Por Juliana Gaidargi em 8/02/2019 em Artigo, Cloud

Existe uma série de benefícios da nuvem para empresas. Inclusive, os primeiros retornos dos aplicativos em nuvem costumam ser impressionantes. Portanto, as empresas que usam aplicativos em nuvem estão aumentando o número de aplicativos padrão e processos de negócios. Isso ajuda a reduzir os tempos de ciclo para aumentar os recursos de TI, os custos de TI e auxilia no lançamento de mais produtos e processos novos.

Melhorias operacionais e financeiras da mudança de aplicativos locais para a nuvem

Em uma pesquisa da consultoria norte-americana TCS, foi indagado às empresas participantes se o uso de aplicativos em nuvem gerou benefícios. No caso, a pergunta abordou especificamente sobre os aplicativos em nuvem que mudaram de computadores locais. Isso, além de aplicativos em nuvem totalmente novos para os quais eles anteriormente não tinham versões locais. Para ambos os tipos de aplicativos, as respostas indicam que os aplicativos em nuvem estão gerando melhorias significativas no desempenho operacional e financeiro.

Benefícios da mudança de aplicativos existentes para a nuvem

Em todas as quatro regiões do mundo, os benefícios médios das aplicações em nuvem desse tipo foram impressionantes, especialmente nas empresas da América Latina e Ásia-Pacífico:

  • Em custos de TI, houve de 28% (Europa) a 55% (América Latina) de reduções médias;
  • Em aplicativos padrão e processos de negócios, houve entre 34% (Europa) e 60% (América Latina) de aumento no número de aplicativos e processos de negócios que se tornaram comuns em uma empresa;
  • Houve entre 35% (EUA) e 64% (América Latina) em reduções de tempo de ciclo para aumentar ou diminuir os recursos de TI (uma medida de “flexibilidade”);
  • Em sistemas de inatividade, houve reduções de 33% (Europa) a 59% (América Latina);
  • No tempo que leva para melhorar as aplicações, houve reduções de 37% (EUA e Europa) para 57% (América Latina);
  • Houve de 35% (EUA) a 64% (América Latina), reduções no número de correções;
  • Em relatórios analíticos, ocorreu de 34% (Europa) a 66% (América Latina) de aumento no número de relatórios. Isso dá às empresas maior capacidade de minerar e analisar volumes de dados.

Os adotantes mais agressivos da computação em nuvem são empresas da América Latina e Ásia-Pacífico. Afinal, elas apresentaram porcentagens mais altas de aplicativos na nuvem para aplicativos corporativos totais. Por isso, elas relataram conseguir benefícios muito maiores com seus aplicativos na nuvem. Por que isso acontece? Talvez benefícios maiores sejam uma função da experiência. Ou seja, quanto mais você usa aplicativos em nuvem, mais conhecimento obtém sobre como implantá-los e usá-los. Portanto, maior é a probabilidade dessa estratégia gerar benefícios. Ou pode ser que usar um número maior de aplicativos em nuvem simplesmente traga mais benefícios cumulativos.

Benefícios da nuvem para empresas são consideráveis

A TCS também solicitou que os respondentes da pesquisa relatassem os benefícios recebidos dos novos aplicativos que lançaram na nuvem até o momento. Especificamente, foi solicitado que eles indicassem melhorias em seis áreas:

  • Teste de novos processos de negócios que eles teriam considerado muito caros para testar antes do advento da nuvem (por causa dos custos excessivos de tecnologia). Aqui, pedimos que indicassem o aumento percentual nos novos processos de negócios testados;
  • O número de novos processos de negócios que eles realmente lançaram ou instituíram
  • O número de novos produtos / serviços testados;
  • O número de novos produtos / serviços que eles lançaram;
  • O aumento anual de receita resultante do lançamento de novos produtos / serviços em mercados que eles já serviram;
  • A redução média no tempo que levou para entrar em novos mercados com novos produtos / serviços.
Embora as melhorias percentuais médias nessas áreas fossem cerca de metade daquelas que as empresas relataram desde a mudança de aplicativos locais para a nuvem, elas foram dignas de nota:
  • Aumento de 15% para 19% no número de novos processos de negócios testados e lançados nas empresas dos EUA, Europa e Ásia-Pacífico. Empresas latino-americanas, no entanto, reportaram números médios mais altos (22-27%);
  • Aumento de 13% para 19% no número de novos produtos ou serviços testados e lançados por empresas nos EUA, Europa e Ásia-Pacífico. Isso, novamente, acompanhou o aumento de 31-32% em novos produtos / serviços na América Latina;
  • Uma redução média de 14% a 17% no tempo de ciclo para entrar em novos mercados com novos produtos / serviços nos EUA, Europa e Ásia-Pacífico. Novamente superados por empresas latino-americanas, que reivindicaram uma redução média de 35% no tempo de ciclo;
  • Aumentos médios de receita de 13% a 17% no lançamento de novos produtos e serviços baseados em nuvem nos mercados existentes. Esses valores competem com um aumento médio de receita de 32% relatado pelas empresas latino-americanas.

Como a computação em nuvem funciona?

Na prática, são disponibilizados três tipos principais de modelos de serviços de computação em nuvem. Conheça-os:

  • Software como serviço (SaaS);
  • Infraestrutura como serviço (IaaS);
  • Plataforma como serviço (PaaS).

A adoção de determinado modelo de nuvem vai depender das necessidades da empresa. Inclusive, para garantir os benefícios da nuvem para empresas, é possível unir todos os três.

Software como serviço (SaaS)

Essa é a forma mais comum de computação em nuvem adotada por pequenas empresas. Nesse modelo, é possível acessar aplicativos de software hospedados na internet por meio de um navegador. Ou seja, sem a necessidade de usar aplicativos tradicionais armazenados no próprio PC ou servidor. No SaaS, o host do aplicativo de software fica responsável por controlar e manter o aplicativo funcionando. Isso inclui atualizações e configurações de software. Portanto, o usuário conta com controle limitado sobre as configurações dos aplicativos.
Um bom exemplo de SaaS consiste em um sistema de gerenciamento de relacionamento com clientes.

Infraestrutura como serviço (IaaS)

Em geral, nesse modelo, compra-se ou aluga-se poder do computador, tal como o espaço em disco de um provedor de serviços externo. Nesta opção é viável o acesso por meio de uma rede privada ou internet. Vale ressaltar que todo hardware físico do computador fica à cargo do provedor. A Amazon EC2, Windows Azure e Rackspace são bons exemplos de IaaS.

Plataforma como serviço (PaaS)

Uma PaaS consiste no cruzamento entre SaaS e IaaS. Em geral, o usuário aluga o hardware, armazenamento, a capacidade de rede e os sistemas operacionais oferecidos pelo IaaS. Contudo, a PaaS possibilita um maior controle sobre os aspectos técnicos da configuração, tal como da capacidade de personalização.

Benefícios da computação em nuvem

A computação em nuvem oferece muitos benefícios às empresa. Afinal, ela permite configurar o que é essencialmente um escritório virtual para conferir a flexibilidade de se conectar à sua empresa de qualquer lugar, a qualquer momento. Com o crescente número de dispositivos habilitados para a Web usados ​​no ambiente de negócios, o acesso aos dados é ainda mais fácil. Portanto, existem muitos benefícios da nuvem para empresas. Conheça alguns deles:

Custos de TI reduzidos

A mudança para a computação em nuvem pode reduzir o custo de gerenciamento e manutenção dos sistemas de TI. Ao invés vez de comprar sistemas e equipamentos caros para o negócio, é possível mitigar custos usando os recursos do provedor de serviços de computação em nuvem. As despesas operacionais também podem ser reduzidas. Afinal, o custo de atualizações do sistema, os novos hardwares e softwares podem ser incluídos no contrato. Além disso, a empresa não precisa arcar com os salários de uma equipe especializada e custos de energia.

Escalabilidade

A empresa pode ampliar ou reduzir suas necessidades de operação e armazenamento rapidamente, conforme necessário. Além disso, ao invés de comprar e instalar atualizações caras, o provedor de serviços pode lidar com isso. Usar a nuvem também libera tempo para que o gestor possa continuar administrando seus negócios.

Continuidade dos negócios

Proteger dados e sistemas é uma parte importante do planejamento de continuidade dos negócios. Quer você tenha um desastre natural, falta de energia ou outra crise, ter os dados armazenados na nuvem garante o backup e a proteção em um local seguro. Ser capaz de acessar os dados novamente, rapidamente, permite à empresa fazer negócios como de costume, minimizando qualquer tempo de inatividade e perda de produtividade.

Eficiência de colaboração

A colaboração em um ambiente de nuvem oferece à empresa a capacidade de se comunicar mais facilmente fora dos métodos tradicionais. Ao trabalhar em um projeto em diferentes locais, é possível usar a computação em nuvem para permitir que funcionários, contratados e terceiros acessem os mesmos arquivos. Também é possível escolher um modelo de computação em nuvem que facilite o compartilhamento de registros com seus consultores.

Flexibilidade das práticas de trabalho

A computação em nuvem permite que os funcionários sejam mais flexíveis em suas práticas de trabalho. Por exemplo, é possível acessar dados de casa, de férias ou do trajeto para o trabalho. Basta ter uma boa conexão com a Internet. Ou seja, se necessário, os colaboradores poderão se conectar ao seu escritório virtual de maneira rápida e fácil.

Acesso a atualizações automáticas

O acesso a atualizações automáticas para seus requisitos de TI pode ser incluído na taxa de serviço. Dependendo do provedor de serviços de computação em nuvem, o sistema será atualizado regularmente com a tecnologia mais recente. Isso pode incluir versões atualizadas de software, bem como atualizações para servidores e poder de processamento do computador.

Confiabilidade

Com uma plataforma de serviços gerenciados, a computação em nuvem é muito mais confiável e consistente do que a infraestrutura de TI interna. Afinal, a maioria dos provedores oferece um Acordo de Nível de Serviço (SLA) que garante 99,99% de disponibilidade. Sua organização pode, então, se beneficiar de um grande conjunto de recursos de TI redundantes. Como, por exemplo, de um mecanismo de failover rápido. Ou seja, se um servidor falhar, aplicativos e serviços hospedados poderão ser facilmente transferidos para qualquer um dos servidores disponíveis.

Gerenciabilidade

A computação em nuvem oferece recursos aprimorados e simplificados de gerenciamento e manutenção de TI por meio da administração central de recursos, infraestrutura gerenciada pelo fornecedor e contratos apoiados pelo SLA. As atualizações e a manutenção da infraestrutura de TI são eliminadas, pois todos os recursos são mantidos pelo provedor de serviços. Ou seja, a empresa desfruta de uma interface de usuário simples baseada na Web para acessar software, aplicativos e serviços. Isso, sem a necessidade de instalação. Além disso, o SLA garante a entrega, o gerenciamento e a manutenção oportuna e garantida dos serviços de TI.

Borda estratégica

Os recursos computacionais crescentes oferecem uma vantagem competitiva sobre os concorrentes. Isso porque o tempo exigido para a aquisição de TI é praticamente nulo. Ou seja, a empresa pode implantar aplicativos essenciais que proporcionam benefícios comerciais significativos, sem custos iniciais e tempo mínimo de provisionamento. A computação em nuvem permite aos gestores se concentrarem em suas principais atividades e objetivos comerciais. Ela também pode ajudar a reduzir o tempo necessário para comercializar aplicativos e serviços mais recentes.

Desvantagens da computação em nuvem

Apesar dos vário benefícios da nuvem para empresas, como toda tecnologia, existem contratempos. Conheça os principais da computação em nuvem abaixo:

Tempo de inatividade

Como os provedores de serviços em nuvem cuidam de um grande número de clientes todos os dias, eles podem ficar sobrecarregados. Com isso, podem surgir eventuais falhas técnicas. Isso pode fazer com que alguns processos de negócios sejam temporariamente suspensos. Além disso, se a a conexão com a internet estiver offline, não será possível acessar nenhum aplicativo, servidor ou dados da nuvem.

Segurança

Provedores de serviços em nuvem implementam os melhores padrões de segurança e certificações do setor. Contudo, o armazenamento de dados e arquivos importantes em provedores de serviços externos sempre abre riscos. O uso de tecnologias baseadas em nuvem significa que é necessário fornecer ao provedor de serviços acesso a dados importantes da empresa.

A facilidade em obter e acessar serviços em nuvem também pode dar a usuários mal intencionados a capacidade de verificar, identificar e explorar brechas e vulnerabilidades dentro de um sistema. Por exemplo, em uma arquitetura de nuvem multilocatária, em que vários usuários estão hospedados no mesmo servidor, um hacker pode tentar invadir os dados de outros usuários hospedados e armazenados no mesmo servidor. No entanto, tais explorações e brechas provavelmente não aparecerão, e a probabilidade de um comprometimento não é grande.

Bloqueio do fornecedor

É comum provedores de serviços em nuvem prometerem que a nuvem será flexível para usar e integrar. Porém, a mudança de serviços em nuvem é algo que ainda não evoluiu completamente. Portanto, as organizações podem achar difícil migrar seus serviços de um fornecedor para outro. Hospedar e integrar aplicativos de nuvem atuais em outra plataforma pode gerar problemas de interoperabilidade e suporte. Por exemplo, os aplicativos desenvolvidos no Microsoft Development Framework (.Net) podem não funcionar corretamente na plataforma Linux.

Controle limitado

A infraestrutura em nuvem é totalmente de propriedade, gerenciada e monitorada pelo provedor de serviços. Portanto, ela concede um controle mínimo para o cliente. O cliente só pode controlar e gerenciar os aplicativos, dados e serviços operados.  Ou seja, ele não tem acesso à infraestrutura de backend propriamente dita. Com isso, as principais tarefas administrativas, como acesso ao shell do servidor, atualização e gerenciamento de firmware, não podem ser passadas para o cliente ou usuário final.

 

Ainda assim, é fácil ver como as vantagens da computação em nuvem superam facilmente as desvantagens. Afinal, custos reduzidos, tempo de inatividade reduzido e menos esforço de gerenciamento são benefícios que falam por si só.

 

 

Comentários