. Tal como conseguem escolher uma solução local ou nuvem, de acordo com a necessidade.

Porém, é importante lembrar que cada um desses componentes em uma infraestrutura de TI depende do outro. Afinal, uma organização precisa de hardware, software e rede para funcionar. Contudo, esses e outros componentes são inúteis sem humanos para comprá-los, configurá-los e mantê-los funcionando.

Um exemplo prático: componentes de um banco de dados

Por exemplo, quando falamos de armazenamento, aplicativos diferentes terão requisitos diferentes em desempenho e capacidade. É possível ter um banco de dados muito pequeno que não requer muito em termos de capacidade de armazenamento. Porém, ele pode requerer uma grande capacidade de desempenho. Portanto, o dispositivo de armazenamento que o banco de dados está usando deve se conectar ao servidor. Isso é feito utilizando uma rede, seja uma Rede de Área de Armazenamento (SAN) ou uma rede baseada em IP tradicional. O desempenho desse dispositivo de armazenamento também dependerá dos recursos de computação disponíveis, como CPU e memória.

O que é gerenciamento de infraestrutura?

O gerenciamento de infraestrutura evoluiu para incluir a verdadeira espinha dorsal dos negócios, a tecnologia. Mas como funciona a infraestrutura de TI em termos de gerenciamento? O gerenciamento da infraestrutura de TI consiste na administração e gerenciamento de elementos operacionais essenciais para utilizar de forma eficaz, eficiente e proativa a tecnologia, as informações e os dados.

Esses elementos incluem computadores, servidores, redes, dados, armazenamento, instalações físicas e virtuais, bem como software, processos, políticas, equipe, treinamento, segurança, funcionalidade móvel e virtual e serviços baseados em nuvem que compõem a infraestrutura de TI.

No geral, o gerenciamento da infraestrutura de TI está intimamente alinhado com as operações, estratégias e metas corporativas gerais. Portanto, seu principal objetivo é minimizar o tempo de inatividade e manter a produtividade dos negócios. Devido à complexidade de como funciona a infraestrutura de TI, não é incomum que seu gerenciamento seja dividido em subestruturas. Como gerenciamento de sistemas, gerenciamento de rede e gerenciamento de armazenamento.

Além disso, uma equipe de gerenciamento de infraestrutura de TI corporativa é normalmente responsável pelos seguintes elementos e serviços essenciais de TI:
  • Ciclo de vida do ativo
  • Monitoramento de capacidade / planejamento
  • Armazenamento
  • Utilização da rede
  • Disponibilidade
  • Consumo de energia
  • Problemas ambientais
  • Instalações (incluindo gerenciamento de infraestrutura de data center)
  • Ativos físicos e virtuais
  • Operações de rede sem fio e com fio
  • Hardware
  • Programas
  • Segurança (proteção contra malware / vírus)
  • Conectividade móvel
  • Atualizações de manutenção / serviço
Ebook Cases de Sucesso de Clientes

Os serviços que a equipe de gerenciamento de infraestrutura de TI fornece geralmente estão nos bastidores. Eles mantêm a tecnologia que suporta as operações diárias, como Internet, e-mail e acessibilidade de dados. Portanto, a equipe depende muito de soluções de gerenciamento e monitoramento reais ou quase em tempo real para manter a produtividade. É assim que funciona a área de TI de uma empresa bem organizada.

Entendendo a gestão de infraestruturas remotas

Com o crescente número de organizações geograficamente distintas, além de funcionários remotos, tecnologia de nuvem e data centers externos, o Remote Infrastructure Management (RIM) ajuda com o monitoramento e gerenciamento centralizados desses componentes exclusivos que compõem as empresas em crescimento. O RIM é gerenciado por técnicos internos de TI ou terceirizado para provedores de serviços de TI que possuem as ferramentas e são versados ​​no gerenciamento de infraestrutura remota.

Gerente de projeto de infraestrutura

Existem muitas funções técnicas e não técnicas que compõem uma equipe de gerenciamento de infraestrutura de TI. No entanto, um gerente de projetos de infraestrutura (IPM) tem algumas responsabilidades exclusivas quando se trata de gerenciar projetos específicos de infraestrutura, como atualizações, integrações e reparos.

O gerenciamento de projetos de infraestrutura envolve muitos dos elementos gerais de gerenciamento de projetos. Como, por exemplo, planejamento, execução, monitoramento, testes e fechamento de projetos. No entanto, também é altamente técnico. Afinal, todos os projetos estão associados à manutenção da operação contínua da infraestrutura de TI. Os IPMs geralmente têm uma variedade de projetos em andamento sem datas de término definidas, enquanto os PMs tradicionais trabalham em projetos distintos com uma data final de vencimento.

Como escolher a melhor solução de gerenciamento de infraestrutura de TI?

As soluções disponíveis atualmente se concentram na funcionalidade multiuso para suportar ambientes de negócios homogêneos ou heterogêneos. Portanto, elas enfatizam recursos como facilidade de implantação e uso, visão instantânea e visualizações e monitoramento proativo preditivo. Esses sistemas baseados em software também apresentam elementos de autoaprendizagem que aumentam a eficácia da indústria ou da empresa.

Antes de escolher uma solução, a equipe de gerenciamento de TI deve primeiro definir os serviços, controles e relatórios que são necessários e desejados para melhorar as operações. Ou seja, isso deve ser feito antes de chamar os fornecedores para demonstrações.

Muitas das ferramentas atuais têm sistemas escalonáveis ​​que fornecem recursos locais e remotos para gerenciamento físico e virtual, suportam protocolos específicos do setor e incluem painéis de fornecedores que oferecem treinamento, consultoria e serviços aprimorados. Mas lembre-se, a solução escolhida deve atender às necessidades exclusivas de negócios.

Para aspectos mais complexos do processo de tomada de decisão da solução, avalie as seguintes áreas funcionais:
  • Gerenciamento do ciclo de vida da infraestrutura (o ciclo de vida de um ativo de infraestrutura, desde o planejamento até a operação e o descarte ou fim da vida útil)
  • Otimização de capacidade e previsão de recursos
  • Monitoramento granular e solução de problemas de ativos físicos e virtuais (VM)
  • Monitoramento de rede de toda a infraestrutura, incluindo roteadores, switches, VPNs, firewalls, appliances, etc.
  • Alocação de recursos
    Análise de tendências e relatórios em várias fontes de dados
  • Alerta de limite, gatilhos e remediação
  • Capacidade de “auto-aprender” para melhorar as funções operacionais
  • Suporte a ambiente heterogêneo, incluindo virtual e nuvem
  • Comunicação e suporte para Amazon Web Services (AWS), Google e Microsoft Azure
  • Suporte para protocolos padrão da indústria, como WMI e SMTP
  • Acesso remoto e móvel
  • Funções de segurança de rede
  • Automação
  • Detecção de recursos problemáticos e realização de ações preventivas
  • Utilização de rede e verificações de integridade do sistema
  • Suporte para serviços comuns, como o Active Directory e o Microsoft Exchange

Os benefícios da gestão de infraestrutura de TI

Os benefícios das soluções de gerenciamento de infraestrutura de TI resultam da facilidade de operação, clareza de informações e relatórios e redução de custos. Os comportamentos que suportam esses resultados incluem:

  • Resposta rápida a mudanças e condições perturbadoras;
  • Procedimentos flexíveis e ágeis que levam a estratégias de gerenciamento proativas (ao invés de reativas);
  • O trabalho automatizado reduz o trabalho, os custos e os eventos e incidentes de impacto, permite melhor planejamento da capacidade, centraliza as informações e fornece informações e relatórios quase em tempo real;
  • Funções e operações diárias simplificadas liberam tempo para o pessoal, para que possam planejar melhor e atender às demandas da estratégia geral de negócios, incluindo a ampliação do crescimento competitivo;
  • Melhor satisfação do cliente e desempenho geral;
  • Redução do tempo de inatividade acelerando implantações e diminuindo o tempo de reparo.

Pontos de atenção

Embora o gerenciamento de infraestrutura de TI seja implementado para simplificar os processos, ele também pode ser prejudicial, especialmente na implantação inicial. Afinal, os CEOs têm a tarefa de adaptar-se às restrições de seus orçamentos e habilidades de seus funcionários para “avançar na velocidade da empresa”. Isso pode resultar na adoção, implantação e gestão de novos sistemas e processos em detrimento de planejamento e pesquisa adequados.

Além disso, os requisitos do usuário corporativo e as expectativas do consumidor em relação a serviços de TI confiáveis ​​continuam a crescer. Com essas demandas, o cenário dos serviços de TI e de sua administração continua a se tornar mais complexo e abrangente.

A necessidade de soluções simples, relatórios claros, visualizações em tempo real, sistemas seguros, funcionalidade de economia de custos, escalabilidade, mobilidade e confiabilidade também continuarão a crescer. A promessa dos fornecedores, como facilidade de implantação, funcionalidade cotidiana, relatórios de várias camadas, aprimoramentos de segurança e otimização de capacidade, também se estende à capacidade de passar de “apagar incêndios” a estratégias proativas de gerenciamento que aproveitam a tecnologia, dados e informações para o crescimento competitivo.

A gestão de infraestrutura de TI na área da saúde

O gerenciamento de infraestrutura de TI é um recurso valioso que pode ser utilizado em organizações de assistência médica para monitorar, gerenciar e aproveitar recursos, ativos de TI, redes, sistemas de segurança e vários outros processos em um local centralizado. Afinal, o gerenciamento de infraestrutura de TI em uma organização de assistência médica oferece uma maneira de rastrear, gerenciar e armazenar recursos, operações e informações de processo e proteger as informações de saúde (PHI).

As organizações de assistência médica podem se beneficiar dos benefícios visíveis e colaborativos que esse tipo de gerenciamento de infraestrutura oferece. Porém, elas também devem obedecer a padrões rigorosos de segurança, proteção de dados e conformidade. Para aproveitar os benefícios do gerenciamento centralizado de sistemas de TI e continuar em conformidade com os padrões de segurança, é preciso contar com uma ferramenta poderosa, em tempo real e segura para executar seus sistemas.

Gestão de infraestrutura de TI na comunicação

A nuvem, a Internet das Coisas (IoT) e a mobilidade afetam e continuarão afetando operações comerciais. Simultaneamente, o movimento para a nuvem está levando a equipe de TI a evoluir e planejar soluções de gerenciamento de infraestrutura úteis, adaptáveis ​​e escalonáveis.

Contudo, conforme as empresas migram a infraestrutura de TI para sistemas baseados em nuvem, a compra de ferramentas para suportar essa transição dependerá de vários elementos específicos. Isso inclui se a nuvem é privada, pública (como Amazon Web Services (AWS) ou Microsoft Azure) ou uma mistura híbrida.
div class=”cta”>

Checklist Nível de Excelência em TI

Não é de surpreender que esse desafio único e crescente associado ao gerenciamento de infraestrutura de TI, IoT e nuvem sejam os principais tópicos da Cúpula de Gerenciamento de Infraestrutura e Operações de TI da Gartner Research em 2017.

Olhando para o futuro dos serviços e soluções de gerenciamento de infraestrutura integrada, a tendência continua em direção à adoção de ofertas de nuvem privada, pública e híbrida para construir novas infraestruturas, aprimorar recursos atuais ou integrar-se a sistemas legados. Analistas do setor na Gartner Research preveem um crescimento de 18% no mercado global de nuvem de serviços públicos e que os gastos para 2017 chegarão a quase US $ 250 bilhões.